Pensamento visual e prototipagem: interfaces conceituais da Educação e do Design nos processos de cocriação colaborativa de ideias e aprendizagem criativa

Authors

  • Bianka Cappucci Frisoni
  • Regina Célia Linhares Hostins

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-078

Keywords:

Educação, Aprendizagem Criativa, Prototipagem, Pensamento Visual, Design Thinking

Abstract

O artigo, transita na interface Educação e Design, com o propósito de discutir conceitos e usos do pensamento visual e da prototipagem nos processos de criatividade e cocriação de ideias na educação. A prototipagem, como uma das ferramentas conceituais do Design Thinking e a linguagem visual ou inteligência visual, configuram-se como possibilidades de ampliação dos processos complexos de pensamento. Desse modo, o artigo, de natureza teórica, articula esses conceitos e suas conexões conduzindo a uma análise crítica sobre o uso dessas ferramentas no desenvolvimento de habilidades cognitivas, socioemocionais e criativas dos alunos e suas possibilidades de aplicação, a partir de uma abordagem participativa, inovadora e reflexiva no ambiente educacional. Realiza-se assim conexões e aprofundamentos dos seguintes eixos teóricos:  Aprendizagem criativa e estilos de aprendizagem, no qual se discute criatividade, imaginação e relação agência humana e ambiente; Pensamento visual e inteligência sensorial viabilizadas pelo Design Thinking; Prototipagem como forma ampliada e visual de expressar a atividade criadora. Esses conceitos configuram uma rede de conexões que, articuladas, mobilizam processos complexos de pensamento e sensibilidades necessárias à aprendizagem na sociedade contemporânea.

References

ALONSO, C. M.; GALLEGO, D. Aprendizaje y ordenador. Madrid: Dykinson, 2000.

BARBOSA, Marinalva Vieira. Sujeito, linguagem e emoção a partir do diálogo entre e com Bakhtin e Vygotsky. In: SMOLKA, Ana. Luiza Bustamante; NOGUEIRA, Ana Lúcia Horta. Emoção Memória e Imaginação: constituição do desenvolvimento humano na história e na cultura. Campinas, SP: Mercado da Letras, 2011.

BROWN, Tim. Design Thinking – uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias. 249p., 2010. Rio de Janeiro: Elsevier.

BRESOLIN, Graziela Grando, Freire, Patricia de Sá, Silva e Pacheco, Roberto C. S. Neoaprendizagem, 10 passos para a prática andragógica, experienci-al e expansiva in: Coleção Universidade corporativa em rede, da teoria à prática andragógica. Florianópolis: Editora Arquétipos. Ed.1 v.3, 2021.

BUTZKE, M.; ALBERTON, A. Estilos de aprendizagem e jogos de empresa: a percepção discente sobre estratégia de ensino e ambiente de aprendi-zagem. REGE - Revista de Gestão, São Paulo, v. 24n n. 1, p. 72-84, 2016. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rege/article/view/131535. Acesso em: 20 jul. 2021.

BUZAN, T. Mapas Mentais e sua elaboração: um sistema definitivo de pen-samento que transformará sua vida. São Paulo: Cultrix, 2005.

CARREIRA, J. C. Design de Significados. In: MEGIDO, V. F. (Coord.). A Re-volução do Design. Conexões para o Século XXI. São Paulo: Gente, 2016.

CERQUEIRA, T. C. S. Estilos de aprendizagem em universitários. 2000. 179f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, UNICAMP. Universidade de Campinas, 2000.

DENNING, P. J. Design thinking. Communications of the ACM, [S.l.], v. 56, n. 12, p. 29–31, dez. 2013.

FELDER, R. M.; SILVERMAN, L. K. Learning and teaching styles in engi-neering education. Engineering Education, [S.l.], v. 78, n. 7, p. 674-681, 1988.

FLEMING, N. D.; MILLS, C. Not another inventory, rather and catalyst for reflection. To Improve the Academy, [S.l.], v. 11, p. 137, 1992.

Gray, D., Brown, S., Macanufo, J. Gamestorming: A Playbook for Innovators, Rulebreakers, and Changemakers. Alemanha: O'Reilly Media, Incorporated, 2016.

JACOBSOHN, L. V. O potencial de utilização do e-learning no desenvolvi-mento de competências do administrador: considerando o estilo de aprendi-zagem do aluno de graduação. 2003. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Univer-sidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

KEEFE, J. W. Learning style: cognitive and thinking skills. Instructional and leadership series. Reston, VA: National Association of Secondary School Principals, 1991.

KOLB, D. A. Experimental learning: experience as the source of learning and development. New Jersey: Prentice-Hall; Englewood Cliffs, 1984.

LUM, L.; BRADLEY, P.; RASHEED, N. Accommodating learning styles in international bridging education programs. Higher Education, Skills and Work-based Learning, v. 1, n. 2, p. 147-168, 2011.

MAGIOLINO, Lavínia Lopes Salomão. As emoções humanas nas experiências vividadas: transformação e significação nas relações (est)éticas. In: SMOLKA, Ana. Luiza Bustamante; NOGUEIRA, Ana Lúcia Horta. Emoção Memória e Imaginação: constituição do desenvolvimento humano na história e na cultura. Campinas, SP: Mercado da Letras, 2011.

MANZINI, E. Design para a inovação social e sustentabilidade: Comunida-des criativas, organizações colaborativas e novas redes projetuais. Rio de Janeiro: E-papers, 2014.

MEGIDO, V. F. (Coord.). A Revolução do Design. Conexões para o Século XXI. São Paulo: Gente, 2016.

NIEMEYER, L. Elementos de semiótica aplicados ao design. Rio de Janeiro: 2AB, 2007.

PLETSCH, M. D. Repensando a inclusão escolar: diretrizes políticas, práti-cas. Rio de Janeiro: NAU/EDUR.2010.

POMPEU, B. O design, as tendências e um novo tempo. In: MEGIDO, V. F. (Coord.). A Revolução do Design. Conexões para o Século XXI. São Paulo: Editora Gente, 2016.

ROAM, Dan. The Back of the Napkin: Solving Problems and Selling Ideas with Pictures, Marshall Cavendish International, Asia, 2012.

SANTAELLA, L. Semiótica aplicada. São Paulo: Thomson, 2002.

SCHMITT, C. da S.; DOMINGUES, M. J. C. S. Estilos de aprendizagem: um estudo comparativo. Avaliação, Campinas; Sorocaba, v. 21, n. 2, p. 361-385, jul. 2016.

SHUTE, V. What Is Design Thinking and Why Is It Important? Review of Educational Research, [S.l.], v. 82, n. 3, p. 330–348, 2012.

SILVA, D.M. da. O impacto dos estilos de aprendizagem no ensino de con-tabilidade na FEA-RP/USP. 2006. Dissertação (Mestrado de Contabilidade) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de Ri-beirão Preto FEARP/USP, São Paulo, 2006.

SILVERMAN, Linda K. Asynchrony. In: KERR, Barbara (ed.). Encyclopedia of giftedness, creativity, and talent Washington, DC: SAGE, 2011. v. 1, p. 67-70.

STETSENKO, A.; SELAU, B. A abordagem de Vygotsky em relação à defici-ência no contexto dos debates e desafios contemporâneos: Mapeando os próximos passos. Revista Educação, [S.l.], v. 41, n. 3, p. 315-324, 2018.

STETSENKO, A. Agência radical-transformadora: continuidades e contras-tes em relação à agência relacional e implicações para a educação. Práxis Educativa, [S. l.], v. 18, p. 1–24, 2023. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.18.21106.005. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/21016. Acesso em: 30 nov. 2023.

TANNER, R. C. S.; MORGAN, B. F. Estilos de aprendizagem em universitá-rios: uma análise sobre os alunos das disciplinas de contabilidade geral I e introdução à contabilidade na universidade de Brasília. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 7., 2007, São Paulo. Anais.São Paulo: USP, 2007.

VIANA, G. S. Atitude e motivação em relação ao desempenho acadêmico de alunos do curso de graduação em administração em disciplinas de es-tatística. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, 2012.

VYGOTSKY, L. S. The collected works of L. S. Vygotsky. Volume 2: The fundamentals of defectology (abnormal psychology and learning disabilities) New York: Plenum, 1997.

VYGOTSKY, Lev S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

_______________. Imaginação e Criação na infância: ensaio psicológico. Apresentação e comentários da A. L. Smolka. São Paulo: Ática 2009.

Published

2024-03-15

How to Cite

Frisoni, B. C., & Hostins, R. C. L. (2024). Pensamento visual e prototipagem: interfaces conceituais da Educação e do Design nos processos de cocriação colaborativa de ideias e aprendizagem criativa. Caderno Pedagógico, 21(3), e3169. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-078

Issue

Section

Articles