Perfil epidemiológico da toxoplasmose gestacional no estado Ceará, entre o período de 2019 a 2023

Authors

  • Hudson Lonelly Martins Alves de Mesquita
  • Klezer Catunda Martins Filho
  • Ana Clara Linhares
  • Bianca Alves Sanford Frota
  • Renata Almeida Barros
  • Raimundo Edmar Oliveira Neto
  • Denise Maria Sousa Carvalho
  • João Pedro Barreto Ricarte
  • Isadora Coelho Martins
  • Pedro Lucas Oliveira Marques
  • Victor Bezerra Lobo
  • Francisco Elder Veras Leitão Filho
  • Maria Fernanda Bezerra Pereira
  • Danillo Escócio de Souza
  • Rafael Almeida Barros
  • Daniel Martins Evangelista
  • Daniel Lopes Vasconcelos
  • Ana Clara Furtuna Rebouças Leitão
  • Cecília Maria Rodrigues de França

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n6-010

Keywords:

Ceará, Epidemiologia, Toxoplasmose, Gestante, Brasil

Abstract

Introdução: A toxoplasmose é uma doença causada pelo agente etiológico Toxoplasma gondii, um protozoário intracelular obrigatório que apresenta três formas (taquizoítos, bradizoítos e esporozoítas) no seu ciclo evolutivo. Trata-se de uma zoonose (doença transmitida por animais) de alta relevância na saúde pública, devido ao acometimento de mulheres com primo-infecção durante o período gestacional, possibilitando o risco de transmissão vertical e acometimento fetal. Objetivo: Identificar e caracterizar os casos de toxoplasmose gestacional notificados no estado do Ceará, no período de 2019 a 2023. Metodologia: trata-se de um estudo epidemiológico, dos casos de toxoplasmose gestacional notificados ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) ocorridos no estado do Ceará (CE), no período de 2019 a 2023. Resultados e Discussão: Entre os anos de 2019 e 2023 foram notificados 3211 casos de toxoplasmose gestacional no estado do Ceará. O ano de 2023 apresentou a maior prevalência com (n=818 casos; 25,4%), seguido por 2021 (n=756; 23,5%) e 2022 (n=683; 21,2%). Esses três anos representaram 70% de todos os casos no período de estudo. A toxoplasmose apesar de maior prevalência em climas tropicais, possui distribuição mundial e a infecção pela doença estar diretamente ligada ao nível socioeconômico, onde pessoas de menor nível estão sujeitas ao consumo de água não tratada e condições higiênico-sanitárias precárias. Conclusão: Esse trabalho confirma que a toxoplasmose gestacional é uma doença, prevalente durante a gestação de mulheres cearenses, sendo assim, torna-se importante que se tenha um pré-natal mais eficiente tanto na detecção da doença como em seu tratamento.

References

BRASIL, Ministério da Saúde. DATASUS. Tabnet. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2022. Disponível em: <http://www.datasus.saude.gov.br>. Acesso em: 01. abr. 2024.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Gestação de alto risco: manual técnico / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – 5. ed. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Saúde Materno Infantil. Diretriz nacional para a conduta clínica, diagnóstico e tratamento da Toxoplasmose Adquirida na Gestação e Toxoplasmose Congênita. Brasilia: Ministério da Saúde, 2023.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Protocolo de Notificação e Investigação: Toxoplasmose gestacional e congênita [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. – Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

CEARÁ. Secretaria da Saúde do Estado do Ceará. Sociedade Cearense de Ginecologia e Obstetrícia SOCEGO. Nascer no Ceará: condutas assistenciais para a linha de cuidado materno-infantil do estado do Ceará / Organizadores: Liduína de Albuquerque Rocha e Sousa... [et al.]; prefácio Henrique Jorge Javi de Sousa. - Fortaleza: Littere, 2018.

DE SOUSA MELO, F. M; BATISTA FERNANDES OLIVEIRA, H. M; SANTOS DE ARRUDA BARBOSA, V. Perfil sorológico para toxoplasmose em mulheres na idade reprodutiva, Santa Cruz, Rio Grande do Norte: Serological profile of toxoplasmosis among women in reproductive age, Santa Cruz, Rio Grande do Norte. Revista de Saúde Coletiva da UEFS, [S. l.], v. 12, n. 2, p. e7541, 2022. DOI: 10.13102/rscdauefs.v12i2.7541. Disponível em: https://periodicos.uefs.br/index.php/saudecoletiva/article/view/7541. Acesso em: 1 maio. 2024. DOI: https://doi.org/10.13102/rscdauefs.v12i2.7541

DINIZ, E. M. DE A.; VAZ, F. A. C. Qual é a recomendação atual para o tratamento da toxoplasmose congênita? Revista da Associação Médica Brasileira, v. 49, n. 1, p. 10–10, jan. 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-42302003000100016

FEBRASGO, 2017. Toxoplasmose. Disponível em:<https://febrasgo.org.br/pt/noticias/item/185-toxoplasmose>. Acesso em 30, abril, 2024.

FOULON. W; Naessens, A; Derde, MP. Evaluation of the possibilities for preventing congenital toxoplasmosis. Am J Perinatol. 1994; 11:57-62. DOI: https://doi.org/10.1055/s-2007-994537

HUGO JÚLIO DA ROSA, V.; LIMA RODRIGUES, T.; AGUIAR AZEDO, F.; AGUIAR MACEDO, A. L.; PEREIRA RODRIGUES, B. L.; DE OLIVEIRA PROENÇA, R. M.; DA CRUZ ARAÚJO, R. A.; QUEIROZ RABELLO, E. F.; NEGRO VAZ SEFFAIR, L. G.; MENDES CUNHA, P. T.; BELEM GALVÃO, I.; SILVA, J. Perfil epidemiológico da toxoplasmose gestacional no estado do Amazonas: Toxoplasmose gestacional no Amazonas. Brazilian Journal of Implantology and Health Sciences, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 981–991, 2024. DOI: 10.36557/2674-8169.2024v6n1p981-991. Disponível em: https://bjihs.emnuvens.com.br/bjihs/article/view/1250. Acesso em: 1 maio. 2024. DOI: https://doi.org/10.36557/2674-8169.2024v6n1p981-991

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico, prévia da população do Ceará. Rio de Janeiro: IBGE, 2022. Disponível em:<https://ftp.ibge.gov.br/Censos/Censo_Demografico_2022/Previa_da_Populacao/CE_POP2022.pdf>. Acesso em: 30 abr. 2024

MELLO, C, O et al. Perfil epidemiológico da toxoplasmose em gestantes e soroprevalência nacional. Arquivos Catarinenses de Medicina, [S. l.], v. 51, n. 01, p. 71–88, 2022. Disponível em: https://revista.acm.org.br/arquivos/article/view/966. Acesso em: 2 maio. 2024.

PESSANHA, T; Carvalho, M; Pone, MV; et al Diagnostic and therapeutic management of toxoplasmosis in pregnancy and the effect in the newborn. Rev. Paul. Pediatr 2011; 29(3): 341-7. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-05822011000300006

Published

2024-06-03

How to Cite

Mesquita, H. L. M. A. de, Martins Filho, K. C., Linhares, A. C., Frota, B. A. S., Barros, R. A., Oliveira Neto, R. E., Carvalho , D. M. S., Ricarte, J. P. B., Martins, I. C., Marques, P. L. O., Lobo, V. B., Leitão Filho, F. E. V., Pereira, M. F. B., Souza, D. E. de, Barros, R. A., Evangelista, D. M., Vasconcelos , D. L., Leitão, A. C. F. R., & França, C. M. R. de. (2024). Perfil epidemiológico da toxoplasmose gestacional no estado Ceará, entre o período de 2019 a 2023. Caderno Pedagógico, 21(6), e4673. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n6-010

Issue

Section

Articles