Congresso norte-paranaense de educação física escolar: integrando pesquisa e ensino pela ação extensionista

Authors

  • José Augusto Victoria Palma
  • Ângela Pereira Teixeira Victoria Palma
  • César Aparecido Nunes

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-026

Keywords:

formação continuada, formação de professores, educação física, ensino

Abstract

Em atendimento à uma demanda feita por professores realizamos o evento denominado de Congresso Norte Paranaense de Educação Física Escolar – CONPEF, que já teve 11 edições, cujo objetivo geral que permeia todas as edições é implementar uma forma preparação e desenvolvimento profissional, em que os envolvidos, professores e estudantes de Educação Física, pudessem socializar constructos e encontrar respostas para muitas de suas dúvidas e problemas. Neste estudo o objetivo geral foi identificar a influência do Congresso Norte Paranaense de Educação Física Escolar na organização e ensino da Educação Física em municípios da região norte do Paraná. Decorreu desse objetivo nossa questão básica: Quais foram as possíveis influências e inspirações do Congresso Norte Paranaense de Educação Física Escolar para o ensino da Educação Física na Região norte do Paraná? Estabelecemos, como hipótese de trabalho e premissa geral em todos os eventos que o processo de preparação e qualificação de professores em formação inicial e continuada, quando integrados, proporcionaria a aquisição, via construção ativa e crítica, de saberes relacionados diretamente com a prática profissional favorecendo nova compreensão do saber, fazer, saber-fazer, da relação pedagógica, do contexto educacional, seus efeitos e relações e coordenações. Como interlocutores foram selecionados professores de Educação Física de cinco Secretarias Municipais de Educação, da região norte do Paraná que haviam participado de no mínimo uma das edições do CONPEF até 2013, em sua 6ª edição. A coleta de dados foi feita via questionário que abordou Dimensões e critérios no domínio da avaliação em termos científicos e do impacto do Evento na prática docente. Os resultados mostram que o Evento contribuiu com as práticas e relações pedagógicas acontecidas no contexto escolar, apresentando adequabilidade, coerência e inovações. Destacam-se as indicações de que o CONPEF satisfaz bem e satisfaz muito bem aquilo que o professorado espera. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa Envolvendo Seres Humanos da Universidade Estadual de Londrina.

References

BRACHT, V. A. A constituição das Teorias Pedagógicas da Educação Física. In CADERNOS CEDES 48, CORPO E EDUCAÇÃO, 1999, p: 69-88.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada: Resolução CNE/CP n.º 02, de 01 de julho de 2015, do Conselho Nacional da Educação, Brasília, 2015a.

BRASIL. Lei Nº 13.005, de 25 junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação-PNE e dá outras providências. DOU de 26.6.2014 – Edição extra, 2014.

BRASIL. Parecer das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. CNE/CP 9 de 08 de maio de 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores em Educação Básica: Resolução CNE/CP n.º 01, de 18 de fevereiro de 2002, do Conselho Nacional da Educação, Brasília, 2002. A.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores em Educação Básica: Resolução CNE/CP n.º 02 de 19 de fevereiro de 2002, do Conselho Nacional da Educação, Brasília, 2002. B.

BRASIL. Ministério da Educação e da Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei n° 9394/96). Brasília: Senado Nacional, MEC, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009, do Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica – MEC. Diretrizes Curriculares Nacional para a Educação Infantil.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010, do Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica – MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerias para a Educação Básica.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 7 de 14 de dezembro de 2010, do Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica – MEC. Diretrizes Curriculares Nacional para o Ensino Fundamental de 9 (nove) anos.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 2, de 30 de janeiro 2012, do Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica – MEC. Diretrizes Curriculares Nacional para o Ensino Médio.

CASTELLANI FILHO, Lino. Educação Física no Brasil: a história que não se conta. Campinas: Papirus, 1988.

CESÁRIO, M. Formação de professores de Educação Física da Universidade Estadual de Londrina: tradução do projeto curricular pelos professores. São Carlos, S.P. Tese de doutorado, São Carlos: UFSCar, 2008.

CONTRERAS, J. Autonomia de professores. São Paulo, Cortez, 2002.

MEDINA, J. P. S. A Educação Física cuida do corpo... e “mente”: bases para a renovação e transformação da Educação Física. 4ªed. Campinas, Papirus, 1983.

MIZUKAMI, M. G. N. et al. Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos, EdUFSCar, 2002.

PACHECO, José A. e FLORES Maria A. Formação e avaliação de professores. Porto, Pt: Porto Editora, 1999.

PALMA, J. A. V. A educação continuada do professor de Educação Física: possibilitando práticas reflexivas. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, UNICAMP, Campinas, 2001.

PALMA, J. A. V. Formação inicial e desenvolvimento profissional contínuo de professores de Educação Física: integrando possibilidades de pesquisa, ensino e extensão. In: II CONGRESSO INTERNACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL (CIFPEF) E VI SEMINÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM FORMAÇÃO PROFISSIONAL NO CAMPO DA EDUCAÇÃO FÍSICA (SEPEF). Florianópolis, Anais... 2012.

PALMA, J. A. V & PALMA, A. P. T. V. Formação e desenvolvimento profissional docente: profissionalização e profissionalidade. In. FIEP BULLETIN, V. 77. Special Edition, p. 05-08, jan. 2007.

SÁNCHEZ GAMBOA, S. (Org.) Pesquisa Educacional: quantidade qualidade. 5.ed. São Paulo: Cortez, 2002.

SÁNCHEZ GAMBOA, S. A. Pesquisa Qualitativa: superando tecnicismos e falsos dualismos. Contrapontos – volume 3 – n. 3 – p. 393-405 – Itajaí, set./dez. 2003

SÁNCHEZ GAMBOA, S. A .Saberes, conhecimentos e as pedagogias das perguntas e das respostas: atualidade de antigo conflitos. Práxis educativa, Ponta grossa, V.4, n.1, p.9-19, jan.jun. 2009, disponível em http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa. Acesso em 10/08/2014

STENHOUSE, L. Investigación y desarrollo del currículo. Madrid, Morata, 1984

STENHOUSE, L. La investigación como base de la enseñanza. Madrid, Morata, 1987.

UEL. Projeto Pedagógico Institucional 2010-2015. Londrina – PR, 2010. Aprovado pelo CEPE em 25/11/2010. Disponível em www.uel.br/proplan/pdi. Acesso em: 01 set. 2014.

VEIGA, I. P. A. Inovações e projeto político-pedagógico: uma relação reguladora ou emancipatória? Caderno Cedes, Campinas, v. 23, p. 267-281, dezembro de 2003. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br. Acesso: 10/07/2014.

ZEICHNER, K & TABACHNICK, B. R. “Reflections on Reflective Teaching”. In: TABACHNICK, B. R. & ZEICHNER, K. (orgs.). Issues and Practices. Inqueriry-oriented Teacher Education. Londres, Falmer Press, 1993, p. 1-21.

ZEICHNER, K. Novos caminhos para o practicum: uma perspectiva para os anos 90”. In: NÓVOA, A. (org.). Os professores e sua formação. 2a ed. Lisboa, Publicações Dom Quixote, 1995.

Published

2024-03-06

How to Cite

Palma, J. A. V., Palma, Ângela P. T. V., & Nunes, C. A. (2024). Congresso norte-paranaense de educação física escolar: integrando pesquisa e ensino pela ação extensionista. Caderno Pedagógico, 21(3), e3019. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n3-026

Issue

Section

Articles