O desafio de gerir gestores médicos nas instituições hospitalares: um estudo com hospitais privados brasileiros

Authors

  • Maiane Bertoldo Lewandowski
  • Patrícia Martins Fagundes Cabral

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n1-172

Keywords:

gestores médicos, instituições hospitalares, liderança

Abstract

Nas instituições hospitalares, a divisão entre áreas fins (do negócio) e áreas meio (administrativas), repercute na gestão entre duas instâncias: especialistas gestores (os médicos) e gestores administrativos. Historicamente, os médicos vêm ocupando posições executivas nessas instituições, no entanto, ser gestor não costuma ser um desejo ou um fator motivador para os médicos, que encontram seu reconhecimento na especialidade médica escolhida. O estudo realizado é de caráter exploratório, tendo como estratégia a pesquisa de campo. Foram realizadas 21 entrevistas qualitativas, semiestruturadas, com gestores médicos que atuam em instituições hospitalares ligadas à ANAHP – Associação Nacional dos Hospitais Privados, no Brasil. Todas as entrevistas realizadas foram gravadas em áudio, transcritas para texto e categorizadas, sendo organizadas e analisadas por meio do software de pesquisa qualitativa NVivo 10®. Para discussão e interpretação dos dados de pesquisa, utilizou-se a análise de conteúdo, englobando a análise textual discursiva. Como principais resultados aponta-se que o gestor médico entende e se reconhece diante desse processo identitário (de médico a gestor médico), mas apresenta inseguranças em se reconhecer plenamente na função de gestão. No contexto das instituições hospitalares, no que concerne ao desenvolvimento de gestores médicos, estruturar um processo que integre mentoring e aconselhamento de carreira parece ser fundamental.

References

BANSAL, M. Knowledge management: capitalizing a hospital’s assets. Express Healthcare Management. India’s first newspaper for the health care business. Disponível em: Acesso em: 20/11/2012.

BAUER, M. W; GASKELL, G. Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2010.

BICHUETTI, J. L. Gestão de pessoas não é com o RH. São Paulo: Editora Lafonte, 2011.

BOEIRA, S. L.; VIEIRA, P. V. Estudos organizacionais: dilemas paradigmáticos e abertura interdisciplinar. In.: GODOI C. K.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; SILVA, A. B. (Org). Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais: Paradigmas, Estratégias e métodos. 2° Ed.São Paulo: Saraiva, Cap. 10, p. 17-51, 2010.

BOSSIDY, L.; CHARAN, R. Execução: a disciplina para atingir resultados. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005, 24ª impressão.

CABRAL, P. M. F.; SEMINOTTI, N. A Dimensão Coletiva da Liderança. Caderno IHU Ideias – UNISINOS. São Leopoldo, ano 7, n. 120, 2009a.

CABRAL, P. M. F.; SEMINOTTI, N. Competências de Liderança e Competências Gerenciais: um Olhar Dialógico. São Paulo, ANPAD, 2009b.

CHARAN, R. O líder criador de líderes. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. 10ª reimpressão.

DERUE, D. S; ASHFORD, S. J. Who Will lead and Who Will follow? A social process of leadership identity construction in organizations. Academy of Management Review, 2010. Vol. 35, n° 4, 627-647. DOI: https://doi.org/10.5465/AMR.2010.53503267

DUTRA, J.; FERREIRA, M. A. A. Práticas de orientação e desenvolvimento de executivos. In.: DUTRA, J.; VELOSO, E. F. R. (Org). Desafios da gestão de carreira. São Paulo: Atlas, 2013. P. 53-74.

FERNANDES, M. E. R.; MARQUES, A. L.; CARRIERI, A. P. Identidade organizacional e os componentes do processo de identificação: uma proposta de integração. Cadernos EBAPE. BR, v.7, nº 4, artigo 11. Rio de Janeiro, dez 2009. p. 689-703. DOI: https://doi.org/10.1590/S1679-39512009000400011

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GRANT, A. M.; ZACKON, R. Executive, workplace and life coaching: findings from a large-scale survey of International Coach Federation members. International Journal of Evidence-Based Coaching and Mentoring, v. 2, n.2, p. 1-15, 2004.

GRIFFITH, J. R. The well-managed healthcare organization. 4. ed. Chicago: Health Administration Press, 1999.

JOINT COMISSION INTERNATIONAL – JCI. Padrões de acreditação da joint comission international para hospitais. Rio de Janeiro: CBA, 2011.

LA FORGIA, G. M.; COUTTOLENC, B F. Desempenho hospitalar no Brasil: em busca da excelência. São Paulo: Singular, 2009.

MARIOTTI, H. Pensamento Complexo: suas aplicações à liderança, à aprendizagem e ao desenvolvimento sustentável. São Paulo: Editora Atlas, 2010.

MARTINI, B. P. Os Processos de Aprendizagem Gerencial em uma Organização Hospitalar: uma abordagem sistêmico-complexa. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2010.

MCCONNEL, C. R. The health care professional as a manager: finding the critical balance in a dual role. The Health Care Manager, Gaithersburg, v. 20, n. 3, p. 1-10, mar. 2002. DOI: https://doi.org/10.1097/00126450-200203000-00002

MINAYO, M. C. S. Hermenêutica-Dialética como caminho do pensamento social. In: MINAYO, M. C. S.; DESLANDES, S. F. (Org.) Caminhos do pensamento: epistemologia e método. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2002.

MINTZBERG, H.; QUINN, J. B. The strategy process: concepts, contexts and cases. 3 ed. Upper Sadlle River: Prentice-Hall, 1996.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. Ijuí: Editora Unijuí, 2007.

MORIN, E. A Cabeça Bem-Feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009.

MORIN, E. Introdução ao Pensamento Complexo. Porto Alegre: Sulina, 2007.

NETO, A. F. P. Identidades profissionais médicas em disputa: Congresso Nacional dos Práticos, Brasil (1922). Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 16 (2): 399-409, abr./jun., 2000. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2000000200010

NETO, A. Q. A responsabilidade corporativa dos gestores de organizações de saúde e a segurança do paciente. Revista de Administração em Saúde – RAS, v. 10, n. 41, out./dez. 2008.

PACHECO, L.; SCOFANO, A. C.; BECKERT, M.; SOUZA, V. Capacitação e Desenvolvimento de Pessoas. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

PORTER, M. E.; TEISBERG, E. O. Repensando a saúde: estratégias para melhorar a qualidade e reduzir os custos. São Paulo: Bookman, 2007.

POSNER, B.; KOUZES, J. O desafio da liderança: como aperfeiçoar sua capacidade de liderar. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

RAMOS-CERQUEIRA, A. T. A., LIMA, M. C. A formação da identidade do médico: implicações para o ensino de graduação em Medicina, Interface – Comunic, Saúde, Educ, v.6, n.11, p.107-16, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-32832002000200008

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SANTOS, T. S. Carreira profissional e gênero: trajetória de homens e mulheres na medicina. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2010.

SAPIRO, A.; DALPOZZO, M.; BARBOSA, D. Dinâmicas de engajamento, Revista DOM (Fundação Dom Cabral), p.8-17, 2008.

SCHEIN, E. Cultura Organizacional e Liderança. São Paulo: Atlas, 2009.

SEIXAS, M. A. S.; MELO, H. T. Desafios do Administrador Hospitalar. Revista Gestão e Planejamento. Salvador, ano 5, n. 9 jan./jun. 2004.

SENGE, P. M. et. al. A Dança das Mudanças: os desafios de manter o crescimento e o sucesso em organizações que aprendem. 7 ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

SILVERMAN, D. Interpretação de dados qualitativos: métodos para análise de entrevistas, textos e interações. Porto Alegre: Artmed, 2009.

TOMEI, P. A. A Inveja nas Organizações. São Paulo: Makrom Books, 1994.

VARELA, J.; CRAYWINCKEL, G.; ESTEVE, M.; PICAS, J. M. Implicación de los médicos en la gestión basada en el profesionalismo y en el liderazgo de equipos multidisciplinarios. Medicina Clínica. Barcelona, 134 (1), 2010. DOI: https://doi.org/10.1016/j.medcli.2009.05.012

VENDEMIATTI, M.; SIQUEIRA, E. S.; FILARDI, F.; BINOTTO, E.; SIMIONI, F. J. Conflito na gestão hospitalar: o papel da liderança. Ciência & Saúde Coletiva, 15, Supl. 1: 1301-1314, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000700039

WEBER, B. T. Identidade e corporação médica no sul do Brasil na primeira metade do século XX. Varia Historia: Belo Horizonte, vol. 26, n. 44, p. 421-435, jul./dez. 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-87752010000200005

Published

2024-01-31

How to Cite

Lewandowski, M. B., & Cabral, P. M. F. (2024). O desafio de gerir gestores médicos nas instituições hospitalares: um estudo com hospitais privados brasileiros. Caderno Pedagógico, 21(1), 3228–3256. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n1-172

Issue

Section

Articles