Desafios de estudantes de baixa renda na educação superior pública

Authors

  • Eduardo Lemgruber do Valle Clem
  • Jóice Macedo Vinhal
  • Maria Inês Gandolfo Conceição

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n5-045

Keywords:

Educação Superior, Assistência Estudantil, Cartografia, Promoção de Saúde

Abstract

Desde as primeiras iniciativas nas décadas de 1940 até a promulgação da Lei de Cotas em 2012, as políticas de ações afirmativas têm evoluído, trazendo consigo um aumento significativo na diversidade do corpo discente. No entanto, a simples entrada na universidade não é suficiente; é essencial garantir políticas efetivas de permanência e assistência estudantil para que esses indivíduos possam não só ingressar, mas também concluir seus cursos com sucesso, fomentando um ambiente acadêmico inclusivo e acolhedor. O objetivo deste artigo é tecer novos diálogos e refletir sobre os desafios enfrentados por estudantes de baixa renda na sua permanência na Educação Superior Pública brasileira. Para tanto, é traçado um percurso metodológico pautado pela Cartografia, em que se preza pela articulação da investigação e intervenção na direção da construção de um diálogo buscando conhecer a realidade dos estudantes de baixa renda amparados por políticas de Assistência Estudantil. O dispositivo utilizado para coleta de dados foi a roda de conversa. Participaram da pesquisa oito estudantes moradores da Casa do Estudante de uma Universidade Pública Brasileira, e dois pesquisadores, servidores da instituição. Os dados apontaram que os Programas de Assistência Estudantil são importantes para favorecer a permanência dos alunos, mas que outros aspectos assinalados pelos participantes transcendem a vulnerabilidade socioeconômica e assinalam para questões relacionadas ao sentimento de pertença em relação ao meio acadêmico, a saúde mental, as relações estabelecidas com a instituição, docentes, servidores e pares, práticas de ensino, transporte. Tais aspectos evidenciam a necessidade de uma democratização da educação superior que, além de promover acesso aos estudos, ofereça condições de permanência e propicie o desenvolvimento humano.

References

AMORIM, A. K. de M. A.; SEVERO, A. K. de S.; ROMAGNOL, R. C. Cartografia de um grupo-pensamento em saúde mental: experimentações rizomáticas no que a vida pode mais. Physis Revista de Saúde Coletiva, v. 25, n. 2, p. 657-678, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73312015000200017

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 1989.

CLEM, E. L. do V. Não está tudo bem: desafios de estudantes de baixa renda na conquista de seu lugar na educação superior pública. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura) – Universidade de Brasília, Brasília, 2020.

DUNKER, C. Mal-estar, sofrimento e sintoma. Uma patologia do Brasil entre muros. São Paulo: Boitempo, 2015.

GUATTARI, F. Psychoanalysis and transversality: texts and interviews 1955-1971. Semiotext(e) / Foreign Agents, 2015.

GUARNIERI, F. V.; MELO-SILVA, L. L. Cotas universitárias no Brasil: análise de uma década de produção científica. Psicologia Escolar e Educacional, v. 21, n. 2, p. 183-193, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-3539201702121100

MAIO, M. C.; SANTOS, R. V. Política de cotas raciais, os “olhos da sociedade” e os usos da antropologia: o caso do vestibular da Universidade de Brasília (UnB). Horizontes Antropológicos, v. 11, n. 23, p. 181-214, jan./jun. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-71832005000100011

MELLO, A. L. S. F. de; MOYSÉS, S. T.; MOYSÉS, S. J.. A universidade promotora de saúde e as mudanças na formação profissional. Interface, Comunicação Saúde Educação, v. 14, n. 34, p. 683-692, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-32832010005000017

OLIVEIRA, E. de S. L. de. Acesso e permanência de estudantes cotistas na Universidade de Brasília: estratégias para democratização da educação superior. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2019.

SILVA, H. C. X. da; OLIVEIRA, M. A. de; FERNANDES, M. C. da S. G. Adaptação à universidade: dificuldades e estratégias de permanência de estudantes oriundos de escola pública. In: SOUSA, J. V. de; BOTELHO, A. de F.; GRIBOSKI, C. M. (Orgs.). Acesso e permanência na expansão da educação superior. Anápolis: UEG, 2018. p. 192-204.

Published

2024-05-08

How to Cite

Clem, E. L. do V., Vinhal, J. M., & Conceição, M. I. G. (2024). Desafios de estudantes de baixa renda na educação superior pública. Caderno Pedagógico, 21(5), e4178. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n5-045

Issue

Section

Articles