Ações afirmativas e políticas públicas de inclusão social: uma análise da trajetória dos alunos egressos das escolas públicas no ensino superior também público

Authors

  • Izabella de Araújo Mendes
  • Catarina Costa Fernandes

DOI:

https://doi.org/10.54019/sesv4n1-008

Keywords:

Curso Superior, Ações afirmativas, Lei de Cotas

Abstract

As políticas públicas têm como objetivo reduzir as desigualdades existentes entre diferentes grupos sociais. A ação afirmativa na educação, através da alocação de cotas e mecanismos de permanência, é um aspecto dessas políticas e procura reduzir as disparidades no acesso e na integração educacional. A questão da exclusão social e das políticas de inclusão relacionadas ao acesso ao ensino superior está inserida nas políticas de ação afirmativa e é objeto de estudo no campo da filosofia, especialmente da educação. Em 1988 foi publicada a Constituição da República Federal do Brasil e só no ano 2000 começou a ser discutida a necessidade de implementar políticas de ação afirmativa nas universidades públicas brasileiras. Este estuda objetiva analisar se as ações afirmativas nas políticas públicas de inclusão social contribuiu para democratizar o acesso dos estudantes das escolas públicas às universidades públicas. Ao todo, 68 estudantes de várias escolas públicas do estado do Amazonas que atualmente estão matriculados no ensino superior da Universidade Federal da Amazônia (UFAM) foram objetos do estudo. Ele procura descrever nesta tese os relatos dos estudantes de suas experiências como estudantes de cota. Portanto, a pesquisa utilizada nesta tese é um estudo de caso misto, qualitativo e quantitativo. O estudo conclui que a maioria dos estudantes se sente satisfeita quando frequentam o ensino superior, mesmo como estudantes de cota.

References

ANTUNES, E. Qualidade do ensino em tempos de mudança. Porto Alegre: Artmed, 2018.

ARROYO. Miguel G. Outros sujeitos, Outras pedagogias. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

ARRUDA J. Cotas na universidade. Uberlândia, MG: EDUFU, 2017

BEYER, H. O. A proposta da educação inclusiva: contribuições da abordagem vygostkiana e da experiência alemã. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v.9, n.2, p.163-180, jul./dez. 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. São Paulo: Saraiva, 1988.

COSTA, Arlindo. Metodologia da Pesquisa. Mafra (SC): Editora Nosde, 2019.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3ª. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

FERNANDES, Catarina Costa. A Educação Escolar na Contemporaneidade. Entre o dito e o feito. Mafra: Nitran, 2018.

GARCEZ, V. B. V. “As políticas de cotas sociais e étnico-raciais na Universidade Federal de Sergipe sob a ótica do princípio da isonomia”. Cadernos de Graduação – CiênciasHumanas e Sociais, vol. 1, n.16, 2013.

GLAT, R. Capacitação de professores: pré-requisito para uma escola aberta à diversidade. Rio de Janeiro: Editora Sette Letras, 2010.

GOUVEIA E AIDAR. Ações afirmativas para ingresso ao ensino superior no Brasil, 2017.

KAUFMANN, Roberta Fragoso Menezes. Ações afirmativas à Brasileira: Necessidade ou mito?. UNIJUS, p. 117, 2007.

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 9394/96. Brasília: Gráfica do Senado, 1996.

Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30. ago. 2012.

MARCHESI, Á e MARTIN, B. Desenvolvimento Psicológico e Educação: Necessidades Educativas Especiais e Aprendizagem Escolar. v. 3. Porto Alegre: Artes Médicas, 2010.

MITTLER, Peter. Educação inclusiva: contextos sociais. Trad.: Windyz Brazão Ferreira. Porto Alegre: Artmed, 2003.

OLIVEIRA B e SALDANHA, F. As artimanhas da exclusão. 5 ed. Petrópolis: Vozes, 2015.

PEDRO, José Barbosa. Ação Afirmativa – políticas públicas contra as desigualdades raciais. Rio de Janeiro: DP&A, 2016.

PESSOTI, A Inclusão: construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 2016. BOBBIO, Norberto. Igualdade e liberdade. 3ª ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 1995.

PIMENTA, S. G. O Estágio na Formação de Professores: Unidade Teoria e prática 3ª. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

RODRIGUES, N. Passos para a inclusão. São Paulo: Cortez, 2018.

SAMPIERI, R. Metodologia de Pesquisa. 5. ed. São Paulo: Penso, 2013.

TRIVINÕS, Augusto Nivaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

YIN. R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3 ed., Porto Alegre: Bookman, 2005.

Downloads

Published

2023-03-02

How to Cite

Mendes, I. de A., & Fernandes, C. C. (2023). Ações afirmativas e políticas públicas de inclusão social: uma análise da trajetória dos alunos egressos das escolas públicas no ensino superior também público. STUDIES IN EDUCATION SCIENCES, 4(1), 104–117. https://doi.org/10.54019/sesv4n1-008