Fatores associados ao uso de psicotrópicos em pessoas privadas de liberdade: uma revisão integrativa

Authors

  • Anne Milane Formiga Bezerra
  • Letícia Rodrigues Fontes
  • Silvia Ximenes Oliveira
  • Belmon Joaquim de Souza
  • Emmanuella Costa de Azevedo Mello
  • Socorro Alana Ramalho Rocha
  • Fernanda da Silva Vasconcelos
  • Aline Pacheco Eugênio
  • Fernanda de Barros Patrício
  • Wanderson Pereira Santos

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-171

Keywords:

Pessoas Privadas de Liberdade, Psicotrópicos, Uso Abusivo de Medicamentos

Abstract

A condição de privação de liberdade é uma problemática da sociedade atual e pensar não só no aspecto punitivo, mas também de ressocialização é fundamental. Desse modo, o abuso de substâncias na população carcerária é triste realidade, que vai na via contrária dessa ressocialização, sendo imprescindível a análise de quais fatores influenciam essa problemática.   Caracterizar os fatores associados à utilização de psicotrópicos por pessoas privadas de liberdade. Trata-se de uma revisão integrativa que teve suas buscas na biblioteca virtual de saúde, integrada pelas bases de dados: ELSILVER, Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e GOOGLE ACADÊMICO, após a inserção dos critérios de inclusão e exclusão foram selecionados 15 artigos para compor a amostra das produções científicas. Foram encontrados tanto fatores de risco anteriores ao encarceramento, quanto fatores inerentes à própria reclusão para uma maior propensão ao abuso de substâncias. A desigualdade social, um grande problema dentro das sociedades capitalistas e cosmopolitas atuais, alimenta substancialmente a problemática da criminalidade e pode explicar porque o recluso de nível socioeconômico mais baixo, ter baixa escolaridade e estudar apenas na prisão são mais presentes dentro dos centros prisionais. Além disso, como essa mesma desigualdade social também está atrelada ao problema do abuso de substâncias, as grandes taxas mais altas do uso de substâncias psicoativas dentro das penitenciárias ilustra o fenômeno da concentração de usuários de substâncias ilícitas na prisão Dessa forma, evidenciou-se a necessidade de maior investimento tanto da estrutura física das unidades penitenciárias quanto em qualificação profissional para a prestação de assistência específica para a população privada de liberdade, considerando as suas especificidades.

References

ALMEIDA, Allyanne Peixoto de; LIMA, Renan Pereira de; MORAIS, Arlandia Cristina Lima Nobre de. Análise do uso de medicamentos psicotrópicos no sis-tema penitenciário do Estado do Ceará. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. (Impr.), v.7, n.2, p. 82-94, 2018. DOI: https://doi.org/10.17566/ciads.v7i2.484

ANNAHEIM, Beatrice et al. Can routine data from prisoners’ files be used to estimate prevalence rates of illicit drug use among prisoners?. International journal of public health, v. 63, p. 33-40, 2018. DOI: https://doi.org/10.1007/s00038-017-1030-1

BARBOSA, Mayara Lima et al. Ações de enfermagem para as pessoas priva-das de liberdade: uma scoping review. Escola Anna Nery, v. 23, n.3, p. 1-9, 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial nº 1.777, de 09 de se-tembro de 2003. Aprova o Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciá-rio. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. [Internet]. Brasília (DF); 2011. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2003/pri1777_09_09_2003.html Acesso em: 29/05/2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde mental / Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília-DF: Ministério da Saúde, 2013. 176 p. (Cadernos de Atenção Básica, n. 34). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_atencao_basica_34_saude_mental.pdf Acesso em: 14/06/2022.

CARAVACA-SÁNCHEZ, F.; GARCÍA-JARILLO, M. Perceived social support, resilience and consumption of psychoactive substances amongst inmates in prisons. Revista espanola de sanidad penitenciaria, v. 22, n. 2, p. 75, 2020. DOI: https://doi.org/10.18176/resp.00013

CHANG, Zheng et al. Substance use disorders, psychiatric disorders, and mor-tality after release from prison: a nationwide longitudinal cohort study. The Lancet Psychiatry, v. 2, n. 5, p. 422-430, 2015. DOI: https://doi.org/10.1016/S2215-0366(15)00088-7

CURY, Augusto Jorge. Os segredos do Pai Nosso. 1ª Edição. Editora Moder-na, 2006.

DEPEN. Departamento Penitenciário Nacional. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias no período de julho a dezembro de 2021. [Internet]. Disponível em: https://www.gov.br/depen/pt-br/servicos/sisdepen/sisdepen Acesso em: 20/05/2022.

DUKE, Karen. Producing the ‘problem’of new psychoactive substances (NPS) in English prisons. International Journal of Drug Policy, v. 80, p. 102479, 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.drugpo.2019.05.022

FAZEL, Seena; YOON, Isabel A.; HAYES, Adrian J. Substance use disorders in prisoners: an updated systematic review and meta‐regression analysis in recently incarcerated men and women. Addiction, v. 112, n. 10, p. 1725-1739, 2017. DOI: https://doi.org/10.1111/add.13877

FEITOSA, Rúbia Mara Maia et al. Caracterização dos diagnósticos e psicotró-picos das pessoas privadas de liberdade. Revista Enfermagem Atual In Der-me, v. 87, n. 25, p.1-8, 2019. DOI: https://doi.org/10.31011/reaid-2019-v.87-n.25-art.202

GULATI, Gautam et al. Mental healthcare interfaces in a regional Irish pri-son. International journal of prisoner health, v. 15, n. 1, p. 14-23, 2019. DOI: https://doi.org/10.1108/IJPH-06-2017-0029

HAESEN, Sophie et al. Substance use and other mental health disorders among older prisoners. International journal of law and psychiatry, v. 62, p. 20-31, 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ijlp.2018.10.004

HÅKANSSON, Anders; JESIONOWSKA, Virginia. Associations between subs-tance use and type of crime in prisoners with substance use problems–a focus on violence and fatal violence. Substance abuse and rehabilitation, p. 1-9, 2018.

HÅKANSSON, Anders; JESIONOWSKA, Virginia. Associations between subs-tance use and type of crime in prisoners with substance use problems–a focus on violence and fatal violence. Substance abuse and rehabilitation, p. 1-9, 2018. DOI: https://doi.org/10.2147/SAR.S143251

JAKOBOWITZ, Sharon et al. Assessing needs for psychiatric treatment in pri-soners: 2. Met and unmet need. Social psychiatry and psychiatric epidemio-logy, v. 52, p. 231-240, 2017. DOI: https://doi.org/10.1007/s00127-016-1313-5

KOONS-WITT, Barbara; CRITTENDEN, Courtney. Gender differences and pro-gram participation among prisoners with co-occurring substance abuse and mental health disorders. Journal of Offender Rehabilitation, v. 57, n. 7, p. 431-458, 2018.

KOONS-WITT, Barbara; CRITTENDEN, Courtney. Gender differences and pro-gram participation among prisoners with co-occurring substance abuse and mental health disorders. Journal of Offender Rehabilitation, v. 57, n. 7, p. 431-458, 2018. DOI: https://doi.org/10.1080/10509674.2018.1523818

LIMA, S. S.. O cuidado aos usuários de drogas em situação de privação de li-berdade. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 29, n. 3, p. e290305, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/s0103-73312019290305

MENDES, Karina Dal Sasso; SILVEIRA, Renata Cristina de Campos Pereira; GALVÃO, Cristina Maria. Revisão integrativa: método de pesquisa para a in-corporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & contexto-enfermagem, v. 17, p. 758-764, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

MUELA, Alexander et al. Randomised controlled trial of a treatment adherence programme for prisoners with mental health problems in Spain. Criminal Behaviour and Mental Health, v. 30, n. 1, p. 6-15, 2020. DOI: https://doi.org/10.1002/cbm.2142

OMS. Organização Mundial da Saúde. A report of the assessment of the men-tal health system in Brazil using the World Health Organization - Assessment Instrument for Mental Health Systems (WHO-AIMS) [Internet]. 2007, 51p. Dis-ponível em: http://www.ccs.saude.gov.br/saude_mental/pdf/who_aims_report_brazil.pdf Acesso em: 20/05/2022.

ROUSSELET, Morgane et al. Consumption of psychoactive substances in pri-son: Between initiation and improvement, what trajectories occur after incarce-ration? COSMOS study data. PloS one, v. 14, n. 12, p. e0225189, 2019. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0225189

SAHAJIAN, F.; BERGER-VERGIAT, A.; POT, E. Use of psychoactive substan-ces in prison: Results of a study in the Lyon-Corbas prison, France. Revue d'epidemiologie et de sante publique, v. 65, n. 5, p. 361-367, 2017. DOI: https://doi.org/10.1016/j.respe.2017.05.007

TAMBURELLO, Anthony C.; KATHPAL, Archana; REEVES, Rusty. Characte-ristics of inmates who misuse prescription medication. Journal of Correctional Health Care, v. 23, n. 4, p. 449-458, 2017. DOI: https://doi.org/10.1177/1078345817727730

VARELLA, Antônio Dráuzio. Estação Carandiru. 1ª Edição. Companhia das Letras, 1999.

Published

2024-03-25

How to Cite

Bezerra, A. M. F., Fontes, L. R., Oliveira, S. X., Souza, B. J. de, Mello, E. C. de A., Rocha, S. A. R., Vasconcelos, F. da S., Eugênio, A. P., Patrício, F. de B., & Santos, W. P. (2024). Fatores associados ao uso de psicotrópicos em pessoas privadas de liberdade: uma revisão integrativa. Caderno Pedagógico, 21(3), e3367. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-171

Issue

Section

Articles