Armazenamento de sementes de Tabebuia aurea (Silva Manso) Benth. & Hook. F. ex S. Moore

Authors

  • Mozart Duarte Barbosa
  • Marco Antônio Amaral Passos
  • Lucélia Vieira Lima Duarte

DOI:

https://doi.org/10.54020/seasv5n1-003

Keywords:

craibeira, embalagens, germinação, vigor

Abstract

O presente trabalho teve como objetivo avaliar a conservação de sementes de craibeira (Tabebuia aurea (Silva Manso) Benth. & Hook. F. ex S. Moore) em diferentes ambientes de armazenamento e em diferentes embalagens. As sementes de craibeira, oriundas de 20 árvores localizadas na região metropolitana do Recife-PE, após a coleta, foram submetidas à seleção e homogeneização. Estas com 14,94% de água foram acondicionadas nas embalagens saco de papel Kraft, saco de polietileno e em recipiente metálico, em ambiente natural de laboratório (25 °C e 64 % UR), geladeira (5 °C e 49 % UR) e em câmara seca (20 °C e 42 % UR) durante nove meses. O experimento foi instalado em delineamento inteiramente casualizado, em esquema de parcelas subdivididas, com 4 repetições de 25 sementes. A qualidade fisiológica das sementes foi avaliada no início e a cada 30 dias de armazenamento, através da germinação e do vigor (índice de velocidade de germinação (IVG) e comprimento de raiz), determinando-se também o teor de água das sementes. Os resultados permitiram concluir que as sementes se conservaram melhor quando foram acondicionadas em embalagens de papel Kraft ou em recipiente de metálico, em ambiente de câmara seca.

References

AGUIAR, I. B. Avaliação da qualidade fisiológica das sementes florestais. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL: métodos de produção e controle de qualidade de sementes e mudas florestais. 1984, Curitiba, Anais... Curitiba: Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná, 1984. p. 51-64. Impresso.

BENIGNO, G. G. M. Caracterização morfológica e avaliação física e fisiológica de sementes de táxi-branco (Sclerolobium paniculatium Vogel), submetidas a diferentes condições e períodos de armazenamento. 2000. 50 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Faculdade de Ciências Agrárias do Pará, Belém. Impresso.

BRASIL. Regras para análise de sementes / Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. –. Brasília: Mapa/ACS, 2009. 398 p. Disponível em: <https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/insumos-agropecuarios/arquivos-publicacoes-insumos/2946_regras_analise__sementes.

pdf>

CABRAL, E. L. Armazenamento, germinação das unidades de dispersão e crescimento de plantas jovens de Tabebuia aurea (Manso) Benth. & Hook. F. ex. s. Moore, submetidas a estresse hídrico. 2002. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/26360477_Armazenamento_e_germinacao_de_sementes_de_Tabebuia_aurea_manso_Benth_Hook_f_ex_S_Moore>

CARNEIRO, J. G. A.; AGUIAR, I. B. Armazenamento de sementes. In: AGUIAR, I.B. de; PIÑA-RODRIGUES, F.M.C.; FIGLIOLIA, M.B. (Ed.). Sementes florestais. Brasília: ABRATES. 1993. p.333-350. impresso.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. Campinas: Fundação Cargil. 1983. 429p.impresso.

CARVALHO, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília/Colombo: Embrapa Informação Tecnológica & Embrapa Florestas. p. 1-15. 2003. impresso.

DELOUCHE, J. C. et al. Storage of seed in subtropical and tropical region. Seed Science and Technology, Zurich, v.1, n.3, p.671-700, 1973.Disponível emhttps://scholarsjunction.msstate.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1204&context=seedtechpapers>

ELLIS, R. H.; HONG, T.D; ROBERTS, E. H. An intermediate category of seeds storage behaviour? 1. coffee. Journal of Experimental Botany, v.41, p.1167-1174, 1990. Disponível em: <https://academic.oup.com/jxb/article-abstract/41/9/1167/

>

FIGLIOLIA, M. B.; OLIVEIRA, E. C.; PINÃ-RODRIGUES, F.C. M. Análise de sementes. In: AGUIAR, I.B. de; PIÑA-RODRIGUES, F.M.C.; FIGLIOLIA, M.B., (Ed.). Sementes florestais. Brasília: ABRATES, 1993. p.137-174.Disponível em:< https://www.researchgate.net/figure/FIGLIOLIA-MB-OLIVEIRA-EC-PINA-RODRIGUES-FCM-Analise-de-sementes-In-AGUIAR_fig1_300567645>

ISELY, D. Vigor tests. Proc. Assoc. off. Seed Analysts, v. 47, p.82–177, 1957.impresso.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum, 2009. V.2-3, 384p.impresso.

NODARI, R. O. Conservação de frutos e sementes de palmiteiro (Euterpe edulis) sob diferentes condições de armazenamento. Revista Árvore, Viçosa, MG, v.22, n.1, p.1-10, 1998.impresso.

PACHECO, M. V.; MATOS, V.P.; FELICIANO, A.L.P.; FERREIRA, R. L.C. Germinação de sementes e crescimento inicial de plântulas de Tabebuia aurea (Silva Manso) Benth. & Hook f. ex S. Moore. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 18, n. 2, p. 143-150, 2008. Disponível em: <https://periodicos.ufsm.br/cienciaflores

tal/article/view/452>

PINTO, M. M.; SADER, R.; BARBOSA, J. M. influência do tempo de secagem e do armazenamento sobre a viabilidade das sementes de ipê-rosa. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, V.8, p.37-47, 1986.impresso.

POPINIGIS, F. Fisiologia da semente. Brasília, DF.: AGIPLAN, 1977.289 p.

SILVA, A; FIGLIOLIA, M. B.; AGUIAR, I. B. de. Secagem, extração e beneficiamento de sementes. In: AGUIAR, I.B. de; PIÑA-RODRIGUES, F.M.C.; FIGLIOLIA, M.B., (Ed.). Sementes florestais. Brasília: ABRATES, 1993. p.303-331. Impresso.

SANTOS, D. L.; SUGAHARA, V. Y.; TAKAKI, M. Efeitos da luz e da temperatura na germinação de Tabebuia serratifolia (Vahl.) Nich., Tabebuia chrysotricha (Mart. ex Dc.) Standl. e Tabebuia roseo-alba (Ridl.) Sand. – Bignoniaceae. Ciência Florestal, Santa Maria, v.15, n.1, p. 87-92, 2005.Disponível em:< https://periodicos.ufsm.br/cienciaflorestal/article/view/1826>

VIEIRA, R. D.; CARVALHO, M. M. Testes de vigor em sementes. Jaboticabal – SP: FUNEP, 1994. 164p.impresso.

Published

2024-03-08

How to Cite

Barbosa, M. D., Passos, M. A. A., & Duarte, L. V. L. (2024). Armazenamento de sementes de Tabebuia aurea (Silva Manso) Benth. & Hook. F. ex S. Moore. STUDIES IN ENVIRONMENTAL AND ANIMAL SCIENCES, 5(1), e3065. https://doi.org/10.54020/seasv5n1-003