Qual a influência que as fibras de aço e polipropileno e suas hibridizações podem causar em concretos autoadensáveis no estado fresco?

Authors

  • Larissa Marques Cunha Cabral

DOI:

https://doi.org/10.54021/sesv4n1-001

Keywords:

Fibras, concreto autoadensável, aço, polipropileno, sinergia, estado fresco, espalhamento

Abstract

O concreto reforçado com fibras tem sido, ultimamente uma das soluções mais utilizadas nas obras de construção, principalmente para substituição das telas de aço, visto que o custo destes estão altos. Desta forma, o uso de fibras sintéticas com fibras de aço trás propriedades enriquecedoras para o concreto no estado fresco, contudo, altera as propriedades do espalhamento do concreto fresco. Em vista disso, este estudo busca avaliar o comportamento do concreto autoadensável fresco com a adição de fibras de aço e de polipropileno, assim como as suas hibridizações. Para a produção dos concretos, as fibras foram adicionadas em 0,5% em volume em relação ao concreto. As hibridizações das fibras de aço e polipropileno foram: 75% de fibras aço e 25% de fibras polipropileno, 50% de fibras de aço e 50% de fibras de polipropileno, 75% fibras de polipropileno e 25% de fibras de aço. Os ensaios realizados buscaram averiguar as propriedades de espalhamento, a habilidade passante do concreto autoadensável e a sua segregação, a fim de caracterizar o concreto por completo. Assim, esse estudo visa analisar a influência das fibras e a influência da sinergia das fibras no concreto autoadensável com fibras hibridizadas no estado fresco. A utilização de fibras híbridas se mostrou vantajoso para o aumento do espalhamento do concreto, porém no quesito de passar por obstáculos, a hibridização não mostrou melhoras significantes, mas também não apresentou desvantagens claras.

Downloads

Published

2023-01-03

How to Cite

Cabral, L. M. C. (2023). Qual a influência que as fibras de aço e polipropileno e suas hibridizações podem causar em concretos autoadensáveis no estado fresco?. STUDIES IN ENGINEERING AND EXACT SCIENCES, 4(1), 02–12. https://doi.org/10.54021/sesv4n1-001