Sairé, Borari e Borari-Arapium: marcos temporais e identidade(s)

Authors

  • Annebelle Pena Lima Magalhães Cruz
  • Daniela Ripoll

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv21n1-148

Keywords:

Sairé/Çairé, etnia Borari, etnia Borari-Arapium, Alter do Chão, identidade(s)

Abstract

Alter do Chão e o Sairé são duas dimensões indissociáveis, e essa relação a cada ano torna-se visível na cultura brasileira. Alter do Chão é um espaço geográfico, social e cultural, e o Sairé é um festival, um evento que ocorre neste espaço geográfico, social e cultural. Como relação indissociáveis, significa dizer que há fatores que compõe o Sairé, além das interferências espaço, há também do tempo, cultural, tecnológico, e, sobretudo étnica, o que faz do Sairé complexo. Neste sentido, como se apresentam as influências indígenas no Sairé? O objetivo deste artigo versou em analisar as narrativas que apontam a intersecção entre as dimensões que compõe o Sairé para sua compreensão como cultura e as identidades em jogo Borari e Borari-Arapium em contextos para além do Sairé. A justificativa versa em visibilizar o Sairé como cultura brasileira discutida no âmbito dos Estudos Culturais e no foco está a dimensão étnica do Sairé, apresentando-se como temática inédita nesse sentido, aproximando este artefato representado por infinitos campos de conhecimentos e de uma epistemologia que pode ser utilizada nas mais diversas temáticas, possibilitando a investigação por meio da cultura, na busca de entender sentidos, significados e representações constantemente expressos na linguagem ou nas próprias ações dos sujeitos em relação aos ao que circulantes em suas culturas por meio dos Estudos Culturais. Contribuindo assim, para a compreensão das culturas por meio de lentes não essencialistas e não binárias sobre as diversas identidades atreladas ao festival. O que traz novas perspectivas acerca dos modos de análise a partir dos Estudos Culturais. É uma pesquisa qualitativa, como método bibliográfico, em que as análises se deram através de livros e artigos escritos acerca do Sairé de Alter do Chão. Teve como referencial teórico os Estudos Culturais que empreendem estratégias para compreender as formas de produção de significados, como a disseminação dos mesmos nos contextos culturais. Concluindo-se que é comum nas obras analisadas, o enlaçamento recorrente de temáticas que ressaltam aspectos como identidade, religião, sagrado, profano, mitos, folclore, cultura, tradição e turismo. Além de trazer reflexões sobre a luta atual para afirmar identidade em relação ao Sairé, a Etnia Borari e a Etnia Borari-Arapium.

References

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. A feira dos mitos: a fabricação do folclore e da cultura popular (nordeste 1920 – 1950). São Paulo: Intermeios, 2013.

BALDUS, Herbert; WILLEMS, Emilio. Dicionário de Etnologia e Sociologia. Biblioteca Pedagógica Brasileira, série 4ª: Iniciação científica, v. 17. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

BAUER, Martin W.; AARTS, Bas. A construção do corpus: um princípio para a coleta de dados qualitativos. In: Martin W. Bauer; George Gaskell (Orgs.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático, 2. ed. Vozes, 2002.

BOMBARDI, Fernanda Aires. Pelos Interstícios do Olhar do Colonizador: descimentos de índios no Estado do Maranhão e Grão Pará (1680 – 1750). São Paulo: 2014, 188fl.

BRASIL. Ministério Público Federal. Associação intercomunitária de trabalhadores agro– extrativistas de prainha e vista alegre do rio Maró e outros. Fundação nacional do índio e união. Santarém, 2014.

CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2000.

CANTO, Sidney Augusto. Alter do Chão e Sairé. Santarém: Editora e Artesanato Gráfico Tiagão, 2014.

CARVALHO, Luciana Gonçalves de. TRADIÇÕES DEVOTAS, LÚDICAS INOVAÇÕES: O SAIRÉ EM MÚLTIPLAS VERSÕES. Sociol Antropol. Rio de Janeiro, v.06.01: 237 – 259 abril, 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/2238-38752016v6110

COHN, CLARICE. Culturas em Transformação: os Índios e a Civilização. São Paulo em Perspectiva [online], v. 15, n. 2 200. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-88392001000200006. Acesso em: 28 de abr. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-88392001000200006

COMIRAM, Fernando. A Valsa dos Pobres: O ALSA DOS POBRES: O Congresso de Viena, os Países Ibéricos e a América Meridional. Porto Alegre: 2018. 173 fl. Tese (de Doutorado), Programa de Pós-graduação em História, PUC/RS.

COSTA CANAL, Maria Augusta Freitas. Festa, imaginário amazônico e territorialidade cultural do Sairé no oeste paraense. Revista TEL, Irati, v. 8, n.1, p. 228-243, jan. /jun. 2017- ISSN 2177-6644 DOI: https://doi.org/10.5935/2177-6644.20170014

DIAS, João Aluízio Piranha; TORRES, Iraildes Caldas. O Sairé como Expressão Sociocultural dos Descendentes de Povos Indígenas do Baixo Amazonas/PA: prática resultante do processo civilizatório junto aos índios borari. Somanlu, ano 16, n. 2, jul./dez. 2016. DOI: https://doi.org/10.29327/233099.16.2-3

FERREIRA, Edilberto. O berço do Çairé. Santarém: Edição do Autor/Valer, 2008.

FIGUEIRA, Claudia Laurido; SANTOS, Benedito Tadeu. A festa de Sairé: uma narrativa de resistência da cultura borari em Alter do chão (PA). História Unicap, v. 7, n. 13, jan./jun. de 2020. DOI: https://doi.org/10.25247/hu.2020.v7n13.p263-274

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, SP: Atlas, 2002.

GOTTSCHALK, Simon. Postmodern Sensibilities and ethnographic possibilities. In: BANKS, Anna; BANKS, Stephen P. (org.). Fiction and social research: by ice or fire. London: Altamira Press, 1998. p. 205-233.

GÜNTHER, Hartmut. Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão? Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 22, n. 2, p. 201-210, maio/ago. 2006, Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ptp/v22n2/a10v22n2. Acesso em: 07 nov. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-37722006000200010

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 7.ed. Rio de Janeiro: Editora DP&A, 2003.

HALL, Stuart. Cultura e representação. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio Apicuri, 2016.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 27. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

RIBEIRO, Darcy. Os índios e a civilização: A integração das populações indígenas no Brasil Moderno. 7ª ed. São Paulo: Global, 2017.

SANTOS, Francisco Jorge. Nos Confins Ocidentais da Amazônia Portuguesa: Mando Metropolitano e Prática do Poder Régio na Capitania do Rio Negro no Século XVIII. Doutorado em Sociedade e Cultura na Amazônia. Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia – PPGSCA. Manaus, 2012.

SANTOS, Paulo Rodrigues dos. Tupaiulândia. Editor Pará. Belém: Impr. Oficial do Estado, 1999.

SERRA da Piroca ou Piraoca e da Ilha do Amor. Tripadvisor, Alter do Chão. Disponível em: https://www.tripadvisor.com.br/Attraction_Review-g2442844-d12

-Reviews-or20-Serra_da_Piraoca-Alter_do_Chao_State_of_Para.html. Acesso em: 07 nov. 2023.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo, SP: Cortez, 2007. DOI: https://doi.org/10.36311/2007.978-85-249-1311-2

SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidade e Diferença: A perspectiva dos Estudos Culturais / Tomaz Tadeu da Silva (Org.) Stuart Hall, Kathryn Woodward. 15. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

SULIMAN, Sara da Silva. Os índios munduruku e o “zeloso capuchinho” no Rio Tapajós (PARÁ, 1848-1854), 2013. In: Simpósio Nacional de História: conhecimento Histórico e Diálogo Social., 17, 2013, Natal. Anais [...] Natal: UFRN, 2013.Disponível em: https://www.snh2013.anpuh.org/. Acesso em: 07 nov. 2023.

TAVARES, Maria Goretti da Costa. Formação Territorial do Espaço Paraense: dos fortes à criação de municípios. Revista ACTA Geográfica, ANO II, n°3, jan./jun. de 2008. p.59-83. DOI: https://doi.org/10.5654/actageo2008.0103.0005

TREINTA, Fernanda Tavares et al. Metodologia de pesquisa bibliográfica com a utilização de método multicritério de apoio à decisão. Production, Rio de Janeiro, v. 24, n. 3, p. 508-520, jun./set. 2014.Disponível em: https://www.scielo. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-65132013005000078

br/j/prod/a/9BprB4MFDXfpSJqkL4HdJCQ/?lang=pt. Acesso em: 07 nov. 2023.

Published

2024-01-26

How to Cite

Cruz, A. P. L. M., & Ripoll, D. (2024). Sairé, Borari e Borari-Arapium: marcos temporais e identidade(s). Caderno Pedagógico, 21(1), 2739–2766. https://doi.org/10.54033/cadpedv21n1-148

Issue

Section

Articles