Prática da preceptoria na atenção primária: percepção dos preceptores

Authors

  • Carla Affonso Madureira Santos
  • Lucia da Rocha Uchôa-Figueiredo

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n2-127

Keywords:

preceptoria, atenção primária, educação, medicina

Abstract

Introdução: A educação superior na área da saúde vem passando por grandes mudanças no contexto da formação do profissional de saúde. As Diretrizes Curriculares Nacionais recomendam que a formação médica seja generalista, humanista, crítica e reflexiva, pautada em princípios éticos, de forma a tornar o profissional capaz de atuar no processo de saúde-doença nos diferentes cenários e níveis de atenção, com ênfase na Atenção Primária, especialmente em ações que diretamente afetam os problemas ou necessidades identificadas na comunidade. Surge então a figura do preceptor, com papel importante na formação do estudante de Medicina, pois é um profissional de saúde que acompanha e orienta o estudante nos cenários de prática. Objetivo: Este estudo teve como objetivo avaliar a percepção dos preceptores de campo do Módulo Integração Comunidade Ensino e Medicina da Família (MICEMF) II sobre o processo de preceptoria. Método: Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo e exploratório desenvolvido com os preceptores de campo do módulo, e os resultados expostos por meios qualitativos. Os dados foram levantados por meio de roda de conversa e a análise de conteúdo foi baseada em Bardin. Resultados: Apesar das limitações no processo de preceptoria, a Atenção Primária é um cenário fértil e importante na formação dos profissionais de saúde. Os preceptores têm um papel importante na inserção do estudante no ambiente de trabalho, os resultados mostram fragilidades neste processo, como ausência de educação permanente, reuniões periódicas de acompanhamento e discussões.  Considerações finais: Destaca-se a importância do preceptor na formação dos profissionais de saúde, porém, é necessário o estreitamento e fortalecimento de laços entre a universidade e os preceptores.

References

ANJOS, T. C. C. dos. Uma análise do exercício da preceptoria e as diretrizes curriculares nacionais no programa de prevenção e controle das doenças sexualmente transmissíveis, Aids e Hepatites Virais do município de Maceió. 2015. 84p. Dissertação (mestrado). Universidade Federal de Alagoas.

AUTONOMO, F.R.O.M.; HORTALE, V.A.; SANTOS, G.B.; BOTTI, S.H.O. A preceptoria na formação médica e multiprofissional com ênfase na Atenção Primária – análise das publicações brasileiras. Rev Bras de Educ Med., Rio de Janeiro . v.2, n.39, p.:316-327, 2015

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BOTTI, S.H.O.; REGO, S. Preceptor, Supervisor, Tutor e Mentor: quais são os seus papéis? Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro. v.3, n.32, p.363-73, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbem/v32n3/v32n3a11.pdf. Acesso em: 07 set. 2018.

BRASIL. Lei 8080 de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, 1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1802 de 26 de agosto de 2008. Institui o programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde – PET-Saúde. Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Superior. Resolução nº 3 de 20 de Junho de 2014. Brasília, 2014.

CARACIO, O. F. C. C.; CONTERNO, L. O.; OLIVEIRA, M. A. C.; OLIVEIRA, A. C. H.; MARIN, M. J. S.; BRACCIALLI, L. A. D. A experiência de uma instituição pública na formação do profissional de saúde para atuação em atenção primária. Rev Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 7, n. 19, p. 2133-2142, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=s1413-8123201400070213

&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 01 maio 2019.

FAJARDO, A. P.; CECCIM, R. B. O trabalho da preceptoria nos tempos de residência em área profissional da saúde. In: FARJARDO, A.P.; ROCHA, C.M.F.; PASINI, V.L. (org). Residências em saúde: fazeres e saberes na formação em saúde, p.191-210, 2010.

GAION J. P. B. F.; KISHI, R. G. B.; NORDI, A. B. A. Preceptoria na atenção primária durante as primeiras séries de um curso de Medicina. Rev. Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 46, n. 3, 2021.

MARINS, J. J. N. Formação e Atenção Básica de Saúde: pacto de gestão para territórios de aprendizagem. Cadernos ABEM, Brasilia. v.3, 2007. Disponível em: https://www.ufpe.br/documents/39296/684470/formacao_atencao_basica.

pdf/cc293a99-623a-4f1f-ba4f-8062b5e64dc5. Acesso em: 06 jun. 2020.

MOHR, A. A formação pedagógica dos profissionais da área da saúde. In: BRANT V. Formação Pedagógica de Preceptores do Ensino em Saúde. Juiz de Fora: Editora da UFJF, 2011. p. 53-65.

MONTEIRO, D. M.; LEHER, E. M. T.; RIBEIRO, V. M. B. Da educação continuada a educação permanente: a construção do modelo de formação pedagógica para preceptores do internato médico. In: BRANT, V. Formação Pedagógica de Preceptores do Ensino em Saúde. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2011. p. 13-22.

NALOM, D. M. F.; GHEZZI, J. F. S. A.; HIGA, E. F. R.; BIFFE, C. R. F.; MARIN, M. J. S. Ensino em saúde: aprendizagem a partir da prática profissional. Rev Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro. v.5, p.1699-1708, maio 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232019000501699. Acesso em: 06 fev. 2020.

OLIVEIRA, S. F. de; CUNHA, A. J. L. A. da; TRAJMAN, A.; TEIXEIRA, C.; GOMES, M. K.; HALFOUN, V. Percepção sobre o internato de medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro pelos Preceptores do Serviço na Atenção Básica: um estudo de caso. Rev. Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 41, n. 1, p.79-85, 2017.

PEREIRA, A. J.; AMADO, C. F.; SAMPAIO, J.; CECCIM, R. B. Formação de preceptores e tutores em saúde: construção de caminhos. In: CECCIM, R. B.; MENESES, L. B. A.; SOARES, V. L.; PEREIRA, A. J.; MENESES, J. R.; ROCHA, R. C. S.; ALVARENGA, J. P. O. Formação de Formadores para residências em saúde. Porto Alegre: Rede Unida. p.88-100, 2018 Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/179755/001069692.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

RIBEIRO, P. K. C.; FIRMO, W. C. A.; SOUZA, M. H. S. L.; FIGUEIREDO, I. A.; PACHECO, M. A. B. Os profissionais de saúde e a prática de preceptoria na atenção básica: assistência, formação e transformações possiveis. J. Manag. Prim. Health Care, Uberlândia, v. 12, 2020.

ROCHA, H. C.; RIBEIRO, V. B. Curso de Formação Pedagógica para Preceptores do Internato Médico. Rev Bras de Educ Med., Brasilia. v. 3, n.36, p. 343-350, 2012. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v36n3/08.pdf. Acesso em: 01 jan. 2019.

SAMPAIO, J.; SANTOS, G. C.; AGOSTINI, M.; SALVADOR, A. S. Limites e potencialidades de rodas de conversa no cuidado em saúde: uma experiência com jovens no sertão pernambucano. Rev Interface, Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu. v.1, n.18, p.1299-1312, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/icse/v18s2/1807-5762-icse-18-s2-1299.pdf. Acesso em: 17 nov. 2019.

SILVA, D. R.; NASCIMENTO, S. N. de S.; LIMA, E. K. F. de; MACHADO, T. P. C.; CAVALCANTE, A. S.; SOARES, S. L. A pesquisa em saúde: um relato em um mestrado em ensino na saúde. Rev. Caderno Pedagógico, Curitiba, v.21, n. 1, p.01-13, 2023.

UNILUS. Centro Universitário RR. Projeto Pedagógico Curso de Medicina. Santos, 2014.

Published

2024-02-29

How to Cite

Santos, C. A. M., & Uchôa-Figueiredo, L. da R. (2024). Prática da preceptoria na atenção primária: percepção dos preceptores. Caderno Pedagógico, 21(2), e2920. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n2-127

Issue

Section

Articles