Análise nacional de prevalência e de impacto da Covid-19 em internações por síndromes demenciais

Authors

  • Layze Carvalho Borges
  • Símia Bianca Soares Sabino
  • Cíntia Aniele Soares Sabino
  • Stéfane Vanessa de Sousa Peixoto
  • Evinly Peniche da Silva
  • Yuka Gomes Nishikawa
  • Átila Barros Magalhães

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n2-124

Keywords:

epidemiologia, COVID-19, síndrome demencial

Abstract

A COVID-19 causou 540 milhões de infecções e 6 milhões de mortes globalmente, impactando mais severamente idosos e pessoas com comorbidades. O vírus afeta órgãos como trato respiratório, rins, fígado, coração, sistema gastrointestinal e cérebro, aumentando riscos para disfunções neurovasculares em indivíduos com síndromes demenciais, que apresentam 30% a mais de mortalidade. Trata-se de um estudo descritivo e quantitativo utilizando dados do Sistema de Informação Hospitalar (SIH/SUS) analisou o impacto da COVID-19 em internações por síndromes demenciais no Brasil de julho de 2020 a julho de 2022, considerando raça/cor, sexo e faixa etária. Observa-se que em julho de 2020, foram registrados 1.26 milhão de casos de síndromes demenciais, com brancos representando 45.96% e pardos 34.69%. Em julho de 2021, houve uma redução de aproximadamente 3.3%, com brancos mantendo liderança (43.5%). Em julho de 2022, a redução continuou (4.2%), sendo pardos os mais afetados (41.8%). Na análise regional de 2020 a 2022, o Sudeste liderou com 87.75% dos casos totais, seguido pelo Centro-Oeste e Sul. Quanto ao sexo, casos em homens aumentaram 5.2%, chegando a 679,000 em julho de 2022, enquanto em mulheres houve uma diminuição de 19.5%, atingindo 490,000 no mesmo período. Desse modo, a pandemia de COVID-19, entre março de 2020 e a presente análise, mostrou impacto limitado nas internações por síndromes demenciais no Brasil. Apesar das comorbidades associadas à COVID-19, a prevalência diminuiu ao longo do tempo. Pesquisadores ressaltam a necessidade de investigar fatores adicionais e a possibilidade de subnotificação. Estudos futuros devem abordar a relação entre COVID-19 e síndromes demenciais para uma compreensão mais abrangente.

References

CHEN, Feng et al. The COVID-19 pandemic and Alzheimers disease: mutual risks and mechanisms. Transl Neurodegener. v. 11, n. 1, p. 40, Sep. 2022. doi: 10.1186/s40035-022-00316-y. PMID: 36089575; PMCID: PMC9464468.

PEREIRA, D; FERREIRA, S; FIRMINO, H. O Impacto da Pandemia COVID 19 na Saúde Mental da População Geriátrica. Revista Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, v. 8, n. 3, p. 49-57, 2022.

NASCIMENTO, S. et al. Pandemia COVID 19 e Perturbação Mental: Breve Revisão da Literatura. Revista Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, v. 6, n. 2, p. 67-76, 2020.

Published

2024-02-29

How to Cite

Borges, L. C., Sabino, S. B. S., Sabino, C. A. S., Peixoto, S. V. de S., da Silva, E. P., Nishikawa, Y. G., & Magalhães, Átila B. (2024). Análise nacional de prevalência e de impacto da Covid-19 em internações por síndromes demenciais. Caderno Pedagógico, 21(2), e2917. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n2-124

Issue

Section

Articles