Um estudo do desenvolvimento da habilidade oral para além dos diálogos cotidianos, por meio da ferramenta digital Flipgrid

Authors

  • Fabiane Coppo
  • Zenaide de Fátima Dante Correia Rocha
  • Déborah Ferreira Machado
  • João Paulo Camargo de Lima
  • Alcides Goya

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n5-081

Keywords:

Oralidade, Língua Inglesa, Ferramentas Digitais, Flipgrid

Abstract

No estudo do desenvolvimento da habilidade oral temos percebido que o enfoque medular a respeito da oralidade tem sido empregado apenas na comunicação diária em contextos artificiais previamente manipulado pelos professores. Dessa forma, os alunos têm somente a oportunidade de desempenhar uma gama da habilidade oral. Face a essa realidade, observamos a urgência de desenvolver a habilidade oral dos alunos para além das conversas cotidianas. Este artigo tem como objetivo investigar e analisar a subjetividade na habilidade oral, na língua inglesa, dos alunos de duas turmas de nível intermediário, expressa por meio da ferramenta digital Flipgrid, após a leitura crítica do conto literário The old man at the bridge do autor Ernest Hemingway. A expressão da subjetividade do aluno na habilidade oral da Língua Inglesa foi observada neste estudo. O aporte teórico para análise dos dados teve por base a teoria Histórico Cultural de Vygotsky. A metodologia empregada foi de natureza qualitativa com abordagem hermenêutica. Apesar de termos obtido resultados relevantes advindos da expressão subjetiva dos alunos sobre o conto literário, gostaríamos de, em um trabalho futuro, nos aprofundarmos e averiguarmos se, em se tratando do discurso em uma língua estrangeira, há a possibilidade do aluno utilizar um discurso mais próximo do egocêntrico para preparar-se para um discurso oral subjetivo. Contudo, foi possível observar com os resultados, que a expressão da subjetividade dos alunos na habilidade oral da Língua Inglesa acontece significativamente por meio da interação com a ferramenta digital Flipgrid. Acreditamos que as aulas de língua estrangeira precisam ser planejadas para estimular a formação de conceitos e fomentação de ideias subjetivas do aluno, pois assim o discente será impelido a expressar-se sobre a mesma. Este movimento de expressar suas ideias torna o aprendizado sistemático da língua alvo mais atraente configurando uma abordagem mais receptiva para o aluno.

References

ARAÚJO, N. R. R. F. Oratia: Uma Metodologia para Desenvolver e Avaliar a Habilidade Oral na Aprendizagem de Língua Assistida por Dispositivos Móveis. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

AFFSHAR E RAHIMI. Thinking Skills and Creativity. Elsevier, 2016.

BARTHES, R. Le plaisir du texte. Paris: Éditions du Seuil, 1973.

COMPAGNON, A. O mundo. In: O DEMÔNIO DA TEORIA: LITERATURA E SENSO COMUM. Trad. Cleonice Paes Barreto Mourão e Consuelo Fortes Santiago. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

DENZIN, N. K. E LINCOLN, Y. S. A disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, p. 16, 2006.

DÖRNYEI, Z. Research methods in applied linguistics: quantitative, qualitative, and mixed methodologies. Oxford: Oxford University Press, 2007.

GREEN, T. E GREEN, J. Flipgrid: Adding voice and video to online discussions. TechTrends, v. 62, n. 1, p. 128-130, 2018. DOI: https://doi.org/10.1007/s11528-017-0241-x

ISER, W. A interação do texto com o leitor. In: A LITERATURA E O LEITOR. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1979.

KALANTZIS, M. E COPE, B. Learning by design. Melbourne: VSIC, 2005.

MELO, J. F., SILVA, G. M. F., BOMFIM, Z. A. C., SOUZA, I. C., FARIAS JÚNIOR, L. R. Teoria histórico-cultural - Contribuições para a prática psicopedagógica. Revista Psicopedagogia, v. 37, n. 114, set./dez. 2020. DOI: 10.51207/2179-4057.20200029 DOI: https://doi.org/10.51207/2179-4057.20200029

NEL, M E GROSSER, M.M. The relationship between the critical thinking skills and the academic language proficiency of prospective teachers. South African Journal of Education, v. 33, n. 2, 2013. DOI: https://doi.org/10.15700/saje.v33n2a639

PETERSEN, J. B., TOWNSEND, S. D. E ONAKA, N. Utilizing Flipgrid Application on Student Smartphones in a Small-Scale ESL Study. English Language Teaching, v. 13, n. 5, 164-176. DOI: https://doi.org/10.5539/elt.v13n5p164

ROJO, R. Por novos e múltiplos letramentos. Revista Na Ponta do Lápis,v. 12, n. 27, 2016.

SCHAFERSMAN, S. An Introduction to Critical Thinking. iSchool Faculty. Disponível em:htttps://facultycenter.ischool.syr.edu/wp-content/uploads/2012/02/Critical-Thinking.pdf. Acesso em 2016.

SCHROEDER, E. Conceitos espontâneos e conceitos científicos: o processo da construção conceitual em Vygostsky. Atos de Pesquisa em Educação– PPGE/ME FURB, v. 2, n. 2, p. 293-318, maio/ago. 2007. DOI:10.7867/1809-0354.2007v2n2p293-318

VYGOTSKY, S. A Formação Social da Mente. São Paulo: Ed. WMF Martins Fontes, 1998.

VYGOTSKY, S. Pensamento e Linguagem (1896-1934). São Paulo: Ed. Ridendo Castigat Mores, 2008.

YOUSEFI, S. Critical Thinking and Reading Comprehension among Postgraduate Students: The Case of Gender and Language Proficiency Level. Journal of Language Teaching and Research, v. 7, n. 4, pp. 802-807, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.17507/jltr.0704.23. DOI: https://doi.org/10.17507/jltr.0704.23

Published

2024-05-13

How to Cite

Coppo, F., Rocha, Z. de F. D. C., Machado, D. F., Lima, J. P. C. de, & Goya, A. (2024). Um estudo do desenvolvimento da habilidade oral para além dos diálogos cotidianos, por meio da ferramenta digital Flipgrid. Caderno Pedagógico, 21(5), e4252. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n5-081

Issue

Section

Articles