A profissão docente frente às exigências da sociedade contemporânea: um olhar dirigido à saúde do professor para a prevenção da Síndrome de Burnout

Authors

  • Karoline Lima de Oliveira
  • Catarina Costa Fernandes

DOI:

https://doi.org/10.54019/sesv4n1-009

Keywords:

saúde, trabalho do professor, Síndrome de Burnout

Abstract

A Síndrome de Burnout tem se tornado cada vez mais comum no mundo, afetando profissionais de diversas áreas, como professores, médicos, policiais e bombeiros. Esta pesquisa analisou os efeitos e consequências que a Síndrome tem na saúde destes profissionais, especificamente os professores, que são expostos a fatores estressantes em seu trabalho, como baixos salários e escassez de recursos materiais e didáticos, além de classes superlotadas, tensão na relação com os alunos, excesso de carga horária e participação inexpressiva nas políticas e no planejamento institucional. Os dados foram coletados através de uma entrevista semiestruturada e grupo focal com docentes de escola pública de rede municipal de ensino, localizada na cidade de Manaus/AM. Os resultados desta pesquisa indicaram que as professoras participantes apresentam e compreendem a Síndrome de forma diferenciada, porém com características semelhantes, como irritação, ansiedade e insegurança. Estes são sintomas relacionados ao estresse, que, segundo a escala de burnout, demonstram a presença da Síndrome. A exaustão emocional foi percebida na maioria dos participantes nos níveis médio e alto e a despersonalização foi pontuada com níveis baixos e médio. Esta pesquisa revelou a importância de priorizar a saúde mental dos professores, pois isso influencia diretamente na qualidade de ensino e na vida destes profissionais.

References

AROUCA, Sergio. O dilema preventivista: contribuição para a compreensão e crítica da medicina preventiva. Unesp, 2003.

BARDLN, Lawrence. Análise de conteúdo. Lisboa: edições, v. 70, p. 225, 1977.

PEREIRA, Ana Maria T. Benevides. Burnout: Quando O Trabalho Ameaça O Bem. Casa do psicólogo, 2002.

BRAZIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE; PAN AMERICAN HEALTH ORGANIZATION. REPRESENTAÇÃO DO BRASIL. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Editora MS, 2001.

BRASIL. FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE. Diretrizes de educação em saúde visando à promoção da saúde: documento base-documento I/Fundação Nacional de Saúde. 2007.

BUSS, Paulo Marchiori. Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciência & saúde coletiva, v. 5, p. 163-177, 2000.

CARLOTTO, Mary Sandra. A síndrome de burnout e o trabalho docente. Psicologia em estudo, v. 7, p. 21-29, 2002.

CATALÁN, Valentín Gavidia. La transversalidad y la escuela promotora de salud. Revista española de salud pública, v. 75, n. 6, p. 505-516, 2001.

CODO, W. Indivíduo, trabalho e sofrimento: Uma abordagem interdisciplinar. Vozes, 1999.

COSTA, Arlindo. Metodologia Cientifica. Mafra (SC): Editora Nitran, 2019.

D’ÁVILA, Cristina. Universidade e formação de professores: qual o peso da formação inicial sobre a construção da identidade profissional docente. NASCIMENTO, AD; HETKOWSKI, T. Memória e formação de professores. Salvador/BA: EDUFBA, p. 219-240, 2007.

DUBAR, Claude et al. A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. 1997.

ESTEVE, J. M. Mudanças sociais e função docente. In: Nóvoa A (ed.) Profissão Professor. 8° edição. Porto Editora: Porto, 2017.

FERNANDES, Catarina Costa. A educação na contemporaneidade: Entre o dito e o feito. Mafra (SC): Editora Nitran, 2018.

FERNANDES, Catarina Costa. Metodologia da Pesquisa em Educação. Mafra: Editora Nitran, 2020.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 10° edição. São Paulo, Cortez, 2013.

MADEIRA, M. C. Representações Sociais e educação: importância teórico- metodológica de uma relação. João Pessoa: Editora Universitária, 2018.

MOROSI, M. V.; FONSECA, A. F.; PEREIRA, I. Educação em Saúde. In: Pereira IB, Lima JCF, organizadores. Dicionário de Educação Profissional em Saúde. Rio de Janeiro: EPSJV; p. 155-162, 2016.

NÓVOA, A. Profissão professor. 2° edição. Porto: Porto Editora, 1995.

OIT, Organização Internacional do Trabalho. Empleo y Condiciones de Trabajo del personal Docente. Ed. OIT: Genebra, 2001.

OLIVEIRA, M. G. Condições de trabalho, gênero e saúde: sofrimento e estresse. Um estudo de caso com os profissionais docentes do ensino superior privado de Belo Horizonte. Dissertação de mestrado. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

OLIVER, Jose. Medicina, saúde e sociedade. Ribeirão Preto: Complexos Gráficos Villimpress, 2017.

PINAFO, E. Relações entre concepções e práticas de educação em saúde na visão de uma equipe de saúde da família. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, pp. 201-221, 2010.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 2° edição. Petrópolis: Vozes, 2008.

Downloads

Published

2023-03-27

How to Cite

de Oliveira, K. L., & Fernandes, C. C. (2023). A profissão docente frente às exigências da sociedade contemporânea: um olhar dirigido à saúde do professor para a prevenção da Síndrome de Burnout. STUDIES IN EDUCATION SCIENCES, 4(1), 118–135. https://doi.org/10.54019/sesv4n1-009