O processo civilizador e educação a distância: reflexões sobre as mudanças sociais na atualidade

Authors

  • Patricia Lakchmi Leite Mertzig
  • Renata Oliveira dos Santos
  • Taissa Vieira Lozano Burci
  • Camila Tecla Mortean Mendonça
  • Silvia Eliane de Oliveira Basso
  • Maria Luisa Furlan Costa
  • Dayane Horwat Imbriani de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-231

Keywords:

Educação a Distância, Norbert Elias, Sociedade de Corte, Processo Civilizador, Ensino Superior

Abstract

O presente artigo visa a pensar sobre os motivos que levam alguns indivíduos a buscarem um conhecimento formal por meio da Educação a Distância (EaD) em relação ao ensino presencial. Essa modalidade de aprendizagem, que, atualmente, conta com o uso das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC), tem conquistado um espaço cada vez mais significativo nas relações de ensino e aprendizagem, firmando-se como uma alternativa inclusiva no Brasil. Para tanto, a reflexão será norteada a partir da observação do processo civilizador defendido por Norbert Elias (1993; 2001; 2011), no qual o autor apresenta a sociedade de corte, na Idade Moderna, como fruto de uma mudança de comportamentos sociais. O que se pretende, neste trabalho, é traçar possíveis relações existentes na mudança de comportamento observada na sociedade de corte, bem como a função da escola e da universidade no período, com o intuito de compará-la ao ensino ofertado pela modalidade de Educação a Distância, como fruto de uma transformação do comportamento na sociedade contemporânea. Para tanto, a pesquisa utiliza abordagem teórica e documental, quando observa o quantitativo de estudantes da EaD por meio do censo de 2022. O texto apresenta a sociedade de corte, bem como seu espaço escolar e universitário, a partir dos conceitos de sociogênese e psicogênese propostos por Elias (2011). Na sequência, observa a sociedade atual e a EaD e relaciona esta às mudanças sociais tal qual ocorreu no período anterior. Conclui que a abordagem de Elias contribui para refletir sobre novos padrões de comportamento em relação ao acesso ao conhecimento por meio da EaD, que, assim como na sociedade de corte, o momento atual entende que aceitar um novo hábito de viver requer do indivíduo uma mudança de mentalidade.

References

ARNAUT DE TOLEDO, César de Alencar. Civilidade, Puerilidade e Educação. In: MACHADO, Maria Cristina Gomes; OLIVEIRA, Terezinha (org.). Educação na História. São Luís, MA: Editora UEMA, 2008.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Censo da Educação Superior 2022: notas estatísticas. Brasília, DF: INEP, 2022. Disponível em: https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/pesquisas-estatisticas-e-indicadores/censo-da-educacao-superior/resultados. Acesso em: 29 fev. 2024.

BURK, Peter. História e teoria social. 3. ed. São Paulo, SP: Editora da Unesp, 2012.

COSTA, Célio Juvenal; MENEZES, Sezinando Luiz. Norbert Elias e a teoria dos processos civilizadores. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 53, p. 238-262, 2013. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640203. Acesso em: 29 fev. 2024.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: formação do Estado e civilização. Volume 2. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar Ed., 1993.

ELIAS, Norbert. A sociedade de corte. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar Ed., 2001.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes. Volume 1. 2. ed. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar Ed., 2011.

HORTA, José Silvério Baia. A pesquisa e o ensino de história da educação no Brasil: onde fica a política? In: SIMÕES, Regina Helena Silva Simões; GONDRA, José Gonçalves (org.). Invenções, tradições e escritas da História da Educação. Vitória, ES: EDUFES, 2012.

LÉVY, Pierre. O que é virtual? São Paulo, SP: Editora 34, 2011.

MANACORDA, Mario Alighiero. História da Educação: da Antiguidade aos nossos dias. 12. ed. São Paulo, SP: Cortez Editora, 2006.

NISKIER, Arnaldo. Filosofia da Educação: uma visão crítica. São Paulo, SP: Edições Loyola, 2001.

OLIVEIRA, Patrícia Mertzig Gonçalves de; COSTA, Maria Luisa Furlan. Mapeamento da Pesquisa em Educação Musical a Distância no Brasil. Curitiba, PR: CRV, 2018.

REIS, José Carlos. Os Annales: a renovação Teórico-Metodológica e “Utópica” da história pela reconstrução do tempo histórico. In: SAVIANI, Dermeval; LOMBARDI, José Claudinei; SANFELICE, José Luis (org.). História e História da Educação. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR, 2006.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Universidade no Século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade. São Paulo, SP: Cortez, 2011.

SANTOS, Renata Oliveira dos. Políticas públicas de educação e as tecnologias digitais: o (re)pensar do Ensino Superior no século XXI. 2022. 286 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2022.

SÃO VÍTOR, Hugo de. Didascalicon: da arte de ler. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2001.

SARAIVA, Karla. Educação a Distância: outros tempos, outros espaços. Ponta Grossa, PR: Editora UEPG, 2010.

VERGER, Jacques. Cultura, ensino e sociedade no Ocidente nos séculos XII e XIII. Tradução de Viviane Ribeiro. Bauru, SP: Edusc, 2001.

Published

2024-03-29

How to Cite

Mertzig, P. L. L., Santos, R. O. dos, Burci , T. V. L., Mendonça, C. T. M., Basso, S. E. de O., Costa, M. L. F., & Oliveira, D. H. I. de. (2024). O processo civilizador e educação a distância: reflexões sobre as mudanças sociais na atualidade. Caderno Pedagógico, 21(3), e3513. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-231

Issue

Section

Articles