A relação entre a deficiência de vitamina D e depressão: uma revisão integrativa

The relationship between vitamin D deficiency and depression: an integrative review

Authors

  • Elaine Rossi Ribeiro
  • Isabeli Lopes Kruk
  • Karina Bernert
  • Laura Block Gurtat
  • Lívia Aro Rodrigues
  • Luana Strapasson Sprada
  • Luma Priscila Ferrarezi da Silva
  • Maria Paula Miranda Mattei

DOI:

https://doi.org/10.54022/shsv3n2-007

Keywords:

depressão, deficiência de vitamina D, bioquímica, terapêutica, revisão

Abstract

INTRODUÇÃO: Embora ainda não totalmente esclarecida, a fisiopatologia da depressão demonstra envolver, além de fatores psicossociais, causas biomoleculares. Nesse sentido, a vitamina D vem sendo estudada como elemento regulador da sinalização celular no eixo hipotámo-pituitária-adrenal, produtor de epinefrina, norepinefrina e dopamina, neurotransmissores que são conhecidos por seu papel central na gênese da depressão. Dessa forma, estudar o papel de tal nutriente no organismo torna-se importante para a melhor abordagem terapêutica do paciente. OBJETIVOS: Identificar a relação bioquímica entre a depressão e a hipovitaminose D, e possível eficácia do tratamento com suplementação dessa vitamina. MÉTODOS: Revisão integrativa de literatura realizada em 7 etapas, contendo: definição do tema, formulação da pergunta norteadora, elaboração dos critérios de inclusão e exclusão, coleta de dados, avaliação crítica e análise dos artigos selecionados, discussão dos resultados obtidos e apresentação da revisão. RESULTADOS: 29 artigos foram selecionados para a composição da amostra final, conforme critérios de inclusão (publicado no máximo há 5 anos e descritores presentes no título) e exclusão (populações específicas, associação com doenças específicas e artigos de acesso fechado) pré-definidos. Tais artigos foram encontrados nas plataformas BVS e PubMed. CONCLUSÃO: A vitamina D está associada a centros de controle do humor no sistema nervoso central, tendo receptores no córtex cingulado e hipocampo, por exemplo. Entretanto, ainda não é possível afirmar qual o sentido da relação entre o colecalciferol e a depressão, se a hipovitaminose D seria causa ou consequência dos sintomas depressivos. A literatura traz argumentos para a defesa do calcitriol como modulador da liberação de catecolaminas, todavia, também evidencia a possibilidade da hipovitaminose D como resultado do isolamento social dos pacientes depressivos, os quais se expõem menos à radiação solar, logo, possuem dosagens baixas de vitamina D sérico. Portanto, ainda há discordância na literatura sobre a suplementação de vitamina D em indivíduos com depressão, sendo assim, ainda é prezada no meio científico o uso de antidepressivos como terapia farmacológica principal de tal distúrbio.

Downloads

Published

2022-04-04

How to Cite

Ribeiro, E. R. ., Kruk, I. L. ., Bernert, K. ., Gurtat, L. B. ., Rodrigues, L. A. ., Sprada, L. S. ., da Silva, L. P. F. ., & Mattei, M. P. M. . (2022). A relação entre a deficiência de vitamina D e depressão: uma revisão integrativa: The relationship between vitamin D deficiency and depression: an integrative review. STUDIES IN HEALTH SCIENCES, 3(2), 709–726. https://doi.org/10.54022/shsv3n2-007