Manejo e Complicações da Doença de Crohn: uma revisão de literatura

Authors

  • Laura Araújo de Carvalho
  • Ana Carolina Teixeira Ferreira Capel
  • Juliana Neves Rosina
  • Maria Clara de Assis Ferreira
  • Rafael Amanso da Conceição
  • Mirlene Cândida Faustino Borges
  • Ana Luiza Araújo Machado
  • Marcela Ribeiro Goulart
  • Bernardo Malheiros Tessari
  • Anna Luiza Santos Schulze Peixinho
  • Lara Labre Cavalcante
  • Renan Ivo Horta de Alvarenga
  • Milena Lorraine Couto Franco Santos
  • Rafaella Zambeline Chaves Ribeiro

DOI:

https://doi.org/10.54022/shsv4n3-001

Keywords:

doença de Crohn, tratamento, prevenção, complicações, epidemiologia, terapia

Abstract

A doença de Crohn é uma condição inflamatória crônica do trato gastrointestinal que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Sua epidemiologia, fatores de risco, mortalidade e prevenção são tópicos de grande relevância para a saúde pública. Compreender essa doença é essencial para melhorar a qualidade de vida dos pacientes e desenvolver estratégias de prevenção eficazes. Embora a doença de Crohn seja crônica e debilitante, não é geralmente considerada uma doença fatal por si só. No entanto, complicações graves podem surgir devido à inflamação crônica do trato gastrointestinal. A prevenção da doença de Crohn ainda é um desafio, uma vez que sua etiologia exata não é totalmente compreendida. No entanto, há evidências de que certos fatores de estilo de vida podem influenciar o risco da doença. Por exemplo, evitar o tabagismo e adotar uma dieta rica em fibras, frutas e vegetais pode ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento da doença ou agravamento dos sintomas em indivíduos predispostos. A abordagem da doença de Crohn é uma tarefa complexa que requer uma equipe multiprofissional dedicada e bem coordenada. Além dos médicos, que desempenham um papel crucial no diagnóstico e tratamento, outros profissionais de saúde desempenham papéis igualmente essenciais. Estudos clínicos randomizados têm demonstrado a eficácia das terapias biológicas, como o infliximabe, no controle dos sintomas e na indução de remissão da doença. Portanto, é fundamental continuar investindo em pesquisa e educação sobre a doença de Crohn para melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas afetadas.

References

World Health Organization. (2021). Inflammatory bowel disease: epidemiology, diagnosis, and management.

Ng, S. C., Shi, H. Y., Hamidi, N., et al. (2017). Worldwide incidence and prevalence of inflammatory bowel disease in the 21st century: a systematic review of population-based studies. The Lancet, 390(10114), 2769-2778. DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(17)32448-0

Khor, B., Gardet, A., & Xavier, R. J. (2011). Genetics and pathogenesis of inflammatory bowel disease. Nature, 474(7351), 307-317. DOI: https://doi.org/10.1038/nature10209

Kaplan, G. G., & Ng, S. C. (2017). Understanding and preventing the global increase of inflammatory bowel disease. Gastroenterology, 152(2), 313-321. DOI: https://doi.org/10.1053/j.gastro.2016.10.020

Cosnes, J., Gower-Rousseau, C., Seksik, P., et al. (2011). Epidemiology and natural history of inflammatory bowel diseases. Gastroenterology, 140(6), 1785-1794. DOI: https://doi.org/10.1053/j.gastro.2011.01.055

Colombel, J. F., Panaccione, R., Bossuyt, P., et al. (2018). Effect of tight control management on Crohn's disease (CALM): a multicentre, randomised, controlled phase 3 trial. The Lancet, 390(10114), 2779-2789. DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(17)32641-7

Ananthakrishnan, A. N., Du, M., Bertrand, K. A., et al. (2018). Long-term intake of dietary fat and risk of ulcerative colitis and Crohn's disease. Gut, 67(2), 366-377.

Lutgens, M. W. M. D., Van Oijen, M. G. H., Van Der Heijden, G. J. M. G., et al. (2018). Declining risk of colorectal cancer in inflammatory bowel disease: an updated meta-analysis of population-based cohort studies. Inflammatory Bowel Diseases, 24(7), 1541-1549.

Mikocka-Walus, A., Knowles, S. R., Keefer, L., & Graff, L. (2016). Controversies revisited: a systematic review of the comorbidity of depression and anxiety with inflammatory bowel diseases. Inflammatory Bowel Diseases, 22(3), 752-762. DOI: https://doi.org/10.1097/MIB.0000000000000620

van Deen, W. K., van Oijen, M. G., Myers, K. D., et al. (2015). A nationwide 2010–2012 analysis of U.S. health care utilization in inflammatory bowel diseases. Inflammatory Bowel Diseases, 21(7), 1548-1557. DOI: https://doi.org/10.1097/MIB.0000000000000139

Published

2023-09-28

How to Cite

de Carvalho, L. A., Capel, A. C. T. F., Rosina, J. N., Ferreira , M. C. de A., da Conceição, R. A., Borges , M. C. F., Machado, A. L. A., Goulart, M. R., Tessari, B. M., Peixinho, A. L. S. S., Cavalcante, L. L., de Alvarenga, R. I. H., Santos, M. L. C. F., & Ribeiro , R. Z. C. (2023). Manejo e Complicações da Doença de Crohn: uma revisão de literatura. STUDIES IN HEALTH SCIENCES, 4(3), 670–680. https://doi.org/10.54022/shsv4n3-001

Most read articles by the same author(s)

1 2 > >>