Cartografia das prevalências de internação de idosos com hipertensão arterial e Diabetes Mellitus Tipo 2 e índice e desenvolvimento humano no Brasil

Authors

  • Erika Epaminondas de Sousa
  • Aléssio Tony Cavalcanti de Almeida
  • Roberto Teixeira de Lima
  • Flávia Emília Leite de Lima Ferreira
  • Mussara Gomes Cavalcanti Alves Monteiro
  • Cassia Surama Oliveira da Silva
  • Alcides da Silva Diniz
  • Maria José de Carvalho Costa

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-136

Keywords:

Mapeamento Geográfico, Hipertensão Arterial, Diabetes Mellitus Tipo 2, Epidemiologia, Saúde do Idoso, Desenvolvimento Humano

Abstract

Introdução. Com o aumento populacional dos idosos, surge a necessidade de maior uso dos serviços de saúde, devido ao perfil epidemiológico dessa população, caracterizado por doenças crônicas, declínio funcional e aumento de morbidade.  Objetivo: analisar, com enfoque cartográfico, a prevalência de internação por Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e Diabetes Mellitus Tipo 2 (DM2) e Índice de Desenvolvimento Humano na rede hospitalar pública em idosos no Brasil. Metodologia: Estudo agregado, de abordagem quantitativa e qualitativa, ecológico, de séries temporais, sobre a distribuição dos coeficientes de prevalência de Hipertensão Arterial Sistêmica e Diabetes Mellitus Tipo 2 a partir de 534.691 casos de internações dispostos nos 27 Estados brasileiros, nos anos de 2010 a 2016. Os dados, foram obtidos do Sistema de Informação Hospitalar do Sistema Único de Saúde. O programa estatístico R, permitiu uma visualização do padrão espacial dessas morbidades usando o método de k-means clustering e desenvolveu-se um modelo de regressão múltipla. Resultados: Observou-se relação entre prevalência de internação por: Hipertensão Arterial Sistêmica e Índice de Desenvolvimento Humano (IC 95%= -5,4%;-2,6% e coeficiente -4,040%, p=0,000) ; Diabetes Mellitus e Índice de Desenvolvimento Humano (IC 95%= -4,8%;-1,7% e coeficiente -3,293%, p=0,000), Hipertensão Arterial e renda familiar per capita (IC 95%= -1,7%;-0,3% e coeficiente 0,773%, p= 0,000) e relação entre prevalência de internação por Diabetes Mellitus e taxa de analfabetismo (IC 95%= 0,0;0,5% e coeficiente 0,278%, p= 0,039) no modelo de regressão múltipla com dados em painel. Conclusão: Observou-se tendência para estabilização e redução nas prevalências de internações dos idosos por Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus Tipo 2 mas ainda permaneceram em patamares elevados e identificou-se relação negativa entre o Índice de Desenvolvimento Humano e as prevalências de internações.

References

Alves LC, Leimann BCQ, Vasconcelos MEL, Carvalho MS, Vasconcelos AGG, Fonseca TCO, et al. A influência das doenças crônicas na capacidade funcional dos idosos do Município de São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública. 2007; 23:1924-1930. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007000800019

WHO. World Health Organization. Global Health and Aging. 2011. http://www.who.int/ageing/publications/global_health.pdf. Acesso 27 fev 2018.

Admi H, Shadmi E, Baruch H, Zisberg A. From Research to Reality: Minimizing the Effects of Hospitalization on Older Adults. Rambam Maimonides Med J. 2015; 6:1-14. DOI: https://doi.org/10.5041/RMMJ.10201

PNUD. United Nations Development Programme- Human Devel-opment Index. 2015. http://www.undp.org/content/undp/en/home/librarypage/mdg/the-millennium-development-goals-report-2015.html. Acesso 20 fev 2018.

PNUD. United Nations Development Programme- Human Development Index (HDI)Human Development Reports. 2016. http://hdr.undp.org/en/content/human-development-index-hdi (2016). Acesso 20 fev 2018.

Mendoza-Romo MA, Zavala-Cruz GG, Padrón-Salas A, Ortiz-Nesme F J, Ramírez-Arriola MC, Salas-Jiménez J. A. Asociación del índice de desarrollo humano y diabetes mellitus tipo 2 en unidades de medicina familiar del estado San Luis Potosí, México. Revista Aten Fam. 2017;24: 156-159. DOI: https://doi.org/10.1016/j.af.2017.08.001

Macinko J, Oliveira VB, Turci MA, Guanais FC, Bonolo PF, Lima-Costa MF. The influence of primary care and hospital supply on ambulatory care-sensitive hospitalizations among adults in Brazil, 1999-2007. Am J Public Health. 2011;101: 1963-1970. DOI: https://doi.org/10.2105/AJPH.2010.198887

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde; 2011.

WHO. World Health Organization. Global status report on noncommunicable diseases 2010. Geneva; 2011. . Acesso 15 fev 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução Nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília: Conselho Nacional de Saúde; 2013. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf . Acesso em: 05 fev 2018.

Walker RL, Chen G, Mcalister FA, Campbell NR, Hemmelgarn BR, Dixo E, et al. Hospitalization for uncomplicated hypertension: an ambulatory care sensitive condition. Can J Cardiol. 2013;29: 1462-1469. DOI: https://doi.org/10.1016/j.cjca.2013.05.002

Rasmussen S R, Thomsen J L, Kilsmark J, Hvenegaard A, Engberg M, Lauritzen T, et al. Preventive health screenings and health consultations in primary care increase life expectancy without increasing costs. Scand J Public Health. 2007;35:365-372. DOI: https://doi.org/10.1080/14034940701219642

Levene LS, Baker R, Bankart MJG, Khunti K. Association of features of primary health care with coronary heart disease mortality. JAMA. 2010;304: 2028-2034. DOI: https://doi.org/10.1001/jama.2010.1636

Deshmukh A, Kumar G, Kumar N, Nanchal R, Gobal F, Sakhuja A, et al. Effect of Joint National Committee VII Reporto n Hospitalizations for Hyperten-sive Emergencies in the United States. Am J Cardiol. 2011;108:1277-1282. DOI: https://doi.org/10.1016/j.amjcard.2011.06.046

Rasella D, Harha YMO, Pamponet ML, Aquino R, Barreto ML. Impact of primary health care on mortality from heart and cerebrovascular diseases in Brazil: a nationwide analysis of longitudinal data. BMJ. 2014;348:1-14. DOI: https://doi.org/10.1136/bmj.g4014

Gerhardt PC, Borghi AC, Fernandes CAM, Mathias TAF, Carreira L. Tendência das Internações por Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial Sistê-mica em idosos. Cogitare Enferm. 2016;21:01-10. DOI: https://doi.org/10.5380/ce.v21i4.44912

Deraas TS, Berntsen GR, Hasvold T, Forde OH. Does long-term care use within primary health care reduce hospital use among older people in Norway? A national five-year population-based observational study. BMC Health Ser-vices Research. 2011; 11:725-735. DOI: https://doi.org/10.1186/1472-6963-11-287

Moura BLA, Renata CC, Aquino R, Medina MG, Mota ELA, Macinko J, et al. Principais causas de internação por condições sensíveis à atenção primária no Brasil: uma análise por faixa etária e região. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant. 2010;10 Suppl 1:83-91. DOI: https://doi.org/10.1590/S1519-38292010000500008

Andrade MV, Noronha KVMS, Menezes RM, Souza MN, Reis CB, Martins DR, Gomes L. Equidade na utilização dos serviços de saúde no Brasil: um estudo comparativo entre as regiões brasileiras no período 1998-2008. Econ. Aplic. 2013;17:623-645. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-80502013000400005

Pereira FJR, Silva CC, Lima EAN. Condições Sensíveis à Atenção Pri-mária: uma revisão descritiva dos resultados da produção acadêmica brasileira. Rev Saúde Debate. 2014;38: 331-342. DOI: https://doi.org/10.5935/0103-1104.2014S025

Fu H, Xei W, Custis B, Schuster, D. Identifying factors associated with hypoglycemia-related hospitalizations among elderly patients with T2DM in the US: a novel approach using influential variable analysis. ‎Curr Med Res Opin. 2014;17:1787-1793. DOI: https://doi.org/10.1185/03007995.2014.922944

Lin W, Chen C, Guan H, Du X, Li J. Hospitalization of elderly diabetic patients: characteristics, reasons for admission, and diferences. BMC Geriat-rics. 2016;16: 160-168. DOI: https://doi.org/10.1186/s12877-016-0333-z

Castro VC, Borghi AC, Mariano PP, Fernandes CAM, Mathias TAF, Car-reira, L. Perfil de internações hospitalares de idosos no âmbito do sistema úni-co de saúde. Rev Rene. 2013;14:791-800. DOI: https://doi.org/10.15253/2175-6783.20130004000016

Silva DS, Laterza MC, Moreira OC, Carneiro MA, Amorim PRS. Preva-lência de diabetes mellitus em indivíduos atendidos pela estratégia saúde da família no município de Ubá-MG. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2012;17:234-242.

Marques A P, Montilla DER, Almeida WS, Andrade CLT. Hospitalization of older adults due to ambulatory care sensitive conditions. Rev de Saúde Pú-blica. 2014;48: 817–826. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048005133

Xu Z, Yu D, Yin X, Zheng F, Li H. Socioeconomic status is associated with global diabetes prevalence. Oncotarget. 2017;8: 44434-44439. DOI: https://doi.org/10.18632/oncotarget.17902

Fu C, Chen Y, Wang F, Wang X, Song J, Jiang Q. High prevalence of hyperglycaemia and the impact of high household income in transforming Ru-ral China. BMC Public Health. 2011; 11: 1-7. DOI: https://doi.org/10.1186/1471-2458-11-862

Popkin BM, Du S, Zhai F, Zhang B. Cohort Profile: The China Health and Nutrition Survey–monitoring and understanding socio-economic and health change in China, 1989-2011. Int J Epidemiol. 2010;39:1435-1440. DOI: https://doi.org/10.1093/ije/dyp322

Published

2024-03-21

How to Cite

Sousa, E. E. de, Almeida, A. T. C. de, Lima, R. T. de, Ferreira, F. E. L. de L., Monteiro, M. G. C. A., Silva, C. S. O. da, Diniz, A. da S., & Costa, M. J. de C. (2024). Cartografia das prevalências de internação de idosos com hipertensão arterial e Diabetes Mellitus Tipo 2 e índice e desenvolvimento humano no Brasil. Caderno Pedagógico, 21(3), e3296. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-136

Issue

Section

Articles