A BNCC e a educação inclusiva: implicações na formação de professores

Authors

  • Rodi Narciso
  • Allysson Barbosa Fernandes
  • Aldicéa Gomes Pereira
  • Ana Cristina Ferrari Ávila
  • Dayvid Carlos Piovezan Tozato
  • Geliane Regina Esposito Burin
  • Jorge José Klauch
  • José Luiz Alves
  • Sônia Regina Barbosa Baracho

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n2-073

Keywords:

educação inclusiva, BNCC, formação de professores

Abstract

Este estudo abordou a influência da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Brasil, um marco importante na educação, com foco especial na educação inclusiva. O objetivo geral foi analisar as diretrizes da BNCC e suas implicações para a formação de professores em um contexto educacional inclusivo. A metodologia utilizada foi uma revisão bibliográfica, que incluiu a análise de fontes acadêmicas, legislação relevante e documentos oficiais. Os resultados revelaram desafios significativos na implementação da BNCC, particularmente em adaptar práticas pedagógicas e desenvolver profissionalmente os educadores. Foi identificada uma discrepância entre as exigências da BNCC e a preparação atual dos professores, sublinhando a necessidade de estratégias pedagógicas inclusivas e adaptativas. A pesquisa também enfatizou a importância das tecnologias emergentes, como realidade aumentada e robótica educacional, como ferramentas auxiliares no processo de inclusão. Conclui-se que a efetiva implementação da BNCC em contextos educacionais inclusivos requer uma abordagem multifacetada, que inclui capacitação de educadores, adoção de tecnologias inovadoras e revisão contínua das práticas pedagógicas, visando uma educação equitativa e acessível a todos.

References

ALMEIDA, Siderly do Carmo Dahle de. Convergências entre currículo e tecnologias. Curitiba: InterSaberes, 2019.

BERBEL, N. A. Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia dos estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011. Disponível em: https://bit.ly/h7v1ads. Acesso em: 30 dez. 2023.

BEZERRA, G. F. A Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva: a problemática do profissional de apoio à inclusão escolar como um de seus efeitos. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 26, n. 4, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-54702020v26e0184. Acesso em: 30 dez. 2023.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 07 jul. 2015. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/

ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 30 dez. 2023.

CAMPOS, F. R. Robótica Educacional no Brasil: questões em aberto, desafios e perspectivas futuras. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 12, n. 4, p. 2108–2121, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.21723/riaee.

v12.n4.out/dez.2017.8778. Acesso em: 30 dez. 2023.

CARVALHO, R. E. Educação Inclusiva com os pingos nos "is". Brasília: UNB, 2004. Disponível em: http://bds.unb.br/handle/123456789/143. Acesso em: 30 dez. 2023.

DRAGO, R.; MANGA, V. P. B. B. Deficiência visual e formação de professores: para uma revisão conceitual. Crítica Educativa, v. 3, n. 3, p. 292–310, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.22476/revcted.v3i3.239. Acesso em: 25 dez. 2023.

EYNG, Ana Maria. Currículo escolar. Curitiba: InterSaberes, 2012.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

LOPES, L. M. D. et al. Inovações educacionais com o uso da realidade aumentada: Uma revisão sistemática. Educação em Revista, v. 35, e197403, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-4698197403. Acesso em: 30 dez. 2023.

MACHADO, Dinamara Pereira; SOARES, Kátia Regina Dambiski. Currículo e sociedade. Curitiba: Contentus, 2020.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2003.

MELLO, C; ALMEIDA NETO, J; PETRILLO, Regina. Educação 5.0 – Educação para o Futuro. Proesso, 2002.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2010.

OPERTTI, Renato; KANG, Hyekyung; MAGNI, Giorgia. Análise comparativa dos quadros curriculares nacionais de cinco países: Brasil, Camboja, Finlândia, Quênia e Peru. UNESCO International Bureau of Education, 2018. Disponível em: https://bit.ly/48223. Acesso em: 30 dez. 2023.

PLETSCH, M. D. A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes políticas e resultados de pesquisas. Educação e Pesquisa, v. 35, n. 3, p. 537-550, set./dez. 2009. Disponível em: https://doi.org/10.

/S0104-40602009000100010. Acesso em: 30 dez. 2023.

PLETSCH, M. D. A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes políticas e resultados de pesquisas. Educação e Pesquisa, v. 35, n. 3, p. 537-550, set./dez. 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1590/

S0104-40602009000100010. Acesso em: 30 dez. 2023.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SANTOS, A. L. DE J. DOS P. et al. O uso do Soroban como instrumento para a aprendizagem dos alunos com deficiência visual. Universidade Estadual de Feira de Santana, [s.d.]. Disponível em: https://www.uefs.br/vcbei/ba

ckup6/O%20USO%20DO%20SOROBAN%20COMO%20INSTRUMENTO%20PARA%20A%20APRENDIZAGEM%20DOS%20ALUNOS%20COM%20DEFICI%C3%8ANCIA%20VISUAL.pdf. Acesso em: 30 dez. 2023.

WUNSCH, Luana Priscila. Tecnologias na Educação: conceitos e práticas. Curitiba: InterSaberes, 2018.

Published

2024-02-20

How to Cite

Narciso, R., Fernandes, A. B., Pereira , A. G., Ávila, A. C. F., Tozato, D. C. P., Burin, G. R. E., Klauch, J. J., Alves, J. L., & Baracho, S. R. B. (2024). A BNCC e a educação inclusiva: implicações na formação de professores. Caderno Pedagógico, 21(2), e2788. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n2-073

Issue

Section

Articles