Direitos de aprendizagem e campos de experiência na BNCC: repercussões para as práticas pedagógicas na educação infantil

Authors

  • Hercília Maria de Moura Vituriano
  • Raimundo Simas Abreu Neto
  • Edilene de Jesus Furtado Ferreira Vieira
  • Andrea Carolina Nascimento Silva

DOI:

https://doi.org/10.54033/cadpedv20n10-026

Keywords:

currículo, educação infantil, direito da criança, campos de experiência

Abstract

O presente artigo tem como objetivo analisar as concepções de direitos de aprendizagem e desenvolvimento, bem como, os campos de experiência na Base Nacional Comum Curricular para a Educação Infantil (BNCC/EI), e suas repercussões para a organização das práticas pedagógicas nesse contexto. A organização metodológica está situada na abordagem qualitativa de pesquisa, conduzida por meio de revisão bibliográfica.Nesta revisão, foram explorados e analisados documentos relevantes, como a BNCC (2017) para a Educação Infantil, bem como, os estudos de Cavaco (2009), Fochi (2015),e outros. Entendemos que evidenciar os pressupostos e as relações subjacentes às concepções dos direitos da criança e de experiências de aprendizagem contribui significativamente para que os professores compreendam as implicações desse arranjo curricular em suas práticas pedagógicas nessa etapa da educação básica.

References

BANDIOLI, A.; MANTOVANI, S. (Orgs.). Manual da Educação Infantil. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

BARBOSA, M. C. S.; RICHTER, S. R. S. Campos de Experiência: uma possibilidade para interrogar o currículo. In: FINCO, D.; BARBOSA, M. C. S.; FARIA, A. L. G. de (org.). Campos de experiência na escola da Infância: contribuições italianas para inventar um currículo de educação infantil brasileiro. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2015. p. 185-198.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 2020. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 27 out. 2023.

BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (RCNEI). Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, DF:MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI). Secretaria de Educação Básica. – Brasília: MEC, SEB, 2010.Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/diretrizescurriculares_2012.pdf. Acesso em: 27 out. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (Terceira Versão). Brasília, DF: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 27 out. 2023.

CAMPOS, Rosânia Campos; BARBOSA, Maria Carmen Silveira. BNC e educação infantil Quais as possibilidades? Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p. 353-366, jul./dez. 2015. Disponível em: http//www.esforce.org.br.Acesso em: 30 out. 2023.

CAVACO, Carmen. Experiência e formação experiencial: a especificidade dos adquiridos experienciais.Educação Unisinos, [São Leopoldo, RS], v. 13, n. 3, p. 220-227, 2009. DOI: https://doi.org/10.4013/edu.2009.133.04

CAVACO, C. Formação Experiencial de Adultos Não Escolarizados: saberes e contextos de aprendizagem. Educação & Realidade, [S. l.], v. 41, n. 3, 2016. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/53441. Acesso em: 30 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-623653441

FOCHI, Paulo S. Ludicidade, continuidade e significatividade nos campos de experiência. In: FINCO, D.; BARBOSA, M. C. S.; FARIA, A. L. G. de (org.). Campos de experiência na escola da Infância: contribuições italianas para inventar um currículo de educação infantil brasileiro. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2015, p. 221-232.

GONTIJO, Claudia Maria Mendes. A escrita infantil. São Paulo, SP: Cortez, 2008.

MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa Social. 22. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesarde.Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2.ed. Novo Hamburgo, RS: Editora Feevale, 2013.

REIS, Lívia Cristina Ribeiro dos; SILVEIRA, Telma Aparecida Teles Martins. História do atendimento às crianças pequenas no Brasil:concepções, políticas e práticas. REVASF, Petrolina- Pernambuco – Brasil, vol. 9, n.19, p. 145-170,maio/junho/julho/agosto, 2019.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. – 6. ed. – São Paulo: Martins Fontes, 2002.

VITURIANO, H. M. de M.; DOURADO, I. S. dos S.; ABREU NETO, R. S. A criança e a apropriação da linguagem escrita na perspectiva Histórico-Cultural: o que os professores precisam saber/conhecer desse processo? Conjecturas, [S. l.], v. 21, n. 3, p. 725–748, 2021. Disponível em: https://www.conjecturas.org/index.php/edicoes/article/view/174. Acesso em: 30 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.53660/CONJ-174-301

VITURIANO, HM de M.; DOURADO, IS dos S..; ABREU NETO, RS.; VAZ, LMC.; BATALHA, TV. O Currículo na Educação Infantil: os campos de experiência e a linguagem escrita. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, [S. l.], v. 11, pág. e465111133836, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33836. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33836. Acesso em: 30 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33836

Published

2023-12-28

How to Cite

Vituriano, H. M. de M., Abreu Neto, R. S., Vieira, E. de J. F. F., & Silva, A. C. N. (2023). Direitos de aprendizagem e campos de experiência na BNCC: repercussões para as práticas pedagógicas na educação infantil. Caderno Pedagógico, 20(10), 4800–4822. https://doi.org/10.54033/cadpedv20n10-026

Issue

Section

Articles