Saúde ambiental em uma universidade pública: diagnóstico situacional de técnicos administrativos em educação

Authors

  • Antonio Jose dos Santos
  • Jailton de Jesus Costa
  • Robson Andrade de Jesus
  • Gênisson Lima de Almeida
  • Cristiane Neyre Almeida de Jesus
  • Joyce Dalline Silva Andrade
  • Iuri Oliveira dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n5-023

Keywords:

Gestão Pública, Saúde Ambiental, Servidor Público, Sistema Único de Saúde

Abstract

A saúde ambiental engloba a interação entre os seres humanos e o ambiente no qual residem e desempenham suas atividades laborais. Neste contexto, este artigo tem como objetivo analisar as percepções dos servidores técnicos administrativos da Universidade Federal de Sergipe, Cidade Universitária Professor José Aloísio de Campos, localizada em São Cristóvão/SE, com relação à saúde ambiental à luz de uma política institucional permanente. Para tanto, adotou-se uma abordagem quanti-qualitativa, provenientes técnicas da estatística descritiva e de associações entre variáveis categóricas nominais, por meio de um questionário composto por dezessete questões abertas e fechadas, além de visitas in loco nas repartições de trabalho em que os participantes desenvolvem suas atividades laborais. Obteve-se uma amostra de cento e sessenta e oito (168) questionários, equivalente a um grau de confiança de 90%, com a margem de erro de 5,86%, resultando em uma amostra significativa e representativa da população. Para a aplicação dos questionários, levou-se em considerações questões éticas, respeitando a disponibilidade de horário de todos os participantes, de forma a não comprometer as atividades individuais em seus ambientes de trabalho. Dentre os resultados, destaca-se a importância de cuidar da saúde dos trabalhadores como meio de garantir condições favoráveis para o desempenho de suas atividades no local de trabalho e para promover sua longevidade. Os participantes avaliaram como pertinente a aprovação de uma norma/resolução que regulamenta a Política Interna Permanente quanto à saúde dos servidores com 47%, seguido de muito bom com 26%, bom com 21% e desnecessário com 6%. Conclui-se, assim, que as condições do ambiente devem ser consideradas pelos gestores, pois representam os requisitos mínimos para a realização saudável de atividades individuais ou em grupo.

References

ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar. ANS define limite para o reajuste dos planos individuais e familiares.

Boletim Sou Ciência - Boletim do Centro de Estudos Sociedade, Universidade e Ciência. Os investimentos em infraestrutura e o futuro da educação superior pública federal no Brasil: uma análise dos últimos 23 anos. – São Paulo: SoU_Ciência, v. 1 n.02, nov. 2023

BOLFARINE, H. BUSSAB, W. O., (2005). Estatística Básica. Saraiva.

BRASIL. Decreto-lei nº 269, de 28 de fevereiro de 1967. Autoriza o Poder Executivo a instituir a Fundação Universidade Federal de Sergipe e dá outras providências.

BRASÍLIA/BRASIL. Ministério da Saúde. Caderno temático do Programa Saúde na Escola: saúde ambiental / Ministério da Saúde, Ministério da Educação. – Brasília: Ministério da Saúde, 2022. 42 p.

CASTRO, M. C. et al. Brazil’s unified health system: the first 30 years and prospects for the future. The Lancet, v. 394, n. 10195, p. 345–356, 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(19)31243-7

CRUZ, Julia Silva da. Ações na saúde ambiental para a redução de riscos à saúde humana. Orientadora: Isabelle Maria Mendes de Araújo. 2023. 26 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Tecnologia em Gestão Hospitalar) - Escola de Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2023.

ESPINOSA, M; M.; REZENDE, A. C.; CASTELO, L. M.; MOURA, M. V. D. Uma medida empírica para reduzir o orçamento no planejamento de amostragem simples e estratificada causada pela ausência de resposta. Sigmae, v. 2, pág. 722–727, 2019.

FREITAS, F. Z. et al. Repercussões laborais no autocuidado em saúde de bombeiros militares brasileiros. Enfermería Actual de Costa Rica, n. 45, 2023. DOI: https://doi.org/10.15517/enferm.actual.cr.i45.51713

FRIEDRICH, D. I. Práticas Integrativas e Complementares como recurso de saúde mental no cenário brasileiro: uma revisão integrativa. Dissertação (Mestrado Profissional em Saúde Mental e Atenção Psicossocial) – Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal de Santa Catarina, 2022, 64p.

IVANCKO, G. M.; et al. Estratégia saúde da família e vigilância em saúde: conhecimento de médicos de família e comunidade sobre vigilância sanitária, vigilância em saúde ambiental e vigilância em saúde do trabalhador. Rev. Bras. Med. Fam. Comunidade. Rio de Janeiro, 2021, Jan-Dez, 16(43), p. 1-14. DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc16(43)2733

LEITE, J. C.; CARMO, T. Metodologia Mista. In: Carlos Alberto de Oliveira Magalhães Júnior, Michel Corci Batista (Orgs) - Metodologia da pesquisa em educação e ensino de ciências. 1. ed. -- Maringá, PR : Gráfica e Editora Massoni, 2021.

MILDENBERG, R.; PAES, M. R.; SANTOS, B. A.; DALMOLIN, I. S.; BRUSAMARELLO, T. Práticas Integrativas e Complementares na atuação dos enfermeiros da Atenção Primária à Saúde. Escola Anna Nery, p. 1-8, 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2022-0074pt

OLIVEIRA, S. M. A. Administração pública e diretrizes curriculares da educação ambiental: processos de ambientalização na Universidade Federal de Sergipe. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2022, 208f.

OLIVEIRA, I. P.; MAZZARINO, J.; LIMA, L. C. Ambientalização no ensino superior: análise integrativa de publicações na área da saúde. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 11, n. 00, p. e025007, 2023. DOI: https://doi.org/10.20396/riesup.v11i00.8668055

SASSI, G. P. Introdução à estatística descritiva. 2019.

UFS em Número (2023). Universidade Federal de Sergipe, 2023.

Published

2024-05-03

How to Cite

Santos, A. J. dos, Costa, J. de J., Jesus, R. A. de, Almeida, G. L. de, Jesus, C. N. A. de, Andrade, J. D. S., & Santos, I. O. dos. (2024). Saúde ambiental em uma universidade pública: diagnóstico situacional de técnicos administrativos em educação. Caderno Pedagógico, 21(5), e4101. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n5-023

Issue

Section

Articles