A educação e a teoria do capital humano: um entrelaçamento de perspectivas contemporâneas

Authors

  • Ailton Batista de Albuquerque Junior
  • Fernanda de Magalhães
  • Lara Cristina Evaristo Rodrigues
  • Michele Lemos de Oliveira Sousa Carvalho
  • Valéria Peres Asnis

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n6-027

Keywords:

Capital Humano, Educação, Saúde, Desenvolvimento Econômico

Abstract

A economia considera a educação como uma das dimensões críticas sociais e estratégicas em que as políticas públicas são pautadas para o desenvolvimento e o crescimento econômico, ampliando as liberdades individuais e facilitando a coesão entre grupos ao dirimir as diferenças de status social e desequilíbrios de ordens diversas. Nesse âmbito, o presente estudo discorre sobre a Teoria do Capital Humano, proposta por Theodore W. Schultz (1973), que se concentra em entender como os investimentos em educação e em saúde podem impactar positivamente o desenvolvimento econômico e social, especialmente em países de economia periférica. O autor argumenta que o capital humano, definido como o conjunto de conhecimentos, habilidades e capacidades adquiridas, é um elemento crucial para o crescimento econômico e a melhoria da qualidade de vida. Concernente à metodologia empregada, incluímos uma pesquisa bibliográfica, enfatizando cinco categorias principais para medir o capital humano: recursos de saúde e serviços, treinamento no trabalho, educação formal, programas de estudos para adultos e migração. A pesquisa também considera aspectos quantitativos e qualitativos. Os resultados indicam que o investimento em educação formal, especialmente em países que passaram por crises severas, como o Japão pós-Segunda Guerra Mundial, tem um retorno significativo na economia, aumentando a produtividade e a competitividade. A pesquisa destaca ainda a importância da saúde e do vigor físico e mental para a eficiência industrial e a produção de riqueza material. Em síntese, o estudo conclui que investir em capital humano, através de educação e saúde, é fundamental para o desenvolvimento econômico sustentável. A educação deve ser vista como uma ferramenta essencial para romper o ciclo de subserviência ao status quo, promovendo mobilidade social e distribuição de renda mais equitativa, nesse sentido, é necessário buscar as concepções de uma escola que descortine as verdadeiras relações antagônicas do capital.

References

ACÁCIA, Kuenzer. Ensino de 2ºgrau: O trabalho como princípio educativo. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

DUARTE, Newton (org.). Crítica ao Fetichismo da Individualidade. Campinas: Autores Associados, 2004.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A produtividade da escola improdutiva – um (re) exame das relações entre educação e estrutura econômico-social capitalista. 4. ed. São Paulo: Cortez, 1993.

MARSHALL, Alfred. Princípios de Economia: tratado introdutório. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Gestão democrática da educação: Desafios contemporâneos. Petrópolis, Rj: Vozes, 1997.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre a educação política. 33. ed. Campinas: Autores Associados, 2000.

SCHULTZ, Theodore. O capital humano: investimento em pesquisa e educação. Rio de Janeiro, RJ: Zahar, 1973.

Published

2024-06-03

How to Cite

Albuquerque Junior, A. B. de, Magalhães, F. de, Rodrigues, L. C. E., Carvalho, M. L. de O. S., & Asnis , V. P. (2024). A educação e a teoria do capital humano: um entrelaçamento de perspectivas contemporâneas . Caderno Pedagógico, 21(6), e4692. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n6-027

Issue

Section

Articles