Visões além da tela: desdobramentos existenciais no olhar estudantil

Authors

  • Marcelo Magalhães Foohs

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n5-053

Keywords:

Existencialismo, Análise de Filmes, Resenhas Comparativas, Estratégia Educacional

Abstract

Este estudo exploratório examina o potencial pedagógico de escrever resenhas comparativas entre dois filmes notáveis: O Sétimo Selo (1957), dirigido por Ingmar Bergman, e Big Sur (2013), dirigido por Michael Polish. A seleção dessas obras baseou-se em sua alta qualidade crítica e diversidade de estratégias narrativas para transmitir conceitos existencialistas. O objetivo central é avaliar o impacto da análise comparativa desses filmes, com ênfase nas nuances do existencialismo e técnicas cinematográficas, como uma forma de consolidar a compreensão de conceitos existencialistas e estratégias narrativas intrínsecas ao cinema. A análise confronta as diferenças entre os filmes, estimulando reflexões profundas e envolvimento emocional dos estudantes, contribuindo para a fixação dos conceitos discutidos em sala de aula. Essa abordagem de desconstrução e reconstrução de ideias potencializa uma experiência de aprendizado mais envolvente e memorável. As seções do artigo incluem uma fundamentação teórica sobre existencialismo na mídia, metodologia detalhada, apresentação e discussão dos resultados, e uma conclusão que resume as descobertas e aponta direções para futuras pesquisas. Os resultados sugerem que a abordagem de resenhas é uma estratégia eficaz para o ensino de conceitos filosóficos complexos, aplicável em diferentes contextos educacionais. A análise comparativa pode auxiliar estudantes e pesquisadores a desenvolver habilidades críticas e reflexivas essenciais para compreender os desafios da condição humana. Além disso, a metodologia pode expandir a compreensão sobre a relação entre cinema, filosofia e sociedade, permitindo uma abordagem interdisciplinar. O estudo oferece contribuições significativas para academia e sociedade, mostrando como a análise comparativa pode servir como um instrumento pedagógico para explorar a interseção entre filosofia e arte. Em suma, o estudo ressalta o potencial educativo da análise comparativa de filmes para o ensino de conceitos existencialistas, promovendo uma compreensão mais profunda de temas complexos e incentivando investigações futuras em áreas correlatas.

References

BACCEGA, Maria Aparecida. Comunicação/educação e a construção de nova variável histórica. Comunicação & Educação, [S. l.], v. 14, n. 3, p. 19-28, 2009. DOI: https://10.11606/issn.2316-9125.v14i3p19-28. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/43579. Acesso em: 26 dez. 2023.

BERGMAN, Ingmar. (Diretor). O Sétimo Selo [Filme]. Suécia: Svensk Filmindustri, 1957.

GERBASE, Carlos. Primeiro filme: descobrindo, fazendo, pensando. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2013. ISBN 978-85- 7421-102-2.

HALL, Stuart. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2003.

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. Petrópolis: Vozes, 1927.

MEAD, George Herbert. Mind, self, and society: from the standpoint of a social behaviorist. Chicago: University of Chicago Press, 1934.

POLISH, Michael. (Diretor). Big Sur [Filme]. Estados Unidos: 3311 Productions, 2013.

SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada: Ensaio de uma ontologia fenomenológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1943.

Published

2024-05-09

How to Cite

Foohs, M. M. (2024). Visões além da tela: desdobramentos existenciais no olhar estudantil. Caderno Pedagógico, 21(5), e4206. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n5-053

Issue

Section

Articles