Indicações de toracotomia em centro cirúrgico no trauma: uma revisão à luz da literatura

Authors

  • Gabriela Milhomem Ferreira
  • Luiz Felipe Castro Vaz Poloniato
  • Luís Eduardo Cury Guerra
  • Ana Vitória da Silva Lima
  • Isabella Manfrim Garcia
  • Gabriella Nunes de Magalhães dos Santos
  • Gabriel Souza Santos da Silva
  • Lucas Roberto Publitz Semkiw
  • Pedro Augusto de Moraes Lopes
  • Arthur Barbosa Mendonça
  • Gabriella Nunes de Magalhães dos Santos
  • Isabella Heloiza Santana da Silva
  • Isadora Pereira Brito
  • Adriana Alves de Meneses Delevedove

DOI:

https://doi.org/10.54022/shsv4n2-025

Keywords:

toracotomia, indicações, cirurgia do trauma

Abstract

As lesões na região torácica são responsáveis por aproximadamente 25% dos óbitos em pacientes politraumatizados. A toracotomia é um procedimento cirúrgico invasivo que envolve a abertura da parede torácica para acessar diretamente as estruturas internas do tórax. Essa técnica é frequentemente utilizada em situações de emergência, como traumas torácicos graves ou complicações agudas de doenças pulmonares, cardíacas e vasculares. Este artigo visa explorar as indicações, técnicas, complicações e evoluções recentes relacionadas à toracotomia no âmbito do trauma. Serão discutidos os cenários clínicos em que a toracotomia é necessária, as diferentes abordagens cirúrgicas, bem como os avanços que têm contribuído para aprimorar a segurança e a eficácia desse procedimento. A compreensão abrangente da toracotomia é crucial para médicos, cirurgiões e profissionais de saúde envolvidos no manejo de pacientes com condições torácicas complexas. A literatura aponta como principais critérios de indicação para a realização da toracotomia em centro cirúrgico no trauma: hemotórax maciço, com drenagem imediata de 1500mL ou mais de sangue pelo dreno tubular de toracotomia ou saída de 200ml/h nas primeiras 2 a 4 horas iniciais; lesões penetrantes na parede torácica anterior com tamponamento cardíaco; feridas da caixa torácica de grandes dimensões; lesões a vasos nobres no tórax na presença de instabilidade hemodinâmica; lesões traqueobrônquicas extensas; evidência de perfuração esofagiana; tratamento de aneurismas arteriais pulmonares e aórticos; dissecção aguda de aorta. Na literatura destacam-se as seguintes contraindicações: ausência de sinais vitais ao chegar, lesão cerebral traumática grave, colapso circulatório (provavelmente por causas extratorácicas). A toracotomia, quando bem indicada, pode diminuir a taxa de mortalidade no trauma torácico, uma vez que visa a redução de danos no paciente. Portanto, é imprescindível o conhecimento de cirurgiões acerca dos critérios de indicação e das contraindicações para a realização desse procedimento. Sua realização em pacientes sem sinais vitais e com lesões ameaçadoras de vida como lesão cerebral grave e choque circulatório está contraindicada. Além disso, as taxas de sobrevida após o procedimento são mais altas em pacientes vítimas de trauma penetrante que de trauma contuso.

References

HAIDA VM, YAMASHITA EM, FRANCO GS, AMADO WBR, ARAKAKI IK, DAL-BOSCO CLB, et al.. Performance and outcome of ressucitative thoracotomies in a southern Brazil trauma center: a 7-year retrospective analysis. Rev Col Bras Cir [Internet]. 2022;49:e20223146. Available from: https://doi.org/10.1590/0100-6991e-20223146

GUIMARÃES MB et al. Análise crítica das toracotomias realizadas na sala de emergência durante 10 anos. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v.41, p. 263-266, 2014.

DIGIACOMO, JC.; ANGUS, LDG. Thoracotomy in the emergency depart- ment for resuscitation of the mortally injured. Chinese Journal of Traumato- logy, v. 20, n. 3, p. 141-146, 2017.

BACHICHI T G, et al. Traditional chest drainage versus drainage by thoracotomy: a prospective randomized study. Einstein (são Paulo), 18, eAO4409. 2020. https://doi.org/10.31744/einstein_journal/2020AO4409

ZIEGLER RJ da CL et al. Toracotomia de reanimação: uma revisão narrativa. REAS [Internet]. 8ago.2022 [citado 31ago.2023];15(8):e10734. Available from: https://acervomais.com.br/index.php/saude/article/view/1073

DIGIACOMO JC, ANGUS L. Thoracotomy in the emergency department for resuscitation of the mortally injured. Chinese Journal of Traumatology, 2017; 20(3): 141–146.

FITCH JL, et al. Are We Out of the Woods Yet? The Aftermath of Resuscitative Thoracotomy. J Surg Res., 2020; 245: 593-599.

GROOMBRIDGE C, et al. Resuscitative thoracotomy. Emergency medicine Australasia: EMA, 2021; 33(1): 138–141.

MELO BV et al. Aplication of videothoracoscopy in trauma - experience of a service. Rev Col Bras Cir [Internet]. 2015Sep;42(5):295–8. Available from: https://doi.org/10.1590/0100-69912015005005

TAVARES BED, ALCANTARA RC. Análise etiológica e de sobrevida relacionada a toracotomia de emergência no paciente vítima de trauma torácico: uma revisão sistemática da literatura. UFAL. 2020.

MONTANARI EB. Toracotomia de emergência na ressuscitação da parada cardíaca traumática: quando pode dar certo?. 2020

SOUZA VS, SANTOS ACD, PEREIRA LV. Perfil clínico-epidemiológico de vítimas de traumatismo torácico submetidas a tratamento cirúrgico em um hospital de referência. Sci med, 2, 96-101. 2013.

Published

2023-09-19

How to Cite

Ferreira, G. M., Poloniato, L. F. C. V., Guerra, L. E. C., Lima, A. V. da S., Garcia, I. M., dos Santos, G. N. de M., da Silva, G. S. S., Semkiw, L. R. P., Lopes, P. A. de M., Mendonça, A. B., dos Santos, G. N. de M., da Silva , I. H. S., Brito, I. P., & Delevedove, A. A. de M. (2023). Indicações de toracotomia em centro cirúrgico no trauma: uma revisão à luz da literatura. STUDIES IN HEALTH SCIENCES, 4(2), 582–591. https://doi.org/10.54022/shsv4n2-025

Most read articles by the same author(s)