Avaliação da qualidade de vida e dos parâmetros ecocardiográficos em pacientes com insuficiência cardíaca com fração de ejeção do ventrículo esquerdo ≤ 40% em uso de inibidores de SGLT-2

Authors

  • Carolina Magalhães Seixas
  • João Vitor Gonçalves Marques
  • Maria Júlia Mascarenhas Rodrigues
  • Giovana Tavares de Sousa
  • Júlia de Oliveira Souza Teixeira
  • Ana Kelly Mendes Vieira
  • Luciana Fernandes Rover
  • Maysa Montijo Borges Taveira
  • Mateus Carrijo Santos
  • Daniela Souza de Jesus
  • Leonardo Vidigal Alves
  • Matheus Eduardo Silva Almeida
  • Raphael Henrique Borges Naves
  • Ana Carolina Carvas Costa

DOI:

https://doi.org/10.54022/shsv4n3-011

Keywords:

insuficiência cardíaca, inibidores de SGLT2, ecocardiografia, qualidade de vida

Abstract

A Insuficiência Cardíaca (IC) consiste em uma síndrome clínica de disfunção ventricular com alta prevalência. Além disso, apresenta altas taxas de hospitalização e mortalidade. Os inibidores dos cotransportadores de sódio-glicose 2 (iSGLT2) vêm se mostrando uma opção terapêutica no tratamento desta síndrome por meio da redução de eventos mórbidos e melhora da qualidade de vida dos pacientes por seus efeitos cardioprotetores evidenciados em pacientes portadores de Insuficiência Cardíaca de Fração de Ejeção reduzida (ICFEr), mesmo em não diabéticos. Objetivou-se nalisar o impacto do uso de iSGLT2 na qualidade de vida e nos achados ecocardiográficos em pacientes portadores de IC com Fração de Ejeção do Ventrículo Esquerdo ≤ 40%. Trata-se de um estudo observacional e analítico, com delineamento transversal. A amostra foi composta por pacientes com diagnóstico de IC com FEVE ≤ 40%, em uso de iSGLT2 por no mínimo 6 meses. Os dados foram coletados de registros médicos no prontuário eletrônico e complementados com dados do Ecodopplercardiograma do paciente. Realizou-se também a aplicação do questionário Kansas City Cardiomyopathy Questionnaire para avaliação da qualidade de vida em consultas presenciais. Previamente à obtenção dos dados, os pacientes entregaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido assinado. Ao analisar os parâmetros ecocardiográficos destes pacientes, obtivemos uma FE (%) média de 26,67 antes da introdução da medicação e de 31,75 após o uso da medicação. Quanto ao Volume do Átrio Esquerdo (mL), o volume médio antes da administração da medicação era de 70,9 e de 47,84 após o uso regular e contínuo do iSGLT2. Constatou-se também que a média total do escore obtido pelo KCCQ foi de 62,60, representando uma qualidade de vida de moderada a boa. Quanto aos domínios avaliados, a “Frequência dos sintomas” e a “Autoeficácia e conhecimento”obtiveram as maiores pontuações. Por outro lado, os domínios “Estabilidade dos sintomas” e “Qualidade de vida” foram os piores avaliados A partir do estudo e da literatura atual, foi possível concluir que pacientes com ICFEr em uso de iSGLT-2 apresentaram uma melhora da Fração de Ejeção do Ventrículo Esquerdo e do Volume do Átrio Esquerdo, ao analisar os exames realizados antes da implementação da medicação e após o uso por no mínimo 6 meses. Outrossim, evidenciou-se que os pacientes apresentam melhora da qualidade de vida, obtendo-se escores maiores no KCCQ. Tendo em vista as limitações do estudo e a importância deste tópico, é necessário o desenvolvimento de outros estudos acerca do tema.

References

NOGUEIRA, Patrícia Resende et al. Perfil epidemiológico, clínico e terapêutico da insuficiência cardíaca em hospital terciário. Arquivos Brasileiro de Cardiologia, São Paulo, v. 95, n. 3, p. 392-398, Setembro. 2010.

OLIVEIRA, Gláucia Maria Moraes de et al. Estatística Cardiovascular–Brasil 2020. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 115, n. 3, p. 308-439, 2020.

GREEN, Patrick et al. Development and evaluation of the Kansas City Cardiomyopathy Questionnaire: a new health status measure for heart failure. Journal of the American College of Cardiology, v. 35, n. 5, p. 1245-1255, 2000.

DE INSUFICIÊNCIA, Comitê Coordenador da Diretriz; COLABORADORES, Cardíaca; ROHDE, Luis Eduardo Paim. Diretriz Brasileira de Insuficiência Cardíaca Crônica e Aguda. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 111, n. 3, p. 436-539, 2018.

ZINMAN, Bernard et al. Empagliflozin, cardiovascular outcomes, and mortality in type 2 diabetes. New England Journal of Medicine, v. 373, n. 22, p. 2117-2128, 2015.

ZANNAD, Faiez et al. SGLT2 inhibitors in patients with heart failure with reduced ejection fraction: a meta-analysis of the EMPEROR-Reduced and DAPA-HF trials. The Lancet, v. 396, n. 10254, p. 819-829, 2020

MCMURRAY, John JV et al. Dapagliflozin in patients with heart failure and reduced ejection fraction. New England Journal of Medicine, v. 381, n. 21, p. 1995-2008, 2019.

PACKER, Milton et al. Cardiovascular and renal outcomes with empagliflozin in heart failure. New England Journal of Medicine, v. 383, n. 15, p. 1413-1424, 2020.

PACKER, Milton et al. Empagliflozin in patients with heart failure, reduced ejection fraction, and volume overload: EMPEROR-reduced trial. Journal of the American College of Cardiology, v. 77, n. 11, p. 1381-1392, 2021.

BOCCHI, Edimar Alcides et al. Tópicos Emergentes em Insuficiência Cardíaca: Inibidores do Cotransportador Sódio-Glicose 2 (iSGLT2) na IC. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 116, p. 355-358, 2021.

Published

2023-10-03

How to Cite

Seixas, C. M., Marques, J. V. G., Rodrigues, M. J. M., de Sousa, G. T., Teixeira, J. de O. S., Vieira, A. K. M., Rover, L. F., Taveira, M. M. B., Santos, M. C., de Jesus, D. S., Alves, L. V., Almeida, M. E. S., Naves, R. H. B., & Costa, A. C. C. (2023). Avaliação da qualidade de vida e dos parâmetros ecocardiográficos em pacientes com insuficiência cardíaca com fração de ejeção do ventrículo esquerdo ≤ 40% em uso de inibidores de SGLT-2. STUDIES IN HEALTH SCIENCES, 4(3), 801–814. https://doi.org/10.54022/shsv4n3-011

Most read articles by the same author(s)