Mortalidade infantil por causas infecciosas relacionada a cobertura vacinal e Índice de Desenvolvimento Humano – IDH

Authors

  • Júlia Camargo Gonçalves Cunha
  • Gustavo Lopes Ferreira
  • Leticia Cerqueira de Santana
  • Bruno Godoy do Nascimento
  • Gabriel Abdalla de Mendonça Menezes
  • Andréa Silva do Amaral

DOI:

https://doi.org/10.54022/shsv5n2-023

Keywords:

Mortalidade Infantil, Programas de Imunização, Cobertura Vacinal, Tocantins

Abstract

Introdução: A mortalidade infantil é um indicador de saúde de importante relevância para a análise do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e é influenciado por diversos fatores sociais, políticos e econômicos. Dessa forma, compreender os fatores relacionados às diversas etiologias que determinam a mortalidade infantil brasileira fornece as informações necessárias para elucidação de ferramentas intervencionistas para reduzir esses valores. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa descritiva de caráter quantitativo com dados obtidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) do estado do Tocantins. Foram coletados dados sobre a mortalidade infantil por causas evitáveis 2010-2020, bem como dados sobre a cobertura vacinal no estado no mesmo período. Resultados: Constatou-se um total de 263 casos de óbito de crianças entre 0 e 4 anos, por doenças infecciosas e parasitárias, de 2010 a 2020, no Tocantins. A Região de saúde Capim Dourado apresentou o maior número de casos e um IDH de 0,639. Nota-se a prevalência dos óbitos em crianças na faixa etária entre 28 a 364 dias, da raça parda e tendo como principal causa diarreia e gastroenterite. Além disso, a região com maior cobertura vacinal total foi Cantão e com menor cobertura foi Bico do Papagaio. Conclusão: A região Norte apresenta cenários epidemiológicos distintos em relação às outras grandes áreas brasileiras, por isso a análise direcionada para o estado do Tocantins é crucial para a elucidação das particularidades que envolvem a mortalidade infantil no local. Nesse sentido, os resultados expostos nessa pesquisa visam contribuir para políticas públicas de saúde que atuem no cenário social e econômico da região a fim de reduzir a taxa de mortalidade infantil.

References

ARAÚJO, A. C. A. Diagnóstico situacional da cobertura vacinal de crianças menores de um ano do município de Taquarana-AL. Monografia (Especialização) – Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Mortalidade infantil no Brasil: Boletim epidemiológico, v. 52, out. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de Imunizações 30 anos. Brasília: Ministério da Saúde, 2003.

CRUZ, A. A queda da imunização no Brasil: redução da cobertura vacinal no país é preocupante. Consensus: Revista do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, São Paulo, v. 25, p. 20-29, 2017. Trimestral.

ELIAS, B. Moving beyond the historical quagmire of measuring infant mortality for the First Nations population in Canada. Social Science & Medicine, v. 123, p. 125-132, dez. 2014. Elsevier BV.

FLORÊNCIO, V. et al. Fatores Associados à taxa de mortalidade infantil. Subsecretaria de Saúde do Goiás – Gerência de informações em Saúde (CONECTA-SUS), 25 jun. 2021.

JUCÁ, J. Estudo aponta queda de vacinação de bebês e crianças nos últimos dois anos. CNN Brasil, 2020. Disponível em: https://www.cnnbrasil.com.br/saude/estudo-aponta-queda-de-vacinacao-de-bebes-e-criancas-nos-ultimos-dois-anos/. Acesso em: 17 jan. 2023.

KROPIWIEC, M. V.; FRANCO, S. C.; AMARAL, A. R. D. O. Fatores associados à mortalidade infantil em município com índice de desenvolvimento humano elevado. Revista Paulista de Pediatria, v. 35, n. 4, out. 2017.

LEITE, É.; RIBEIRO, D. A. G.; VIEIRA, I. L. V.; GAMA, F. O. da. A evolução das coberturas vacinais brasileiras e os impactos causados pela pandemia de Covid-19 nas metas de imunização. Investigação, Sociedade e Desenvolvimento, v. 11, n. 11, 2022.

MALTA, D. C.; DUARTE, E. C. Causas de mortes evitáveis por ações efetivas dos serviços de saúde: uma revisão da literatura. Ciência & Saúde Coletiva, v. 12, n. 3, maio 2007.

MARTINS, P. C. R.; PONTES, E. R. J. C. Mortalidade infantil por causas evitáveis em municípios de fronteira e não fronteira. Cadernos Saúde Coletiva, v. 28, n. 2, abr. 2020.

OLIVEIRA, M. F. S. DE; MARTINEZ, E. Z.; ROCHA, J. S. Y. Factors associated with vaccination coverage in children < 5 years in Angola. Revista de Saúde Pública, v. 48, n. 6, dez. 2014.

SANDERS, L. S. C.; PINTO, F. J. M.; MEDEIROS, C. R. B. de; SAMPAIO, R. M. M.; VIANA, R. A. A.; LIMA, K. J. Mortalidade infantil: análise de fatores associados em uma capital do Nordeste brasileiro. Cadernos saúde coletiva, v. 25, p. 83-89, 2017.

TOYOMOTO, F. (Ed.). Pandemia de covid-19 alimenta o maior retrocesso contínuo nas vacinações em três décadas. Unicef, 2022. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/pandemia-de-covid-19-alimenta-o-maior-retrocesso-continuo-nas-vacinacoes-em-tres-decadas. Acesso em: 24 fev. 2023.

Published

2024-06-04

How to Cite

Cunha, J. C. G., Ferreira, G. L., Santana , L. C. de, Nascimento , B. G. do, Menezes, G. A. de M., & Amaral, A. S. do. (2024). Mortalidade infantil por causas infecciosas relacionada a cobertura vacinal e Índice de Desenvolvimento Humano – IDH. STUDIES IN HEALTH SCIENCES, 5(2), e4709. https://doi.org/10.54022/shsv5n2-023

Most read articles by the same author(s)