Análise econômica da conversão de florestas nativas e seu impacto no PIB do Brasil até 2030

Authors

  • Attawan Guerino Locatel Suela

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-042

Keywords:

bem-estar das famílias, expansão agrícola, excedente de reserva legal

Abstract

O objetivo principal desta pesquisa foi avaliar o impacto previsto no PIB brasileiro e no bem-estar das famílias até 2030, devido à possível escassez de novas terras cultiváveis no Brasil. Essa escassez está associada a restrições nas conversões de florestas nativas, com foco especial no bioma cerrado. Utilizando o modelo de Equilíbrio Geral Computável (EGC) Estático BREA, que fornece dados detalhados sobre as diferentes regiões do Brasil, incluindo a região do MATOPIBA, foram delineados quatro cenários distintos. Cada cenário representa diferentes graus de conversão de florestas nativas, variando desde a permissão total até a proibição completa da supressão florestal. Os resultados do estudo indicam que a perda de bem-estar pode chegar a até R$ 4,4 bilhões, com um impacto negativo mais acentuado de 1,35% no PIB brasileiro. Ao mesmo tempo, o país conservaria cerca de 12,5 milhões de hectares de áreas, incluindo o Excedente de Reserva Legal e florestas nativas protegidas. As regiões Norte, Centro-Oeste e MATOPIBA emergem como as mais afetadas pelas conversões florestais, destacando a importância de se compreender o trade-off entre a degradação ambiental e a produção agropecuária. Neste contexto, torna-se essencial o estabelecimento de um planejamento colaborativo entre os setores público e privado, visando garantir o crescimento econômico sustentável e a preservação dos recursos naturais do país. A integração do Plano ABC + com o Pagamento por Serviços Ambientais representa uma estratégia abrangente para impulsionar a agricultura sustentável e a conservação ambiental no país. Ao estimular a adoção de práticas agrícolas mais sustentáveis e recompensar financeiramente aqueles que contribuem para a preservação dos recursos naturais, essas iniciativas desempenham um papel crucial na redução das mudanças climáticas e na promoção do desenvolvimento rural sustentável.

References

ASSAD, E. D. et al. Adaptação e resiliência de sistemas agrícolas às mudanças climáticas locais e eventos extremos: uma revisão integrativa. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 52, 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-40632022v5272899

BRASIL. Lei Federal nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Disponível em: L12651 (planalto.gov.br). Acesso em 01 de maio de 2021.

BRASIL. Projeto de Lei n° 4203, de 2019. Acesso em 05 de setembro de 2022. Disponível em <https://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento?dm=798242

&ts=1630421338863&disposition=inline> 2019.

BRASIL. Apresentação da Contribuição Nacionalmente Determinada do Brasil perante o Acordo de Paris. 2023. Disponível em: <https://unfccc.int/sites/de

fault/files/NDC/2023-11/Brazil%20First%20NDC%202023%20adjustment.pdf>. Acessado em Nov. 2023.

CABRAL, L.; SAUER, S.; SHANKLAND, A. Introduction: Reclaiming the Cerrado–A Territorial Account of a Disputed Frontier. v. 54. nº 1. p. 18. 2023. DOI: https://doi.org/10.19088/1968-2023.102

CARVALHO, T. S.; MAGALHÃES, S. A.; DOMINGUES, E. Desmatamento e a contribuição econômica da floresta na Amazônia. Estudos Econômicos, v. 42, n. 42, p. 499-531, 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/0101-416146288tae

CHERVIER, C.; LE VELLY, G.; EZZINE-DE-BLAS, D. When the implementation of payments for biodiversity conservation leads to motivation crowding-out: a case study from the Cardamoms forests, Cambodia. Ecological economics, v. 156, p. 499-510, 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ecolecon.2017.03.018

DE MOURA, A. M. M. et al. Gastos ambientais no Brasil: proposta metodológica para aplicação no orçamento federal. Texto para Discussão, 2017.

FAVARETO, Arilson et al. Entre chapadas e baixões do Matopiba: dinâmicas territoriais e impactos socioeconômicos na fronteira da expansão agropecuária no Cerrado. São Paulo: Prefixo Editorial, v. 92545, 2019.

FERREIRA FILHO, J. B. S.; DE MORAES, G. I. Climate change, agriculture and economic effects on different regions of Brazil. Environment and Development Economics, v. 20, n. 1, p. 37-56, 2015. DOI: https://doi.org/10.1017/S1355770X14000126

FRANCISCO, A. X.; GURGEL, A. Costs of Reducing Deforestation In Brazil: a General Equilibrium Approach. 2020.

FREITAS, F. L. M. Brazilian public protection regulations and the preservation of ecosystem services and biodiversity. Tese de Doutorado. KTH Royal Institute of Technology. 2019.

GUILHOTO, J. et al. Estimação da Matriz Insumo-Produto Utilizando Dados Preliminares das Contas Nacionais: Aplicação e Análise de Indicadores Econômicos para o Brasil em 2005. Available at SSRN 1836495, 2010. DOI: https://doi.org/10.2139/ssrn.1836495

GREENPEACE. Moratória da Soja. Acesso em 05 de setembro de 2022. Disponível em <https://www.greenpeace.org/static/planet4-brasil-stateless/

/07/Relat%C3%B3rio-de-Monitoramento-2017.pdf>. 2017.

GURGEL A. C., PALTSEV S. Costs of reducing GHG emissions in Brazil. Climate Policy. v. 14:2, p. 209-223, 2013. DOI: https://doi.org/10.1080/14693062.2013.835655

HARBS, R.; BACHA, C. J. C. Modelo Teórico de Convergência do Preço da Terra Agrícola e sua Estimativa para o Brasil. RPER, n. 63, p. 45-63, 2023. DOI: https://doi.org/10.59072/rper.vi63.596

HEILMAYR, Robert et al. Brazil’s Amazon soy moratorium reduced deforestation. Nature Food, v. 1, n. 12, p. 801-810, 2020. DOI: https://doi.org/10.1038/s43016-020-00194-5

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Sistema de Contas Regionais. Rio de Janeiro, 2020b. Disponível em: <https://www.ibge.

gov.br/estatisticas/economicas/contas-nacionais/9054-contas-regionais-do-bra

sil.html?edicao=32020&t=resultados>. Acesso em 12 de maio de 2022.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Produção Agrícola Municipal. Rio de Janeiro, 2020d. Disponível em:

ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/9117-producao-agric

ola-municipal-culturas-temporarias-e-permanentes.html?edicao=25369&t=desta

ques>. Acesso em 12 de maio de 2022.

LABORATÓRIO DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS E GEOPROCESSAMENTO – LAPIG. Atlas Digital das Pastagens Brasileiras. 2020. Disponível em: <http://atlasdaspastagens.ufg.br/>. Acessado em 19 Maio 2022.

LIMA, L. H. Controle Externo do Patrimônio Ambiental Brasileiro. 2022.

LOYOLA, R.; REZENDE, C.; e RIBEIRO, B. Áreas Prioritárias para Conservação e Restauração no MATOPIBA. Caderno de Notas Técnicas do Programa Parceria para o Bom Desenvolvimento (GGP/PNUD). Rio de Janeiro: Conservação Internacional Brasil, 2021.

LIMA C. Z. Impacts of Low Carbon Agriculture in Brazil: a CGE aplication. 2017. 113f. Tese (Doutorado em Economia Aplicada) – Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais. 2017.

LIMA C. Z., GURGEL A. C. The role of double cropping modeling for policy assessment in Brazil. In 21th GTAP Conference. p. 19, 2018.

MAIA, S. M. F. et al. Potencial do plantio direto como solução baseada na natureza para mitigação das mudanças climáticas no Brasil. Soil and Tillage Research, v. 220, p. 105368, 2022.

MAGALHÃES, I. B. et al. Brazilian Cerrado and Soy moratorium: Effects on biome preservation and consequences on grain production. Land use policy, v. 99, p. 105030, 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.landusepol.2020.105030

MAPBIOMAS. Desmatamento. Acesso em <https://plataforma.brasil.mapbi

omas.org/>. Acessado em 30 de abril de 2023.

MARIOSA, P. H. et al. Family Farming and Social and Solidarity Economy Enterprises in the Amazon: Opportunities for Sustainable Development. Sustainability, v. 14, n. 17, p. 10855, 2022. DOI: https://doi.org/10.3390/su141710855

MIRANDA, Evaristo Eduardo de. Meio ambiente: a salvação pela lavoura. Ciência e cultura, v. 69, n. 4, p. 38-44, 2017. DOI: https://doi.org/10.21800/2317-66602017000400013

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS – ONU. Transforming our world: The 2030 agenda for sustainable development. 2016.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS – ONU. Relatório anual. 2022. Disponível em: <https://brasil.un.org/sites/default/files/2023-03/ONU_Brasil_Relatorio_Anual_2022.pdf>. Acessado em: Fev. 2024.

PAGIOLA, S.; HONEY-ROSÉS, J.; FREIRE-GONZÁLEZ, J. Evaluation of the permanence of land use change induced by payments for environmental services in Quindío, Colombia. PloS one, v. 11, n. 3, p. e0147829, 2016. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0147829

REIS, L. et al. Influence of Climate Variability on Soybean Yield in MATOPIBA, Brazil. Atmosphere, v. 11, n. 10, p. 1130, 2020. DOI: https://doi.org/10.3390/atmos11101130

ROCKSTRÖM, J.; WILLIAMS, J.; DAILY, G. Sustainable intensification of agriculture for human prosperity and global sustainability. Ambio, v. 46, n. 1, p. 4-17, 2017. DOI: https://doi.org/10.1007/s13280-016-0793-6

ROMEIRO, A. R. Desenvolvimento sustentável: uma perspectiva econômico-ecológica. Estudos avançados, v. 26, p. 65-92, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-40142012000100006

RUSSO LOPES, G. et al. Maldevelopment revisited: Inclusiveness and social impacts of soy expansion over Brazil’s Cerrado in MATOPIBA. World Development, v. 139, n. C, 2021. DOI: https://doi.org/10.1016/j.worlddev.2020.105316

RUTHERFORD T. F.; PATSEV S. V. GTAPinGAMS and GTAP-EG: global datasets for economic reserach and illustrative models. 2000.

RUTHERFORD T. F. GTAP6inGAMS: The dataset and static model. http://www.mpsge.org/gtap6/gtap6gams.pdf. 2005.

SOLIDARIDAD. Potencial regional de expansão da soja no MATOPIBA; São Paulo. 2021.

SOTERRONI, A. C. et al. Expanding the soy moratorium to Brazil’s Cerrado. Science advances, v. 5, n. 7, p. eaav7336, 2019. DOI: https://doi.org/10.1126/sciadv.aav7336

SPAROVEK, G. et al. Asymmetries of cattle and crop productivity and efficiency during Brazil’s agricultural expansion from 1975 to 2006. Elementa: Science of the Anthropocene, v. 6, 2018. DOI: https://doi.org/10.1525/elementa.187

SPAROVEK, G. et al. Who owns Brazilian lands? Land Use Policy, v. 87, p. 104062, 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.landusepol.2019.104062

STOCCO, L.; DE SOUZA FERREIRA FILHO, J. B.; HORRIDGE, M. Closing the Yield Gap in Livestock Production in Brazil: New Results and Emissions Insights. In: Environmental Economics and Computable General Equilibrium Analysis. Springer, Singapore. p. 153-170. 2020. DOI: https://doi.org/10.1007/978-981-15-3970-1_7

SUELA, A.; NAZARETH, M. S.; CUNHA, D. A. da. Efeitos Ambientais da Implementação do Plano ABC no MATOPIBA: Uma Abordagem por Insumo-Produto. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, [S. l.], v. 14, n. 4, p. 629–656, 2020. DOI: https://doi.org/10.54766/rberu.v14i4.654

SUELA, A. G. L. et al. Impact of gross domestic product growth on brazilian native forests: a Computable General Balance Analysis. Informe GEPEC, v. 27, n. 1, p. 228-245. 2023. DOI: https://doi.org/10.48075/igepec.v27i1.30378

XAVIER, G. L. MATOPIBA: a ocupação da nova fronteira agrícola nos quadros do padrão exportador de especialização produtiva. Confins. Revue franco-brésilienne de géographie/Revista franco-brasilera de geografia, n. 39, 2019. DOI: https://doi.org/10.4000/confins.17590

XU, J. et al. Double cropping and cropland expansion boost grain production in Brazil. Nature Food, v. 2, n. 4, p. 264-273, 2021. DOI: https://doi.org/10.1038/s43016-021-00255-3

ZIOLO, M. et al. How to design more sustainable financial systems: The roles of environmental, social, and governance factors in the decision-making process. Sustainability, v. 11, n. 20, p. 5604, 2019. DOI: https://doi.org/10.3390/su11205604

Published

2024-03-08

How to Cite

Suela, A. G. L. (2024). Análise econômica da conversão de florestas nativas e seu impacto no PIB do Brasil até 2030. Caderno Pedagógico, 21(3), e3054. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-042

Issue

Section

Articles