Crianças e adolescentes: olhar sobre a pobreza, a qualidade de vida e o bem-estar subjetivo

Authors

  • Elizabete Aparecida Bragatto Abate
  • Tania Stoltz
  • Marlene Schüssler D’Aroz
  • Araci Asinelli-Luz
  • Alessandra Sant’Anna Bianchi

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-203

Keywords:

Infância, Adolescência, Condições de Vida, Pobreza, Resiliência

Abstract

Acredita-se que a posição do indivíduo na vida, especialmente no contexto cultural e nos sistemas de valores, define a sua qualidade de vida e bem-estar. Investigou-se a qualidade de vida e o bem-estar subjetivo de crianças e adolescentes entre 10 e 12 anos, socioeconomicamente desfavorecidos, e a sua percepção de pobreza. Trata-se de estudo Quanti-Quali, utilizando o questionário Kidscreen-52 e entrevista acerca do entendimento sobre pobreza. Realizou-se análise estatística descritiva (quantitativo) e foram criadas categorias considerando as entrevistas (qualitativo). Nos resultados do Kidscreen-52, as dimensões sentimentos e auto percepção tiveram as maiores pontuações, indicando bons sentimentos e satisfação em relação a si mesmos. Em contrapartida, a dimensão estado emocional teve o menor valor,  sendo maior apenas que aspectos financeiros. Ainda assim, os resultados mostram que os participantes quase sempre estão bem emocionalmente, embora o desvio padrão elevado indique uma oscilação importante na amostra, uma vez que o menor resultado está relacionado com o sentimento de tristeza. Quanto à percepção de pobreza, foram encontradas três categorias: a aparência exterior determina a condição financeira ou de vida; a identificação com o outro está relacionada à aparência externa e o consumo diferencia o rico do pobre. Os participantes avaliaram as situações de pobreza e riqueza, considerando suas impressões do mundo, algumas vezes, movidos por estereótipos e, outras, pela própria observação das condições de vida, as quais estão submetidos; conseguem visualizar situações positivas em suas vidas, como o convívio com os pais e o sustento atendido por eles, observando-os como principal meio para conquistar aquilo que desejam. Concluiu-se que a qualidade de vida e o bem-estar subjetivo de crianças e adolescentes estão relacionados à percepção da pobreza, sendo necessário um novo olhar que valorize os aspectos físicos, econômicos e psicológicos, baseado na percepção dos próprios protagonistas.

References

Alves, M.A.R.; Pinto, G.M.C.; Pinto, M.H.B.; Pedroso, B. (2019). Um levantamento quantitativo da utilização do instrumento kidscreen na avaliação da qualidade de vida de crianças: uma revisão na produção científica utilizando a base de dados scopus. Revista Interdisciplinar de Estudos em Saúde da UNIARP. v.9, n.2 (18). ISSN: 2238-832X.

Borges, L.S.; Alencar, H.M. (2015). Violence in the brazilian scenario: risk factors of adolescents facing a contemporary reality. Journal of Human Growth and Development, 25(2), 194-203. https://doi.org/10.7322/jhgd.103015

Brasil. Ministério da Cidadania. Desenvolvimento Social. (2004). Programa Bolsa Família. Lei nº 10.836, de 9 de janeiro de 2004. https://www.gov.br/cidadania/pt-br/acesso-a-informacao/carta-de-servicos/desenvolvimento-social/bolsa-familia-1

Buss, J.; Stoltz, T. (2020). Percepções de crianças sobre padrões de beleza. Psicologia Escolar e Educacional. V. 24. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2175-35392020210192

Casas, F.; Artamendi F. S.; Montserrat, C.; Bravo, A.; Bertrán, J.; Valle, J. F del. (2018). El bienestar subjetivo en la adolescencia: Estudio comparativo de dos Comunidades Autónomasen España. Anales de psicología, 2013, vol. 29, nº 1 (enero), 148-158. http://dx.doi.org/10.6018/analesps.29.1.145281.

Dantas, J.C.; Carvalho, D.F.; Pedraza, D.F.; Medeiros, C.C.M. (2020). Qualidade de vida relacionada à saúde de adolescentes com excesso de peso. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo. v. 14. n. 85. p.241-250. ISSN 1981- 9919.

Delval, J. (2002). Introdução à prática do Método Clínico: descobrindo o pensamento das crianças. Artmed.

Diogo, F. (2018). A pobreza infantil e o rendimento social de inserção em Portugal: o mesmo problema, tendências distintas. Sociologia, problemas e práticas, n.º 87, pp. 71-86. doi:10.7458/spp20188711726.

Fialho, L.M.F.; Amorim, J.B.C. (2020). Abandono escolar, pobreza e fome: biografia de um jovem negligenciado. Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 26, p. 1-19. DOI 10.26512/lc.v26.2020.31794.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa (3a ed.). Artmed.

Gaspar, T.; Matos, M. G. (coord.). (2008). Qualidade de vida em crianças e adolescentes. Versão Portuguesa dos Instrumentos Kidscreen-52. Quebrada: Aventura Social e Saúde.

Gaspar. T.; Balancho, L. (2017). Fatores pessoais e sociais que influenciam o bem-estar subjetivo: diferenças ligadas estatuto socioeconômico. Ciência & Saúde Coletiva, 22 (4), 1373-1380. https://doi.org/10.1590/1413-81232017224.07652015

Guedes, D. P.; Guedes, J. E. R. P. (2011). Tradução, adaptação transcultural e propriedades psicométricas do kidscreen-52 para a população brasileira. Rev Paul Pediatr., 29(3), 364-71. https://doi.org/101590/S0103-05822011000300010.

Krug, E.G.; Dahlberg, L.L.; Mercy, J.A.; Zwi, A.B.; Lozano, R. (2002). World report on violence and health. Geneva, World Health Organization. ISBN 92 4 154561 5. https://opas.org.br/relatorio-mundial-sobre-violencia-e-saude/

Lima, R. F. F.; Morais, N. A. (2016). Fatores associados ao bem-estar subjetivo de crianças e adolescentes em situação de rua. Psico Porto Alegre, 47 (1). https://doi.org/10.15448/1980-8623.2016.1.20011.

López, A.D.C.; Teixeira, E.C. (2020). Efeitos dos investimentos em infraestrutura pública sobre a pobreza e pobreza extrema na América Latina. Economia, Sociedad y Territorio, vol. xx, n. 64, 667-692. DOI: https://doi.org/10.22136/est20201605.

Matamá, J.; Mendes, R.; Pinho-Pereira, S.; Nascimento, D. Campina, A. ; Costa-Lobo, C. (2017). Bem-Estar subjetivo: Uma revisão narrativa da literatura. Revista estudios e investigación en psicología y educación, Extr. (5), A5-245. DOI: https://doi.org/10.17979/reipe..0.05.2664

Matos, L.A.; Santos, T.M.; Silva, S.S.C. (2018). Resiliência familiar: percepção de mães em situação de pobreza. Ciências & Cognição; Vol. 23(2) 178-194. http://www.cienciasecognicao.org/revista

Oliveira, V. H. P. (2014). Bem-Estar e Qualidade de Vida de Crianças em Contextos de Pobreza. Dissertação “Mestrado em Estudos da Criança”, Universidade do Minho, Instituto de Educação, 125p. http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/35891.

Oliveira, V. H.; Martins, P. C.; Carvalho, G. S. (2019). Atividades cotidianas, bem-estar e funcionamento saudável de crianças em idade escolar: uma revisão da literatura. International Journal of Developmental and Educational Psychology. INFAD, Revista de Psicologia, Nº. ISSN: 0214-9877. pp: 117-126.

OMS, Organização Mundial da Saúde. (1946). Constituição da Organização Mundial da Saúde (OMS/WHO). USP. http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/OMS.

Rezende, B. A.; Lemos, S. M. A.; Medeiros, A. M. (2017). Qualidade de vida e autopercepção de saúde de crianças com mau desempenho escolar. Rev Paul Pediatr., 35(4), 415-421. https://doi.org/10.1590/1984-0462/;2017;35;4;00009.

Santos, L.K.P.; Santana, C.C.; Souza, M.V.O. (2020). Ações para o fortalecimento da resiliência em adolescentes. Ciência & Saúde Coletiva, 25(10):3933-3943, 2020. DOI: 10.1590/1413-812320202510.22312018.

Sarmento, M. J.; Trevisan, G. (2017). A crise social desenhada pelas crianças: imaginação e conhecimento social. Educar em Revista, 2, 17-34. https://doi.org/10.1590/0104-4060.51387.

Sordi, D. (2021). Reformas nos programas sociais brasileiros: solidariedade, pobreza e controle social. Revista Tempos Históricos, Vol. 25, n. 1, e-ISSN: 1983-1463. DOI: https://doi.org/10.36449/rth.v25i1.24092.

Sousa, P.H.A.; Salete, I.A.A.; Teodoro, I.G.; Otoni, A.; Carmo, A.S.; Silveira, E.A.A.; Romano, M.C.C. (2021). Fatores associados à qualidade de vida relacionada à saúde em adolescentes escolares com excesso de peso na pandemia de COVID-19. Research, Society and Development, v. 10, n. 13, e181101320974, 2021 (CC BY 4.0) | ISSN 2525-3409 | DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i13.20974.

UNICEF Innocenti. (2020). ‘Worlds of Influence: Understanding what shapes child well-being in rich countries’, Innocenti Report Card 16, UNICEF Office of Research – Innocenti, Florence, 2020.

Published

2024-03-26

How to Cite

Abate, E. A. B., Stoltz, T., D’Aroz, M. S., Asinelli-Luz, A., & Bianchi, A. S. (2024). Crianças e adolescentes: olhar sobre a pobreza, a qualidade de vida e o bem-estar subjetivo. Caderno Pedagógico, 21(3), e3414. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-203

Issue

Section

Articles