Método alternativo para torra de café especial utilizando o micro-ondas doméstico

Authors

  • Gabriela Maria Borges Martins
  • Rodrigo Vieira da Silva
  • Natália Silva Oliveira
  • Claudinei Martins Guimarães

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-097

Keywords:

Coffea, Qualidade de Bebida, Quarta Onda do Café

Abstract

A torrefação de café utilizando o micro-ondas doméstico mostra-se ser uma tecnologia promissora e alternativa para atender à crescente demanda da quarta onda do café. Nesse sentido, a torra do café especial na própria residência do consumidor pode ser uma alternativa para aumentar a qualidade da bebida, eliminando os grãos com defeitos e impurezas indesejadas. A torra realizada na residência, pelo próprio consumidor, além de permitir o consumo de uma bebida mais fresca e saborosa, também pode ser mais econômica e personalizada ao hábito, gosto e cultura de cada consumidor. Nesse contexto, objetivou-se avaliar a eficiência do uso do micro-ondas doméstico na torra de café especial e identificar o tempo adequado para obtenção da bebida de alta qualidade. Utilizou-se amostras de 80 g de café cru e micro-ondas doméstico de 1200 V na potência de 80%, realizando tratamentos com diferentes tempos (T1 = 3 minutos, T2 = 4 minutos, T3 = 5 minutos, T4 = 6 minutos, T5 = 7 minutos e T6 = 8 minutos) para a torra dos grãos. Avaliou-se redução da massa de grãos, além da classificação da cor de torra, segundo a escala ABG Agtron. Realizou-se análise descritiva quantitativa dos dados. O uso do micro-ondas doméstico foi eficiente como uma nova metodologia de torrefação caseira de café, mais rápida e com a facilidade de ser realizada no conforto da própria residência do consumidor. Os intervalos de tempo de seis e sete minutos são indicados para uma torra caseira de café no micro-ondas, para obtenção da bebida de alta qualidade. O micro-ondas permitiu uma torrefação de alta qualidade, em menor período de tempo, em relação ao método convencional, podendo ser realizada na própria residência e personalizada ao gosto e hábito de cada consumidor, principalmente o de café especial.

References

AGNOLETTI, B. Z.; OLIVEIRA, E. C. da S.; PINHEIRO, P. F.; SARAIVA, S. H. Discriminação de café arábica e conilon utilizando propriedades físico-químicas aliadas à quimiometria. Revista Virtual de Química, v.11, p.785-805, 2019. http://rvq.sbq.org.br/ DOI: https://doi.org/10.21577/1984-6835.20190057

BROADWAY, M.; LEGG, R.; BROADWAY, J. Coffeehouses and the Art of Social Engagement: An Analysis of Portland Coffeehouses. Geographical Review, The American Geographical Society of New York, 108, p. 433-456, 2017. https://doi.org/10.1111/gere.12253 DOI: https://doi.org/10.1111/gere.12253

CONAB. COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Primeiro levantamento da safra 2023 de café indica uma produção de 54,94 milhões de sacas. Disponível em:. Acesso em: 06 jan. 2023.

CONDELLI, N.; CELA, N.; DI CAIRANO, M.; SCARPA, T.; MILELLA, L.; ASCRIZZI, R.; FLAMINI, G.; GALGANO, F. Drivers of coffee liking: Effect of physicochemical characteristics and aromatic profile on consumers’ acceptability of mono-origin and mono-variety coffees. Journal of Food Science, v.87, p.4688–4702, 2022. https://doi.org/10.1111/1750-3841.16323 DOI: https://doi.org/10.1111/1750-3841.16323

COSTA, A. G.; SILVA, E. R. O. da; BARROS, M. M. de; FAGUNDES, J. A. Estimation of percentage of impurities in coffee using a computer vision system. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 26, P.142–148, 2022. https://doi.org/10.1590/1807-1929/agriambi.v26n2p142-148 DOI: https://doi.org/10.1590/1807-1929/agriambi.v26n2p142-148

DELLA, M. R.C.; GONÇALVES, E. B.; FERREIRA, J. C. S. Desenvolvimento e validação do perfil sensorial para a bebida de café brasileiro. Rio de Janeiro: Embrapa Agroindústria de Alimentos, 1999.

ELMACI, I; GOK, I. Effect of three post-harvest methods and roasting degree 50 on sensory profile of Turkish coffee assessed by Turkish and Brazilian panelists. Journal of the Science of Food and Agriculture, v.101, p.5368–5377, 2021. https://doi.org/10.1002/jsfa.11185 DOI: https://doi.org/10.1002/jsfa.11185

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. A importância da informação sobre do grau de torra do café e sua influência nas características organolépticas da bebida. São Carlos, SP: EMBRAPA-SPI. Comunicado técnico 58. 2004. 4p.

FREITAS, M. N. de; ROSA, S. D. V. F. da; PEREIRA, C. C.; MALTA, M. R.; DIAS, C. T. dos S. Identification of physiological analysis parameters associated with coffee beverage quality. Ciência e Agrotecnologia, v.44, p.1-14, 2020. https://doi.org/10.1590/1413-7054202044031019 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-7054202044031019

GETANEH, E.; FANTA, S. W.; SATHEESH, N. Effect of broken coffee beans particle size, roasting temperature, and roasting time on quality of coffee beverage. Journal of Food Quality, v.2020, p.1-15, 2020. https://doi.org/10.1155/2020/8871577 DOI: https://doi.org/10.1155/2020/8871577

GUIAS DO CAFÉ. A Torra do Café e seus diferentes tipos. 2016. Disponível em: http://guiadocafe.com/torra-do-cafe-diferentes-tipos/. Acesso em: 06 jun. 2023.

MASINO, F.; MONTEVECCHI, G.; CALVINI, R.; FOCA, G.; ANTONELLI, A. Sensory evaluation and mixture design assessment of coffee-flavored liquor obtained from spent coffee grounds. Food Qual. Prefer. v.96, p.1-8, 2022. https://doi.org/10.1016/j.foodqual.2021.104427 DOI: https://doi.org/10.1016/j.foodqual.2021.104427

MELO, M. L. O; ELIAS, A. M. T.; SILVA, S. O. Identificação dos principais defeitos intrínsecos e extrínsecos para fins de classificação de grãos de café (Coffea arábica L. e Coffea canaphora) distribuídos a empresas do agreste pernambucano. In: IV Congresso internacional das ciências agrárias. 2019. http://dx.doi.org/10.31692/2526-7701.IVCOINTERPDVAgro.2019.0092 DOI: https://doi.org/10.31692/2526-7701.IVCOINTERPDVAgro.2019.0092

MOURA, S. C. S. R. de; GERMER, S. P. M.; ANJOS, V. D. de A.; MORI. E. E. M.; MATTOSO, L. H. C. FIRMINO, A. NASCIMENTO, C. J. F. Influência dos parâmetros de torração nas características físicas, químicas e sensoriais do café arábica puro. Brazilian Journal of Food Technology, Campinas, v.10, p. 17-25, 2007. http://bjft.ital.sp.gov.br/arquivos/artigos/v10n1268a.pdf

NOOSHKAM, M.; VARIDI, M.; BASHASH, M. The Maillard reaction products as food-born antioxidant and antibrowning agents in model and real food systems. Food Chem. v.275, p.644–660, 2019. https://doi.org/10.1016/j.foodchem.2018.09.083 DOI: https://doi.org/10.1016/j.foodchem.2018.09.083

PORTUGAL, L. Torrefação do café: saiba o que é, sua importância e como é feita. uCoffe. 2019. Disponível em:<https://blog.ucoffee.com.br/torrefacao-cafe/>. Acesso em: 06 jan. 2023.

PUTRI, S. L. E., SUANTIKA, G., SITUMORANG, M. L.; CHRISTINA, J.; NIKIJULUW, C.; PUTRI, S. P.; FUKUSAKI, F. Shrimp count size: GC/MS-based metabolomics approach and quantitative descriptive analysis (QDA) reveal the importance of size in white leg shrimp (Litopenaeus vannamei). Metabolomics v.17, p.1-19, 2021. https://doi.org/10.1007/s11306-020-01766-z DOI: https://doi.org/10.1007/s11306-020-01766-z

REIS, N. D. dos; VALADARES, G. C.; COSTA, E. A.; CASTRO JUNIOR, L. G. Percepção dos consumidores da Cafeteria Escola Cafezal-UFLA: uma análise sensorial de diferentes tipos de torra de café especial. Revista Expectativa, v.20, p. 17-33, 2021. https://doi.org/10.48075/revex.v20i1.23830 DOI: https://doi.org/10.48075/revex.v20i1.23830

RODARTE, M. P.; ABRAHÃO, S. A.; PEREIRA, R. G. F. A.; MALTA, M. R. Compostos não voláteis em cafés da região sul de minas submetidos a diferentes pontos de torração. Ciência e Agrotecnologia. v.33, p.1366-1371, 2019. https://doi.org/10.1590/S1413-70542009000500024 DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-70542009000500024

SCHMIDT, C. A. P.; MIGLIORANZA, E.; PRUDÊNCIO, S. H. Interação da torra e moagem do café na preferência do consumidor do oeste paranaense. Ciência Rural, Santa Maria, v.38, p.1111-1117, 2008. https://doi.org/10.1590/S0103-84782008000400032 DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-84782008000400032

SILVA, C. Q.; FERNANDES, A. D. S.; TEIXEIRA, G. F.; FRANÇA, R. J.; MARQUES, M. R. D. C.; FELZENSZWALB, I.; FALCÃO, D. Q.; FERRAZ, E. R. A. Risk assessment of coffees of different qualities and degrees of roasting. Food Res. Int. v.141, p.1-10, 2021. https://doi.org/10.1016/j.foodres.2020.110089 DOI: https://doi.org/10.1016/j.foodres.2020.110089

SIVETZ, M.; DESROSIER, N. W. Coffe technology. Westport, Connecticut: AVI Publishing Company, 1979. 716p.

STONE, H.; SIDEL, J. L. Sensory evaluation practices. 3. ed. New York: Academic Press, 2004. 377 p.

WÓJCICKI, K. Near-infrared spectroscopy as a green technology to monitor coffee roasting. Foods and Raw Materials, 10, p.295-303, 2022. https://doi.org/10.21603/2308-4057-2022-2-536 DOI: https://doi.org/10.21603/2308-4057-2022-2-536

YU, J-M.; CHU, M.; PARK, H.; PARK, J.; LEE, K-G. Analysis of Volatile Compounds in Coffee Prepared by Various Brewing and Roasting Methods. Foods. v.10, p.1-13, 2021. https://doi.org/10.3390/foods10061347 DOI: https://doi.org/10.3390/foods10061347

Published

2024-03-18

How to Cite

Martins , G. M. B., Silva, R. V. da, Oliveira, N. S., & Guimarães, C. M. (2024). Método alternativo para torra de café especial utilizando o micro-ondas doméstico. Caderno Pedagógico, 21(3), e3204. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-097

Issue

Section

Articles