Compreensão de professoras da educação infantil sobre qualidade de vida e autocuidado

Authors

  • Maria Deusimar Rios Gomes
  • Luiza Jane Eyre de Souza Vieira
  • Raimunda Magalhães da Silva
  • Fernanda Veras Vieira Feitosa
  • Ana Alyne Barreto Felix
  • Maria Alice Freitas Santos

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n5-207

Keywords:

Qualidade de Vida, Autocuidado, Professor, Educação Infantil

Abstract

O artigo analisa a compreensão das professoras da educação infantil sobre qualidade de vida e autocuidado. Trata-se de estudo exploratório, qualitativo, com a participação de 20 professoras de um Centro de Educação Infantil, em Fortaleza, Ceará, Brasil. Na coleta de dados, utilizou-se roteiro com informações sociodemográficas e entrevista semiestruturada com tópicos sobre abordagem geral da docência, qualidade de vida e autocuidado. Para a análise do material empírico, adotou-se a técnica de análise de conteúdo na modalidade temática, entrecruzando similaridades e dissensos textuais, as categorias centrais convergiram para as temáticas – compreensão acerca da qualidade de vida e estratégias de autocuidado – que orientam a discussão e interpretação. Os resultados concentram-se na sobrecarga de trabalho dessas professoras, na fragilidade dos vínculos de trabalho com contratos temporários, na escassez de tempo para dedicarem-se a si próprias e para conviverem com a família. As sobreposições de fatores impactam diretamente na qualidade de vida e comprometem a efetivação do autocuidado. As professoras mencionam a utilização de arteterapia, canto, meditação, dança, entre outras estratégias, como formas de regularem suas emoções diante de situações adversas no ambiente profissional e nas dinâmicas da vida pessoal. Cuidar de si, do outro e usufruir um bem-estar para lidar com as dinâmicas pessoais, familiares e profissionais são anseios de professoras da educação infantil. Depreende-se que os resultados reforçam a urgência de articulações entre professores e gestores municipais sobre a necessidade de o tema ser abordado e debatido como pauta contínua na qualificação do cuidado e melhorar a qualidade de vida.

References

AGYAPONG, B. et al. Stress, burnout, anxiety and depression among teachers: a scoping review. International journal of environmental research and public health, Basel, v. 29, n. 17, p. 10706, ago. 2022. Disponível: https://doi.org/10.3390/ijerph191710706. Acesso em: 12 mar. 2023. DOI: https://doi.org/10.3390/ijerph191710706

BARBOSA, A. et al. Tempo de trabalho e de ensino: composição da jornada de trabalho dos professores paulistas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 47, e235807, dez. 2021. Disponível: https://doi.org/10.1590/S1678-4634202147235807. Acesso em: 10 set. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/s1678-4634202147235807

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n. 12, seção 1, p. 59, 13 jun. 2012. Disponível em: http://bit.ly/1mTMIS3. Acesso em: 29 set. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2018.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018. Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Brasília, DF: Presidência da República, 2018. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/lei/L13709.htm. Acesso em: 09 maio 2023.

CECCON, R. F. et al. Atenção Primária em Saúde no cuidado ao idoso dependente e ao seu cuidador. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 26, n. 1, p. 99-108, jan. 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232020261.30382020. Acesso em: 10 set. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232020261.30382020

CORDEIRO, F. A.V.; FRIEDE, R. R.; MIRANDA, M. G. Educação em direitos humanos na perspectiva de docentes da rede pública do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 28, 2023. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782023280019. Acesso em: 20 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-24782023280019

DINIZ, L. F. et al. Reflexões sobre o ensino remoto emergencial e saúde mental de professores da rede pública. Research, Society and Development, Vargem Grande Paulista, v. 11, n. 7, 2022. Disponível em: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v11i7.30201. Acesso em: 27 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.30201

FARIAS, I. M. S. et al. O trabalho didático do professor: entre disputas, resistências e possibilidades. Perspectiva, Florianópolis, v. 40, n. 3, p. 1-17, 2022. Disponível em: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2022.e86797. Acesso em: 05 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2022.e86797

FERREIRA, E. C.; PEZUK, J. A. Síndrome de Burnout: um olhar para o esgotamento profissional do docente universitário. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas, v. 26, n. 02, p. 483-502, 2021. Disponível: https://doi.org/10.1590/S1414-40772021000200008. Acesso em: 12 jun. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/s1414-40772021000200008

FERREIRA, L. L. Lições de professores sobre suas alegrias e dores no trabalho. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 35, 2019. https://doi.org/10.1590/0102-311X00049018. Acesso em: 12 jun. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00049018

FORTALEZA. Prefeitura Municipal de Fortaleza. Secretaria Municipal da Educação. Sistema de Gestão de Pessoas. Fortaleza, [2023]. Banco de servidores municipais. Disponível em: https://sgp.sme.fortaleza.ce.

gov.br/rh/login.jsf. Acesso em: 27 set. 2023.

FRANÇA, L. C. M. et al. Espiritualidade e religiosidade para universitários: uma revisão de literatura. Enfermagem Brasil, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 258-274, 2023. Disponível em: https://doi.org/10.33233/eb.v22i2.5462. Acesso: 27 de out. 2023. DOI: https://doi.org/10.33233/eb.v22i2.5315

FRITZ, M.; PEIXOTO, M. C. O. O estresse ocupacional docente e suas consequências à saúde. Revista Contexto & Educação, Ijuí, v. 37, n. 117, p. 85-95, 2022. Disponível: https://doi.org/10.21527/2179-1309.2022.117.12872. Acesso em: 15 jun. 2023. DOI: https://doi.org/10.21527/2179-1309.2022.117.12872

GOLEMAN, D. Inteligência emocional: a teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.

GOMES, H. L. M. et al. Enfrentamento, dificuldades e práticas de autocuidado de pacientes com doença renal crônica submetidos à diálise peritoneal. Revista Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 1-12, 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.33159/25959484.repen.2019v30a1. Acesso em: 27 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.33159/25959484.repen.2019v30a1

LIMA, E. N. O sofrimento psíquico em professores dos anos iniciais do ensino fundamental de Fortaleza. 2019. 99 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Educação) – Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2019.

MACHADO, R. B. et al. Educação física escolar em tempos de distanciamento social: panorama, desafios e enfrentamentos curriculares. Movimento, Porto Alegre, v. 26, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.22456/1982-8918.106233. Acesso em: 27 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.106233

MINAYO, M. C. de S.; HARTZ, Z. M. de A.; BUSS, P. M. Qualidade de vida e saúde: um debate necessário. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 7–18, 2000. Disponível: https://doi.org/10.1590/S1413-81232000000100002. Acesso em: 18 set. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232000000100002

MINAYO, M. C. S.; DESLANDES, S. F.; GOMES, R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 33. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

NOBRE, C. S. et al. Fatores associados à violência interpessoal entre crianças de escolas públicas de Fortaleza, Ceará, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, p. 4299-4309, 2018. Disponível em: https://doi.org/10. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-812320182312.29222016

/1413-812320182312.29222016. Acesso em: 27 out. 2023

NÓVOA, A. Os Professores e a sua formação num tempo de metamorfose da escola. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 44, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2175-623684910. Acesso em: 27 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-623684910

NÓVOA, A. Conhecimento profissional docente e formação de professores. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v.27, e270129, 2022. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782022270129. Acesso em: 27 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-24782022270129

OLIVEIRA, C. P. et al. O cuidado espiritual realizado em uma unidade de internação em adição. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 41, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2020.20190121. Acesso em: 27 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2020.20190121

ORGANIZACIÓN MUNDIAL DE LA SALUD (OMS). Promoción de la salud: glosario. Genebra: OMS, 1998. Disponível em: https://recs.es/wp-content/uploads/2017/05/glosario.-promocion-de-la-salud.pdf. Acesso em: 19 set. 2023

PEINADO-RODRÍGUEZ, M. Una educación infantil sin maestros: igualdad versus desequilibrio. Revista Colombiana de Educación, Colombia, v. 86, p. 153-170, 2022. Disponível em: https://doi.org/10.17227/rce.num86-12366. Acesso: 28 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.17227/rce.num86-12366

PENTEADO, R. Z.; SOUZA, S. Mal-estar, sofrimento e adoecimento do professor: de narrativas do trabalho e da cultura docente à docência como profissão. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 28, n. 1, p.135-153, jan., 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-12902019180304. Acesso em: 12 jul. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/s0104-12902019180304

RATANASIRIPONG, P. et al. Mental health and burnout among teachers in Thailand. Journal of Health Research, Bangcoc, v. 36, n. 3, p. 404-416, 2021. Disponível: https://doi.org/10.1108/JHR-05-2020-0181. Acesso em: 20 jul. 2023. DOI: https://doi.org/10.1108/JHR-05-2020-0181

RIBEIRO, K. G.; AGUIAR, J. B. de; ANDRADE, L. O. M. de. Determinantes sociais da saúde: o instituído constitucional no Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, Fortaleza, v. 31, n. 4, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.5020/18061230.2018.8778. Acesso em: 4 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2018.8778

RIBEIRO, L. S. et al. Espiritualidade no ensino: a perspectiva dos discentes de uma universidade pública da área da saúde. Educação, Belo Horizonte, v. 26, n. 1, p. 1-24, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.5902/1984644443450. Acesso em: 28 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.5902/1984644443450

SANTOS, E. C.; ESPINOSA, M. M; MARCON, S. R. Qualidade de vida, saúde e trabalho de professores do ensino fundamental. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 33, eAPE20180286, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.37689/acta-ape/2020AO0286. Acesso em: 28 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.37689/acta-ape/2020AO0286

SILVA, J. P.; FISCHER, F. M. Invasão multiforme da vida pelo trabalho entre professores de educação básica e repercussões sobre a saúde. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 54, n. 3, 2020. Disponível em: https://doi.org/

11606/s1518-8787.2020054001547. Acesso em: 25 ago. 2023.

VIDAL-CONTI, J. et al. Knowledge of low back pain among primary school teachers. International Journal of Environmental Research and Public Health, Londres, v. 18, n. 21, p. 11306, 2021. Disponível: https://doi.org/10.3390/ijerph182111306. Acesso em: 07 jul. 2023. DOI: https://doi.org/10.3390/ijerph182111306

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO); INTERNATIONAL LABOUR ORGANIZATION (ILO). Joint estimates of the work-related burden of disease and injury, 2000-2016: global monitoring report. Geneva: WHO-ILO, 2021. E-book. Disponível: https://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---ed_dialogue/---lab_admin/documents/publication/wcms_819788.pdf. Acesso em: 15 jul. 2023.

Published

2024-05-27

How to Cite

Gomes, M. D. R., Vieira, L. J. E. de S., Silva, R. M. da, Feitosa, F. V. V., Felix, A. A. B., & Santos, M. A. F. (2024). Compreensão de professoras da educação infantil sobre qualidade de vida e autocuidado. Caderno Pedagógico, 21(5), e4182 . https://doi.org/10.54033/cadpedv21n5-207

Issue

Section

Articles