Identidades docentes na modernidade tardia

Authors

  • Giovana Boicko
  • Odilon Luiz Poli

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-090

Keywords:

Identidade, Identidade Docente, Crises de Identidade, Modernidade Tardia

Abstract

Este artigo aborda as crises das identidades na modernidade tardia, com foco na identidade docente. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, com objetivo de caracterizar as principais transformações sociais em curso no século XXI, que modificaram as condições de construção da identidade docente. Em termos teóricos, adotamos a perspectiva nominalista de análise da identidade, segundo a qual a identidade é dinâmica e é (re)construída através da interação do sujeito com o meio no qual a pessoa está inserida. Constatamos que, na modernidade tardia, as demandas sociais de educação, assim como o perfil do público atendido pelos professores, transformaram-se profundamente, tornando-se mais complexas e desafiadoras. Ao mesmo tempo, as condições concretas para o desempenho da função docente pouco se modificaram. Nessas condições surgiu o que a literatura define como mal-estar docente que interfere tanto no desempenho quanto no bem-estar dos professores. Nesse cenário, o exercício da docência tornou-se muito complexo e está a exigir uma reconstrução da identidade docente. Essa situação está exigindo um repensar tanto dos processos de formação de professores quanto da gestão de sua carreira, tanto em termos pessoais, quanto em termos dos sistemas e redes de ensino. Os elementos reunidos neste estudo podem oferecer contribuições para a compreensão das condições de exercício da docência na contemporaneidade e contribuir para um processo de reelaboração dos processos de formação inicial e continuada de professores, quanto para a redefinição das condições a serem garantidas para o exercício da docência pelas instituições, redes e sistemas de ensino. Essa questão é relevante porque, garantir condições de atuação profissional que diminuam a incidência do mal-estar docente, é fundamental para a melhoria da qualidade da educação oferecida às novas gerações.

References

BALL, Stephen J. Performatividade, privatização e o pós-estado de bem estar. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1105-1126, set./dez. 2004. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302004000400002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302004000400002

______. Reformar escolas/reformar professores e os terrores da performatividade. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 15, n. 2, p. 3-23, 2002. Disponível em: <https://www.redalyc.org/pdf/374/37415201.pdf>. Acesso em: 2 maio 2019.

BARRETO, Elba Siqueira de Sá. Políticas de formação docente para a educação básica no Brasil: embates contemporâneos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 20, n. 62, p. 679-701, jul./set. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782015206207. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782015206207

CEREJO, Juvir. Queixas escolares: um estudo sobre o encaminhamento de crianças ao serviço de atenção à saúde do escolar (SASE). 2017. 101 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Comunitária da Região de Chapecó- Unochapeco, Chapecó, 2017. Disponível em: <http://konrad.unochapeco.edu.br/pergamum/biblioteca/index.php?codAcervo=210646 >. Acesso em: 15 maio 2020.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

CORACINI, Maria José. Identidade & Discurso. Chapecó: Argos, 2003.

COSTA, Sylvio de Sousa Gadelha. Governamentalidade neoliberal, teoria do capital humano e empreendedorismo. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 171-186, maio/ago. 2009. ISSN: 2175-6236.

CUNHA, António Camilo. Ser professor: bases de uma sistematização teórica. Chapecó: Argos, 2015.

DELORS, Jacques et al. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, 1998.

DUBAR, Claude. A crise das identidades: a interpretação de uma mutação. Tradução Mary Amazonas Leite de Barros. São Paulo: Edusp, 2009.

ENGUITA, Mariano Fernández. Educar em tempos incertos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ESTEVE, José M. Mudanças sociais e função docente. In: NÓVOA, António (Org.). Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1992. p. 93-124.

______. O mal-estar docente: a sala-de-aula dos professores e a saúde dos professores. Tradução Durley de Carvalho Cavicchia. Bauru, SP: EDUSC, 1999.

FLORES, Maria Assunção. Tendências e tensões no trabalho docente: reflexões a partir da voz dos professores. Perspectiva, Florianópolis, v. 29, n. 1, p. 161-191, jan./jun. 2011. DOI: 10.5007/2175-795X.2011v29n1p161. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2011v29n1p161

FREEMAN, Chris; SOETE, Luc. A economia da inovação industrial. Campinas: Editora da Unicamp, 2008.

FREITAS, Luiz Carlos de. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

GARCIA, Maria Manuela Alves; HYPOLITO, Álvaro Moreira; VIEIRA, Jarbas Santos. As identidades docentes como fabricação da docência. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 45-56, jan./mar. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000100004. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000100004

GÓMEZ, Ángel Pérez. Educação na Era Digital: a escola educativa. Porto Alegre: Penso, 2015. 192 p.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 10. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2011.

IZA, Dijnane Fernanda Vedovatto et al. Identidade docente: as várias faces da constituição do ser professor. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 8, n. 2, p. 273-292, 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.14244/198271999978. DOI: https://doi.org/10.14244/19827199978

JUSTO, José Sterza. Escola no epicentro da crise social. In: LA TAILLE, Yves; JUSTO, José Sterza; SILVA, Nelson Pedro (Org.). Indisciplina, disciplina: ética, moral e ação do professor. 5. ed. Porto Alegre: Mediação, 2013.

MALACRIDA, Vanessa A.; BARROS, Helena F. de. A ação docente no século XXI: novos desafios. Colloquium Humanarum, Presidente Prudente, v. 8, n. Spe., p. 750-758, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://www.unoeste.br/site/pos/enapi/2011/suplementos/documentos/Humanarum-PDF/CDEduca%C3%A7%C3%A3o.pdf>. Acesso em: 2 maio 2019.

OLIVEIRA, André Luis; OBARA, Ana Tiyomi. Aspectos históricos da formação de professores de ciências: alguns apontamentos para a construção de identidades docentes. Imagens da Educação, Maringá, v. 6, n. 2, p. 98-110, ago. 2016. DOI: https://doi.org/10.4025/imagenseduc.v6i2.28033. DOI: https://doi.org/10.4025/imagenseduc.v6i2.28033

PEREIRA, Gilson Almeida; ENGERS, Maria Emilia Amaral. Identidade profissional docente: uma construção histórico-sociocultural. Educação, Porto Alegre, v. 32, n. 3, p. 291-310, set./dez. 2009. Disponível em: <https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/5776>. Acesso em: 4 maio 2019.

PICADO, Luís. Ser professor: do mal-estar para o bem-estar docente. Psicologia.com.pt.: O Portal dos Psicólogos, Lisboa, p. 1-32, 2009. Disponível em: <https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0474.pdf>. Acesso em: 2 maio 2019.

POLI, Odilon Luiz; ZAGO, Nadir; BORTOLETO, Edivaldo José. A família em questão: um estudo com professores da rede pública do ensino fundamental. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 13., 2017, Curitiba. Anais... Curitiba: Universidade Católica de Curitiba, 2017. ISSN: 2176-1396.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil. 39. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

SÁ, Tiago Tavares; ALVES NETO, Francisco Raimundo. A docência no Brasil: história, obstáculos e perspectivas de formação e profissionalização no século XXI. Revista Tropos, Rio Branco, v. 5, n. 1, p. 1-14, jul. 2016. ISSN: 2358-212X.

SILVA, Eliane Paganini; CHAKUR, Cilene Ribeiro de Sá Leite. A tomada da consciência da crise de identidade profissional em professores do ensino fundamental. Schème: Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas, Marília, v. 2, n. 3, p. 221-241, jan./jul. 2009. DOI: https://doi.org/10.5555/repeg.v2i3.581. DOI: https://doi.org/10.36311/1984-1655.2009.v2n3.581

SOLDATELLI, Rosangela. O processo de adoecimento dos professores do ensino fundamental de Florianópolis e suas possibilidades de resistência a esse processo. 2011. 195 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/95398/300907.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 15 maio 2019.

XAVIER, Maria Elizabete Sampaio Prado; RIBEIRO, Maria Luísa Santos; NORONHA, Maria Olinda. História da educação: a escola no Brasil. São Paulo: FTD, 1994.

Published

2024-03-18

How to Cite

Boicko, G., & Poli, O. L. (2024). Identidades docentes na modernidade tardia. Caderno Pedagógico, 21(3), e3197. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-090

Issue

Section

Articles